Banner
Funcionário da Eletronorte, Elenilton Marques, candidato ao Conselho de Administração | Foto: Bruce Barbosa
Sociedade

Nascido em hidrelétrica, funcionário da Eletronorte pode virar conselheiro

Cleber Barbosa, da Redação

Estácio mobile

No distante ano de 1976, um retirante nordestino chamado Luís Carlos Filho foi em busca de emprego no canteiro de obras da maior usina hidrelétrica genuinamente brasileira, a Hidrelétrica de Tucuruí [Itaipu é binacional], no coração da Amazônia. Casou-se com a paraense da Ilha do Marajó Auta Maria Marques da Silva e três anos depois nascia Elenilton Marques da Silva, hoje com 39 anos de idade, também funcionário da empresa e postulante a virar membro do Conselho de Administração da Eletronorte, em Brasília. E para conseguir realizar esse sonho, está inovando no processo eleitoral interno, pedindo votos dos colegas na internet e também no corpo-a-corpo.

Elenilton abriu um Blog para isso. Listou de forma muito bem organizada não só a sua formação e experiência profissional, como também as principais propostas que tem para defender no colegiado, com foco nos melhores resultados para a empresa e, claro, guardando os mais legítimos interesses dos funcionários da estatal de energia que está presente em todos os estados da Amazônia Legal além do próprio Distrito Federal – onde fica a sede administrativa.

As eleições internas da Eletronorte acontecem nos próximos dias 18 e 19 de fevereiro, em dois turnos. O colégio eleitoral é de aproximadamente 4 mil funcionários e apenas uma vaga está sendo disponibilizada para o Conselho de Administração, posto voltado a uma representatividade dos empregados de carreira da empresa pública.

Breve Currículo

Técnico em Eletrotécnica e Administrador de Empresas ambos concluído no ano de 1999, depois realizou um curso de graduação em Bacharelado e Licenciatura em Geografia, pela Universidade Federal do Amapá (2010). Pós-graduação Lato Sensu em Geoprocessamento e Georreferenciamento de Imóveis Rurais (2012). Graduação em Engenharia Elétrica em curso (2016-2021). Atualmente é operador de sistema de transmissão de energia. Elenilton também tem seu lado empreendedor, pois em 1999 abriu em parceria da esposa Sinara uma agência de viagem, com sede em Macapá e filial em Belém. Ele também se destacou, tanto que chegou a ser eleito presidente da filial Amapá da ABAV (Associação Brasileira das Agências de Viagem).

Autoapresentação, feita na página de Elenilton Marques

Olá pessoal, tudo bem? Espero que sim! Eu tomei a iniciativa de construir um Blog para minha apresentação como candidato ao Conselho de Administração da Eletrobras/Eletronorte para o biênio 2019/2020. Como é habitual em todas candidaturas devo responder o porquê de ser candidato ao conselho de Administração da empresa, não é?

Antes de evoluir para a resposta a essa indagação, gostaria de compartilhar com os colegas minha trajetória pessoal e profissional até o ‘anno domini’ atual.

Sou filho de retirante, o Sr. Luis Carlos filho, oriundo da cidade de Parambú-CE que resolveu arriscar a vida fugindo da seca e da miséria do interior nordestino e se adentrando ao coração do Brasil no meio da imensidão da floresta amazônica em busca de dias melhores, conheceu minha mãe, Auta Maria Marques da Silva, paraense do arquipélago do Marajó, da cidade de Breves-PA, ainda sem profissão, sem estudos, sem muitas técnicas, mas com muita vontade de vencer na vida.

Foi nesse cenário histórico que surge a grande obra da Amazônia, a construção da usina Hidroelétrica de Tucuruí, no ano de 1976. Esse senhor iniciou seus trabalhos como servente de pedreiro, carpinteiro, serviços gerais e nesse mundo do ofícios laborais começou a dar alguns passos importantes em sua vida, se tornou pedreiro experiente e logo depois técnico laboratorista, onde fazia as análises das massas (concreto) que eram utilizadas para a construção da barragem de Tucuruí.

Foi então que em 1979, no Hospital Regional de Tucuruí, na Vila Permanente, nasce essa pessoa que vos fala, então posso dizer que sou filho dessa empresa, pois todas minhas raízes brotam desse mundo da construção superação e da miscigenação do caboclo amazônida e o Nordestino. Nesse ímpeto que após cursar Técnico em Eletrotécnica, no ano de 2004, depois de prestar concurso para a vaga de operador de usina térmica, que entro definitivamente ao quadro de funcionários da Eletronorte. Foi como um retorno às minhas origens e me orgulho muito desse feito em minha vida.

Na usina Térmica de Santana (UTSA), hoje desativada, foi onde lapidei meus primeiros passos na empresa, um verdadeiro “chão de fábrica”, mas com muito orgulho e amor a profissão que operamos aquela Usina Termoelétrica até próximo de sua desativação. No ano de 2014, depois de passar por uma seleção interna formos conduzidos à função de Operador de Sistemas no OEORP (Centro de Operação Regional do AM/AP/PA/RR), a que estamos até os dias atuais, em Belém.

Então ser candidato a membro do Conselho de Administração de nossa empresa é mais que uma realização pessoal, é o forjamento de um funcionário preocupado com o bom caminho que nossa empresa precisa trilhar, frente aos grandes desafios que esse momento histórico nos impõe. Quero ser o porta-voz e o canal de comunicação dos funcionários de nossa empresa junto ao conselho, ser a caixa de ressonância de nossos anseios frente a alta cúpula administrativa e assim ajudar a construir mais uma página histórica de nossa empresa.

 

Deixe Seu Comentário abaixo: