Banner
Como governador em exercício, Jaime Nunes prestigia solenidade em escola militar | Fotos: Marcelo Loureiro
Amapá

Em escola militar, vice Jaime Nunes elogia apoio dos pais aos estudantes

A Escola de Gestão Compartilhada Militar Risalva Freitas do Amaral conseguiu reduzir consideravelmente o índice de evasão de alunos. De 76 estudantes que abandonaram os estudos em 2017, esse número caiu para 38 em 2018. O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) da instituição também cresceu. No ano de 2015 era 3.2, e em 2017, primeiro ano de gestão compartilhada, subiu para 4.1. O Ideb é calculado com base no aprendizado dos alunos em português e matemática (Prova Brasil) e no fluxo escolar (taxa de aprovação).

Os dados são da Secretaria de Estado da Educação (Seed) que compartilha a gestão da Risalva do Amaral com o Corpo de Bombeiros (CBM/AP). O ano letivo na escola foi aberto nesta sexta-feira, 22, durante solenidade na quadra poliesportiva da instituição reunindo autoridades e a comunidade escolar.

O governador em exercício, Jaime Nunes, prestigiou a cerimônia e destacou a participação massiva dos pais dos alunos no evento o que, para ele, demonstra o compromisso e a responsabilidade com a educação dos estudantes. “Estou muito feliz em estar aqui e ver tantos pais presentes. Sabemos que as escolas de gestão compartilhada são um verdadeiro sucesso, mas além do trabalho administrativo e pedagógico da instituição, esse resultado também se deve à participação de vocês”, elogiou Nunes, se dirigindo aos responsáveis dos alunos.

Concorrência de vagas

Este ano, estão matriculados na Escola Risalva Freitas do Amaral cerca de 900 estudantes, distribuídos do 6º ano ao 9º ano do ensino fundamental, ensino médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA). Desse quantitativo, apenas 87 são alunos novos, pois as vagas são muito concorridas e o número de rematrículas é alto. A chefe de gabinete da Seed, Terezinha Monteiro, enfatizou que no período da Chamada Escolar 2019, assim como em anos anteriores, as vagas foram preenchidas em menos de 30 minutos no sistema online. “A maioria das vagas disponíveis da escola é para o 6º ano e EJA, pois são séries iniciais. Quem já estuda na escola, quer concluir toda sua educação básica na Risalva. É um exemplo de sucesso, fruto de muito trabalho de professores, gestão e comunidade escolar, pais e estudantes”, frisou.

A diretora da escola, capitã BM Greyce Pantoja, em discurso, lembrou dos estudantes egressos da Risalva que passaram no vestibular e estavam presentes na solenidade. Eles são calouros, tanto de faculdades no Amapá, quanto em outros estados. “Entrar em uma faculdade também é um momento ímpar na vida de uma pessoa. É essencial fazer esse esforço. Espero que vocês tenham dedicação aos estudos, e que saibam que as cobranças diárias são para o melhor de cada um. Desejamos que vocês queiram a mudança pelo nosso Amapá”, discursou a gestora falando aos alunos.

Novos alunos

A solenidade não marcou apenas o início do ano letivo, mas também o começo de um novo modelo de aprendizagem para 87 novatos na instituição. Desde o dia 18 de fevereiro, estes alunos ingressaram na escola para a Semana de Adaptação e Aprendizagem 2019. Eles receberam instruções sobre respeito, disciplina, hierarquia e cidadania. O estudante Matheus Barros, 11 anos, é um dos novatos. Ele vai cursar o 6º ano do ensino fundamental e, durante esta semana, participou do período de adaptação e já percebeu as diferenças de estudar em uma escola de gestão compartilhada militar. “Aqui é tudo muito organizado e bem diferente das outras escolas que estudei. Estou gostando muito. Minha única dificuldade é acordar cedo, porque eu entro às 7h da manhã e não posso atrasar”, comparou.

Gestão Compartilhada Militar

Por enquanto, no Amapá, há apenas três escolas de gestão compartilhada entre a Seed e instituições militares. A Escola Risalva do Amaral é a única que tem gestão compartilhada com o CBM/AP. A Escola Antônio Messias, no bairro Zerão, zona sul de Macapá e, a Escola Afonso Arinos, localizada na área portuária do município de Santana, também oferecem o modelo de ensino, só que com a Polícia Militar.

A previsão é que sejam implantadas mais quatro escolas de gestão compartilhada militar: uma na zona norte de Macapá, uma na zona oeste da capital, uma no Igarapé da Fortaleza, em Santana, e outra no município de Oiapoque.

GOVE  mobile

Deixe Seu Comentário abaixo:

Banner Gif Mobile