Banner
Cirurgião oncológico Roberto Marcel fala das possibilidades de cura com diagnóstico precoce | Foto: Eliana Lopes
Amapá

Oncologista alerta sobre os tipos de câncer mais comuns no Amapá

No Amapá, segundo pesquisas concluídas recentemente pelas médicas Dielle Loureiro e Luciana Caetano em conjunto com o cirurgião oncológico Roberto Marcel, os principais tipos de cânceres que atingem a população local são de estômago, pulmão, próstata, colo uterino e de mama. Foram usados como base, dados estatísticos da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), do Hospital de Clínicas Alberto Lima (Hcal), em Macapá.

Hackfest Mobile

Segundo o médico oncologista Roberto Marcel Soares Alves, a pesquisa chama atenção por estes tipos de cânceres terem uma coisa em comum: todos podem ser prevenidos ou diagnosticados em fase precoce, seja através de hábitos de vida saudáveis e/ou exames preventivos regulares.

O câncer de estômago é um dos mais frequentes e está ligado a hábitos alimentares como o consumo de alimentos ricos em sal, embutidos e, também, por meio do agente infeccioso H. Pylori, que é adquirido através de água e alimentos contaminados, resultado da ausência de saneamento básico ou higiene adequada dos alimentos.

Esse tipo de câncer pode ser diagnosticado ainda na fase inicial com um exame de endoscopia e, nessa fase, as chances de cura podem chegar a 90% dos casos, segundo conclusão de pesquisas realizadas pelo Centro de Tratamento de Câncer da cidade de São Paulo – A.C. Camargo.

O câncer de pulmão é outro tipo de tumor diretamente relacionado ao comportamento, pois 90% dos pacientes com esse tipo de neoplasia são tabagistas. “Daí a importância do combate ao fumo podendo-se, desta forma, reduzir drasticamente esta incidência”, alerta o oncologista Roberto Marcel.

Campanha

O outro câncer de alta incidência, não só no Amapá, como também na Região Norte do Brasil, é o câncer de colo uterino, que pode ser prevenido com a vacinação ofertada de forma gratuita para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. Ou, ainda, pelo rastreamento com o exame de Papanicolau ou Preventivo do Colo Uterino (PCCU). “São exames simples, indolor, de fácil execução e que conseguem rastrear lesões precoces ou em fases pré-malignas aumentando as chances de cura”, orientou Marcel.

O câncer de mama é o segundo mais comum entre as mulheres no Amapá. De acordo com o Ministério da Saúde, o rastreio deve se iniciar com exame de mamografia, a partir dos 50 anos de idade, ou menos, dependendo da indicação médica e de fatores de risco, como casos da doença na família.

O segundo mais comum nos homens, depois do câncer de estômago, é o câncer de próstata. Para reforçar a prevenção, existe a campanha “Novembro Azul” como forma de lembrar da importância de procurar o médico urologista para fazer o exame que pode detectar a doença ainda na fase inicial.

“O ‘Novembro Azul’ traz à consciência do homem a respeito de fazer uma consulta médica especializada no urologista ou no oncologista para fazer o rastreamento desse tipo do câncer de próstata, que ocorre através de um exame de sangue que é o PSA e, o exame físico, que é o toque retal, que infelizmente por causa de questões culturais ainda tem muita resistência da população masculina”, explicou Roberto Marcel.

O Governo do Estado do Amapá tem investido na prevenção e tratamento do câncer. As obras da Unidade Fixa de Prevenção do Hospital do Amor (Hospital do Câncer de Barretos), já estão 90% concluídas e devem ser entregues ainda em 2018. A referida unidade faz parte do projeto do complexo oncológico que também inclui a construção da nova Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) e o bunker de radioterapia.

 

Deixe Seu Comentário abaixo: