Banner
Maria Yoná, empreendedora comercializa produtos feitos a partir da castanha | Fotos: Ruan Alves
Amapá

Projeto “Caminho Empreendedor” chega à comunidade do Maracá

Em busca de conhecimento para iniciar ou ampliar um negócio, neste sábado, 05, as mulheres do Comunidade do Maracá, em Mazagão, participaram do retorno do projeto Caminho Empreendedor, realizado pela Frente Parlamentar em Defesa do Empreendedorismo, Cooperativismo e Economia Solidária (Fecesap). Coordenado pela deputada estadual Marilia Góes, a ação ofertou oficinas em diversas áreas com objetivo de capacitar as participantes.

Nesta segunda etapa,   83 mulheres participaram das atividades, coordenadas pela deputada estadual Marilia Góes (PDT), que preside a Frente. Entre elas, Siliane Pinheiro, 29 anos. A agricultora tem três filhos e a dificuldade de conseguir comprar o material escolar das crianças foi o que motivou a participar do projeto. “Para comprar material a gente tem que sair aqui da comunidade, então após participar do seminário, decidi que quero montar uma loja de material escolar aqui”, informou a agricultora.

De acordo com a deputada Marilia, um dos fatores que levam a mulher a empreender é a necessidade. “A mulher identifica a necessidade e encontra no empreendedorismo a alternativa para ter uma renda e assim sustentar os filhos. O diferencial é transformar essa necessidade em oportunidade e mostramos isso no seminário Caminho Empreendedor”, explicou.

Marília Góes, na ação que capacitou 83 mulheres na comunidade do Maracá, em Mazagão, neste sábado

Diferencial foi uma palavra que ficou na memória da Maria Yoná. A empreendedora comercializa produtos feitos a partir da castanha. Além dos biscoitos, castanha caramelizada e bombons recheados, ela investiu em uma adaptação da palha italiana – um tipo de doce. “Essa é a novidade no meu empreendimento. Um diferencial, faço a versão da palha italiana com castanha e tem sido um sucesso. Agora, com as dicas que aprendi no Caminho Empreendedor vou investir na produção para o Festival da Castanha”, afirmou.

O projeto levou a Agência de Fomento do Amapá para apresentar as linhas de créditos disponíveis e o Instituto de Desenvolvimento Rural do Amapá com oficinas de estratégias de vendas e boas práticas para as empreendedoras que comercializarão no Festival da Castanha.

Deixe Seu Comentário abaixo: