Banner
O representante nacional da Praticagem durante pronunciamento no fórum Norte Export
Economia

Ricardo Falcão defende a instalação de mais terminais portuários

Para receber e embarcar a produção do agronegócio que dobra a cada dez anos, o chamado Arco Norte precisa de mais infraestrutura de terminais além do Porto de Santana (AP). O potencial da região para o escoamento da produção do Centro-Oeste foi destacado por todos no primeiro dia do Norte Export – edição regional do Fórum Nacional de Logística e Infraestrutura Portuária (Brasil Export), que prossegue, nesta terça-feira (29/9), em Macapá, capital do Estado do Amapá. O evento tem apoio da Praticagem do Brasil.

Estácio mobile

“Temos um grande potencial. Só do ano passado para cá, foram registrados 11% de aumentona exportação de soja e milho pelo Arco Norte. Fazer essa operação por aqui é 50% mais barato, mesmo com as dificuldades da BR-163, que só foi concluída recentemente. Precisamos de mais terminais. A infraestrutura não dá conta, ainda que o Porto de Santana opere em seu potencial máximo. Esses novos terminais vão gerar empregos na sua construção, mas também atrair outras indústrias como de produção de ração a partir da soja e etanol, do milho. Isso traz desenvolvimento econômico sustentável e renda para a região”, afirmou o coordenador do Comitê Orientador do Norte Export e presidente do Conselho Nacional de Praticagem (Conapra), Ricardo Falcão, prático na Amazônia há mais de 20 anos.

Pela manhã, os participantes do evento realizaram uma visita técnica à sede da Companhia Docas de Santana, onde assistiram a uma apresentação do seu diretor-presidente, Glauco Cei. Graças a um investimento recente da praticagem em simulações, o porto já recebe navios maiores, da classe Panamax.Estiveram presentes, além de Falcão, o CEO do Brasil Export, Fabrício Julião; o presidente do Conselho Nacional do Brasil Export, José Roberto Campos; o diretor-presidente da Associação Brasileira de Operadores Logísticos (ABOL) e conselheiro nacional do Brasil Export, Cesar Meireles;o presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT), Vander Costa; a diretora-presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico do Amapá, Tânia Maria Miranda; e o diretor do Conapra, prático João Bosco, que integra o Comitê Orientador do Sul Export, marcado para semana que vem.

Governadores

À tarde, no Sebrae, houve apresentações dos patrocinadores e o anúncio do time vencedor da etapa Norte do Brasil Hack Export, maratona tecnológica do evento. A abertura oficial foi realizada de noite e contou com a presença do vice-governador do Amapá, Jaime Nunes, representando o governador Waldez Góes.

Em seu discurso, Ricardo Falcão salientou a importância de o desenvolvimento econômico estar sempre em sintonia com a sustentabilidade e de como o trabalho dos práticos é fundamental para este equilíbrio. “Na praticagem, existe uma máxima de que o som da segurança é o silêncio. Na Bacia Amazônica, isso quer dizer que navegamos sem qualquer acidente muito perto de comunidades ribeirinhas, indígenas e pesqueiras. E o fazemos com navios cada vez maiores e mais carregados, porque investimos em eficiência”, disse.

Durante o evento,Falcão foi anunciado como vice-presidente da Federação do Transporte do Amapá. A entidade aproveitou a presença do presidente da CNT, Vander Costa, para confirmar a sua adesão à confederação. O dirigente da CNTdisse que é extremamente importante para o desenvolvimento do Brasil que todos os modais de transporte alcancem as suas potencialidades e se integrem.

Infraestrutura

A noite foi encerrada com uma palestra remotado secretário executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, que falou sobre os investimentos do governo federal no setor. “No Brasil, cada R$ 1 investido em infraestrutura gera R$ 2,50 na atividade econômica. Ou seja, temos uma capacidade enorme de gerar desenvolvimento econômico e ter retomada do crescimento, investindo em logística”, declarou.

No segundo dia do Norte Export, estão previstos quatro painéis: “O potencial do escoamento da safra do Centro-Oeste através do Arco Norte”; “A importância da hidrovia como matriz de transporte da Região Norte”; “As necessidades e demandas dos terminais da Região Norte”; e “A mudança econômica da região através da exploração da Indústria de Óleo & Gás”.

O Norte Export, realizado na sede do Sebrae, é o primeiro dos eventos regionais do Brasil Export e tem transmissão aberta pela internet. Para participar, basta realizar a inscrição no site forumbrasilexport.com.br e aguardar a confirmação pelo e mail.

Compartilhe:

Deixe Seu Comentário abaixo:

Banner Gif Mobile