Banner
Imagens do flagelo no Jari, onde o Exército chega para reforçar socorro | Fotos: Secom/GEA
Amapá

Situação no Jari se agrava e Exército entra no apoio aos desabrigados

A enchente na cidade de Laranjal do Jari, no Sul do Amapá, se agravou nos últimos dias, aumentando também a mobilização de órgãos públicos e da iniciativa privada, no socorro às vítimas, que a Defesa Civil calcula já ter atingido quase 4 mil residências. Com um gabinete itinerante levado para a região, com seu secretariado, o governador do Amapá, Waldez Góes, levou alento à comunidade, através de ações coordenadas também com o prefeito local, Márcio Serrão. O chefe do Executivo estadual acompanhou de perto o drama dos moradores e visitou alguns pontos que foram atingidos pela enchente do Rio Jari, assim como os abrigos que foram montados para atender as vítimas. Góes também reuniu com os órgãos que compõem a força-tarefa, para traçar ações de atendimento na região, com o reforço de homens do Exército Brasileiro, num efetivo deslocado de Macapá.

De acordo com um levantamento realizado pela Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cedec) até quarta-feira eram pelo menos 3.711 imóveis atingidos pela enchente nos últimos dias. A última medição atingiu 2,77 metros de elevação do Rio Jari. Oito bairros foram atingidos diretamente pela enchente. Os mais afetados são: Centro, Três Corações e Malvinas.

O primeiro ponto de visitação foram os bairros Malvinas e Centro. O governador Waldez Góes destacou algumas medidas emergências como a distribuição de água potável e a assistência social. “Temos que unir forças e ajudar essas pessoas com ações imediatas. Estamos dando celeridade ao transporte da ajuda humanitária e garantindo abrigo às famílias mais necessitadas”, garantiu o governador.

Com a elevação do Rio Jari 77 famílias estão desabrigadas e as famílias desalojadas chegam a 167. Uma reunião entre os órgãos estaduais e a Prefeitura de Laranjal do Jari teve como pauta o reforço da ajuda humanitária por parte do Ministério da Integração. De acordo com prefeito Márcio Serrão, o cadastramento das novas famílias atingidas foi iniciado e um relatório com a atual situação do município será encaminhado para os órgãos federais. Os donativos enviados pelo governo federal devem começar a ser enviados à região ainda nesta semana.

“Estamos fazendo o possível para atender e assistir essas famílias. A vinda do governador Waldez foi muito produtiva e isso garantiu ainda mais a união entre os governos em prol dessa população que tanto precisa de atenção e ajuda”, finalizou o prefeito de Laranjal do Jari.

 

Reforço Policial

Nesta quarta-feira, 16, o Governo do Amapá enviou policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) para reforçar a segurança da população em Laranjal do Jari. Com os alagamentos, a polícia tem registrado alguns crimes de naturezas diversas, como furtos e saques, principalmente, de materiais que são transportados do local inundado para abrigos ou casas de familiares.

 

Água Potável

A Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa) já distribuiu 114 mil litros de água potável às famílias atingidas pela cheia. Cerca de 8,7 mil pessoas recebem auxílio dos órgãos governamentais que compõem a força-tarefa desde que a Prefeitura de Laranjal do Jari decretou situação de emergência na região.

 

Deixe Seu Comentário abaixo: