Banner
O saudoso missionário católico Marcelo Nunes (1967-2008) e sua esposa Regina Nunes | Fotos: Álbum de Família
Sociedade

Hoje faz dez anos que o missionário Marcelo Nunes virou uma estrela…

Cleber Barbosa, da Redação

Neste 17 de dezembro, Cristãos do Amapá e de muitas partes do país relembram com pesar os 10 anos em que o missionário católico Marcelo de Lima Nunes fez sua passagem – virou uma estrela como se diz a uma criança. Ele integrava a Comunidade Católica Shalom no Amapá, movimento Semelhante à Renovação Carismática, e era consagrado da Comunidade Aliança, ou seja, são religiosos que podem casar e ter família.

Era um cara do bem, literalmente. Só tinha medo de hospital, injeção, curativo, essas coisas que qualquer criança tem pavor. Isso talvez tenha contribuído para ele não ter diagnosticado a tempo que era hipertenso, daí ter sofrido um AVC logo pela manhã de um dia como hoje, próximo do Natal. Marcelo ainda travou uma luta pela vida por mais 17 dias no CTI, mas Deus pai o chamou, uma tristeza para os seus, mas sem dúvida uma passagem para o plano celestial, que todo justo merece.

Todos os Marcelos

Bem, mas isso agora são detalhes, pois o que seus amigos querem mesmo lembrar não só no dia de hoje, mas o ano todo e todo ano é de sua imensa alegria, senso de humor, companheirismo e uma inabalável fé em Deus. Sim, essa fé em Deus fez aquele pai de família se reinventar como homem, numa história de superação que virava o seu testemunho, toda vez que precisava pregar em grupos de oração, nas paróquias e demais comunidades onde ele levava não só sua arte, embalada por violão, teclado ou simplesmente sua voz, mas substancialmente pela forte espiritualidade com que ajudava o próximo.

Sua esposa, Regina, sempre diz que ele viveu intensamente todas as fases de sua vida. Foi jogador de futebol (goleiro dos bons), palhaço, ator de teatro, líder estudantil, músico da noite, estudante, técnico em mecânica, torneiro mecânico, universitário, professor de informática e religioso – mais ou menos nessa ordem.

Então vir hoje a público falar um pouco dessa relação que todos os familiares e amigos tiveram com ele é uma justa e pequena homenagem, pois pra você Marcelo, o céu é o limite. Fique em paz e ore por todos nós!

Cleber Barbosa, seu irmão

Deixe Seu Comentário abaixo: