Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


domingo, 11 de fevereiro de 2018

JUSTIÇA | Amigos relembram que advogado amapaense já concorreu a Tribunal Federal

Marcelo Porpino Nunes, no Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)
O advogado amapaense Marcelo Porpino Nunes já teve o nome selecionado num rigoroso processo de escolha da lista sêxtupla, em 2015, que dá à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) uma cadeira na composição de um dos principais tribunais federais do país – pelo chamado Quinto Constitucional – no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília.
Em uma rede social, neste feriadão, amigos do causídico amapaense falaram do orgulho de ver um amapaense representar o Amapá e a Região Norte na disputa da OAB Nacional, para compor o Egrégio Tribunal Regional Federal da 1ª Região – que engloba Mato Grosso, Acre, Amazonas, Amapá, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantis.
O advogado Hércules Fajoses foi eleito o novo desembargador federal. Já o advogado amapaense, à época, falou do orgulho de ter figurado na lista sêxtupla. "Fui escolhido pelo Conselho Federal da OAB em Brasília para integrar a lista sêxtupla acima referida. Não fui o escolhido, mas essa vitória foi da Advocacia Amapaense", completou o advogado.

O rito
As inscrições foram abertas para advogados de 14 estados brasileiros e somente seis foram os escolhidos. "Muito feliz e honrado em representar o Amapá neste complexo certame que tem por objetivo escolher o novo Desembargador do Quinto Constitucional da vaga destinada à OAB Nacional", avaliou Marcelo Porpino, logo após a disputa. 
A lista foi encaminhada para o TRF da 1ª Região que a reduziu para três nomes. Posteriormente, a lista tríplice foi encaminhada à chefe do Poder Executivo – à época Dilma Rousseff – que então, nomeou Hércules Fajoses o novo Desembargador Federal. Apoiado nos bastidores pelo então vice-presidente Michel Temer (PMDB), o advogado passou a preencher a cadeira decorrente da aposentadoria do desembargador Carlos Olavo Pacheco de Medeiros. Hércules disputava a cadeira com outros dois juristas, os advogados Gerson Ney Ribeiro Vilela Júnior e Almino Afonso.

Nota da Redação:
A direção do Blog esclarece que foi induzida a um erro logo na primeira versão deste post, após ter recebido em nossa 'Timeline' do Facebook a notícia como se atual fosse. Somente após alguns internautas terem percebido e manifestado por mensagem que o episódio era de 2015 e que alguém estaria apenas "recordando" este feito do advogado Marcelo Porpino é que atualizamos as informações, o que, indiscutivelmente, não tira o mérito e a relevância do feito dele, que atualmente até está afastado da advocacia, pois toca o cartório de registro de imóveis que pertence à sua família. Pedimos desculpas por eventuais transtornos.

O editor



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE