Banner
A ex ministra Fátima Pelaes discursa observada pelo presidente do MDB Gilvam Borges | Foto: Breno Vinícius
Política

Com “chapão” fechado com Waldez, MDB vai de Fátima e Gilvam ao senado

Cleber Barbosa, da Redação

Com discurso pregando a pacificação, o Movimento Democrático Brasileiro (MDB) no Amapá decidiu em convenção realizada neste sábado (04) que o partido lança dois candidatos a senador – Fátima e Gilvam – para a disputa na majoritária, apoiando a reeleição do atual governador Waldez Góes (PDT). Havia uma grande dúvida se a ex ministra das Mulheres no governo Temer conseguiria manter sua pré-candidatura, numa verdadeira guerra fria com o dirigente regional da legenda, mas, ao fim, optou-se por uma solução negociada, ao melhor estilo “que vença o melhor”, como pregava Geovani Borges.

Em seu discurso, Fátima Pelaes agradeceu o que chamou de gesto de grandeza de Gilvam Borges, estendendo agradecimentos também a lideranças nacionais do MDB, que teriam avalizado seu projeto de virar a primeira senadora do Amapá, como Romero Jucá, José Sarney e o próprio presidente Michel Temer. “Venho de uma grande experiência de ter sido a ministra que cuidava de todas as mulheres do país, portanto era mais que legítimo ter essa oportunidade, afinal dentro do próprio partido, com o MDB Mulher, a gente sempre pregou a participação da mulher na política, ao lado dos homens, claro”, disse Fátima.

Já o presidente Gilvam Borges confirmou que pela trajetória e pela força do MDB como maior partido do país é sim perfeitamente possível a construção de duas candidaturas internas ao senado, uma vez que são duas as cadeiras em disputa este ano. “E também foi importante pacificar o partido e essa ampla coalizão que ajuda na governabilidade do Amapá, portanto vamos ainda mais fortes para a disputa pela sucessão estadual, ombreados com o governador Waldez Góes, ajudando na sua reeleição”, disse Borges.

Também foram apresentados e ratificados os nomes dos candidatos na eleição proporcional, como o atual deputado federal Cabuçu Borges e os deputados estaduais Jaci Amanajás e Augusto Aguiar.

 

Deixe Seu Comentário abaixo: