Banner
Polícia Federal realiza operação para investigar extração clandestina de manganês com fins de exportação | PF
Economia

PF investiga operação clandestina de manganês no Pará e Amapá

A Polícia Federal deflagrou ontem (23) a Operação Mn25, com o objetivo de desarticular grupo criminoso responsável pela usurpação clandestina de manganês com fim de exportação, no estado do Pará. O referido minério é essencial na produção de ligas como o aço e o alumínio, assim como presente na fabricação de pilhas. Há suspeitas de ramificação do grupo também no setor mineral do Amapá.

GOVE  mobile

Policiais federais cumpriram quatro mandados judiciais expedidos pela 2ª Vara da Justiça Federal de Marabá/PA. Os mandados são de busca e apreensão, bloqueio e sequestro de contas e bens móveis e imóveis com restrição de circulação e alienação deles. Os mandados foram cumpridos no Porto de Vila do Conde em Barcarena/PA – inclusive em navio – e na região de Curionópolis/PA.

As investigações tiveram início no ano de 2018, após a deflagração da Operação Migrador, destinada ao mesmo fim e com cumprimento de 111 mandados judiciais. Com a análise dos documentos e informações coletadas, além de diversas ações investigativas realizadas, constatou-se que existe na região uma verdadeira ação articulada de pessoas e empresas para extração, beneficiamento, transporte e exportação de minério, por meio da falsificação de documentos públicos e fiscais, com o intuito de dar aparência de licitude a atividade criminosa.

Sem licença

PF investiga extração ilegal de manganês no Pará | Foto: Bruno Trindade/NMB

As diligências apontam que um grupo de empresas e pessoas físicas vem de forma reiterada usurpando minério de manganês extraído, sem autorização dos órgãos competentes, sendo destinados majoritariamente à exportação, tendo seu escoamento feito pelo porto de Vila do Conde, em Barcarena/PA.

Os investigados irão responder pelo crime previsto no artigo 2º, §1° da lei n° 8176/91, com pena prevista de até cinco anos de detenção, além do artigo 55 da lei de crimes ambientais ( lei n° 9.605), com pena de detenção de até um ano.

O nome da operação se refere ao símbolo e o número atômico do Manganês dentro da tabela periódica.

Compartilhe: 

Deixe Seu Comentário abaixo:

Banner Gif Mobile