Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


domingo, 17 de dezembro de 2017

CIDADE | Passageiros denunciam precariedade de ônibus na Rodoviária de Macapá

O mosaico de fotos mostra o estado do veículo: limpador amarrado, pneus rachados, volante colado e fiação exposta
Passageiros da linha Macapá-Serra do Navio, da empresa Viação Santanense, estão denunciando a precariedade do ônibus que fez a rota na manhã deste domingo, às 7h45. Através de fotos de celular enviadas à nossa Redação, revelam a precariedade e a insegurança de um transporte intermunicipal que é responsável por viagens diárias, mas que por vezes nem terminam. 
O limpador de para-brisa, por exemplo, era amarrado com linha de pesca, uma famosa 'gambiarra' feita pelo motorista para tentar fazer funcionar as palhetas do equipamento – fundamental para um dia de chuva como o de hoje, numa estação invernosa que está só começando.
Em mensagem por WhatsApp um passageiro diz que o carro escalado para fazer a viagem até Serra do Navio, distante 200 quilômetros de Macapá, nem é dos piores. "Existem outros ainda mais esculhambados, por isso é comum infelizmente quebrarem na viagem e a gente fica no meio da estrada", diz o denunciante, que felizmente telefonou horas depois para dizer ter chegado ao destino.

Vida útil
No interior do ônibus, os passageiros registraram ainda mais flagrantes de irregularidades, que na verdade o próprio aspecto já demonstra a péssima condição de manutenção e conservação do veículo. O volante tinha uma bandagem com fita adesiva, além de muita fiação exposta e até sujeira. "É um desrespeito completo com os usuários do transporte coletivo", diz outra passageira, que lembra ainda da dificuldade para conseguir uma das duas vagas para idosos – que tem direito à gratuidade. 
Do lado de fora, outra preocupante constatação: os pneus estão há muito tempo vencidos. Pelo que se sabe, um pneu pode receber apenas uma recauchutagem, que é quando uma nova banda de rodagem é aplicada por empresas especializadas. "Mas os pneus estão com a borracha toda estourada", diz o passageiro que não quis se identificar e nos enviou fotos com as imensas rachaduras nos pneus do ônibus, identificado pelo número de série 320-10-19, que apontaria estar com sete anos de uso.

Outro lado
A reportagem fez o contato com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (SETAP) e ouviu do assessor de comunicação, jornalista Renivaldo Costa, que as vistorias são feitas anualmente pelo Departamento de Transporte, vinculado à Secretaria Estadual dos Transportes (SETRAP). "A gente não nega que possam ocorrer problemas como esse que foram relatados, mas isso tudo está relacionado à falta de uma política de tarifas, pois a do transporte intermunicipal está há muito tempo defasada e chega a ser mais baixa que a urbana", diz o representante. 
Na rodoviária nenhum funcionário do Departamento de Transporte foi localizado. Por telefone, o secretário estadual dos Transportes, Jorge Amanajás, se disse bastante preocupado e anunciou medidas administrativas junto aos setoriais envolvidos para verificar as responsabilidades e exigir soluções. 

2 comentários:

  1. Infelizmente tanto o executivo municipal e o legislativo são omisso em fiscalizar e perincipalmente dar um fim no monopólio do sistema de transporte coletivo. Licitação seria a solução mais viável.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado por sua leitura e a visita à nossa página. Interaja sempre que puder!

    O editor.

    ResponderExcluir

Contribua conosco!

PUBLICIDADE