Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


sexta-feira, 10 de novembro de 2017

POLÍTICA | Parlamentares do Amapá e Pará querem um novo debate sobre a Renca

Parlamentares dos estados do Amapá e Pará foram recebidos em Brasília (DF), pelo ministro das Minas e Energia (MME), Fernando Coelho Filho. No encontro, foi tratado sobre a participação do ministério na audiência pública mista, proposta pelo deputado federal Cabuçu Borges (PMDB/AP), a ser realizada no Congresso Nacional, dando sequência nas discussões a respeito da Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca), localizada em território dos dois estados Amazônicos.

Os representantes do Amapá, deputada Roseli Matos (PP), Edna Auzier (PSD) e Augusto Aguiar (PMDB), juntamente com o deputado do Pará, Sidney Rosa (PSB), ressaltaram que não pode prevalecer o interesse dos atores externos, que só pensam em proibir a exploração das riquezas existentes na Amazônia, sem levar em conta a necessidade da sociedade que vive na região. Os deputados federais Cabuçu Borges e Francisco Chapadinha Alves de Aguiar (PTN/PA), com apoio do senador Flexa Ribeiro (PSDB/PA), reforçaram o interesse dos dois estados sobre reabrir a discussão da extinção da Renca, conforme deliberação da sessão especial conjunta das Assembleias Legislativas do Amapá e Pará, realizada dia 30 outubro deste ano, na capital paraense.

O ministro Fernando Coelho Filho parabenizou a iniciativa e colocou à disposição toda sua assessoria técnica para contribuir com os estudos técnicos, para qualificar o debate sobre o potencial da exploração dessa reserva mineral, para o fortalecimento da economia dos dois estados, sem, com isso, deixar de observar os preceitos ambientais de cada unidade de conservação existente na área da Renca.

Segundo Fernando Coelho Filho, em razão da mídia negativa, quando assinado o decreto de extinção e sua posterior revogação, é de extrema importância que seja apresentada a proposta de revogação pelos estados, depois de debate com os órgãos ambientais e com a população envolvida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE