Banner
Os cantores Zé Miguel e Roseline Jersier, na Ponte Binacional, celebram a cultura transfronteiriça | Divulgação
Cultura

Amapaense Zé Miguel e guianense Roseline Jersier lançam show “A Ponte”

Araciara Macedo – Jornalista

De um lado a presença marcante e mágica da cantora francesa Roseline Jersier, soltando a voz e interpretando Zouk Love. De outro lado o cantor e compositor amapaense Zé Miguel e suas canções cheias de poesia e fascínio. Um encontro que promete encantar o público na noite do dia 04 de maio no espetáculo “A Ponte”. O show acontecerá no Norte das Águas, localizado no Araxá, e é assinado por Edna Pantoja, produtora cultural amapaense que promete surpresas. “Está sendo trabalhado com carinho para se transformar em uma noite mágica que ficará na memória dos participantes”, diz Edna.

Roseline e Zé Miguel são os autores da música que empresta nome ao show e é, reconhecidamente, um dos maiores sucessos atuais no repertório de programas de rádio e televisão na Guiana Francesa.

Zé Miguel conta que a ideia de dividir o palco com a cantora francesa surgiu durante a gravação do CD ‘Amazônia na Veia’, último disco gravado pelo cantor. “Eu e Roseline somos parceiros na música ‘A ponte’, gravamos juntos no CD ‘Amazônia na veia’, durante as gravações acabamos fazendo amizade e a vontade de fazer um show juntos foi surgindo”, contou Zé, que completa “quando o CD ficou pronto mandei para a Guiana e ela começou a divulgar lá, nossa música chegou a ficar em sexto lugar entre as dez mais tocadas na Guiana Francesa, essa música é especial porque fala do intercâmbio, da união entre os povos, do reconhecimento da cultura que dividimos da necessidade de união entre os povos”, explicou Zé Miguel.

Depois da gravação do CD e do sucesso que a música alcançou na Guiana, os dois cantores resolveram gravar um vídeo clipe. “Era um caminho natural, para os guianeses o clipe de uma música é importante e o nosso foi gravado na ponte que une Oiapoque e Saint George, com cenas das duas cidades, representando exatamente a união da qual falamos na letra”, relembra Zé Miguel.

O show, que faz referência à música, vai mostrar esse encontro, entre culturas de países diferentes, mas que mostra muita similaridade. “Temos muito em comum, nossa cultura é similar, nossos povos dividem até o idioma, vemos amapaenses falando o francês com fluência e franceses falando português, a construção da ponte que une as duas cidades só concretizou uma união que já existia”, observou o cantor.

Embora um pouco afastado dos palcos, esse será o primeiro show em 2019. Zé Miguel não se afastou da carreira, atualmente tem se dedicado a colocação das suas músicas nas plataformas digitais. “A tecnologia trouxe a dificuldade da venda de CDs, atualmente são as plataformas digitais que fazem sucesso e estou me dedicando a isso, o que não impede de trabalhar minha carreira com mais assiduidade”, finalizou.

Roseline Jersier

Uma guianense, apaixonada por ciência e matemática que sonhava em ser astronauta e acabou se transformando em uma das maiores referências musicais da Guiana Francesa. Está é Roseline Jersier, cantora formada em jazz por uma das maiores escolas de Paris, ganhadora de prêmios e concursos culturais. Se apresentou em vários locais em Caiena, Paris e durante três anos foi produzida pela LB Records, representada pelos irmãos Lancri, dos Estados Unidos. Os Lancri também produziram dois álbuns da cantora e, foi através deles que se apresentou no Zenith de Paris durante o Big Bad Zouk. Seu último álbum foi distribuído na Fnac de Paris.

A cantora também se apresentou várias vezes no Brasil. No Amapá, além de se apresentar ao lado de cantores amapaenses, Roseline gravou a musica “A Ponte” no último álbum do cantor e compositor Zé Miguel, que divide com ela a parceria na composição da música. Além disso, a cantora fará uma participação especial na gravação do próximo álbum do cantor e compositor Finéias Nelluty.

Confira um dos grandes sucessos de Roseline Jersier (Dernier soupir)

Zé Miguel

Primogênito de uma família de seis irmãos, Zé Miguel optou pela carreira musical desde muito cedo. Iniciou cantando em  Igreja Evangélica. A voz bem afinada encantava os fieis e, em pouco tempo, o pequeno artista era um dos preferidos para subir ao púlpito da igreja.  Cresceu buscando realizar o sonho de se tornar um grande guitarrista. Paralelo a isso, começou a exercitar o hábito de compor suas próprias canções, inicialmente com a intenção de participar dos festivais da época, depois tomou gosto pela coisa e seguiu adiante. Com uma carreira amadurecida e consolidada, Zé Miguel lançou seis Cds solo e um DVD. Já  dividiu o palco com grandes nomes da música nacional e internacional. Participou de shows em diversos estados brasileiros e é, reconhecidamente, um dos maiores nomes da música popular amapaense.

Relembre um dos grandes sucessos de Zé Miguel (Vida Boa)

Deixe Seu Comentário abaixo: