Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


quarta-feira, 25 de outubro de 2017

WEB | Ranking de site que une senhores bem-sucedidos e moças jovens inclui o Amapá

Foto ilustrativa/Web
O “mercado sugar” está em grande ascensão. Intitulado “Relacionamento Sugar”, o conceito tem como objetivo unir senhores endinheirados com mocinhas jovens. Uma espécie de “união por “contrato” e sem cobranças. O Universo Sugar – principal rede de relacionamento nessa modalidade que promove o encontro dos casais – divulgou os estados com maior número de usuários. Segundo o levantamento, São Paulo lidera com 7.582 inscritos. Goiás aparece em segundo lugar com 6.894, seguido por Minas Gerais, com 5.012. Na região nordeste, o estado da Bahia, com 3.538. Já o Rio de Janeiro surge na quinta posição com 3.206. O Amapá também figura na lista, mas com apenas 302 participantes.
De um lado, mulheres bonitas postam fotos, junto com a estimativa de quanto querem receber em presentes, mimos e dinheiro. Do outro, os homens disponibilizam perfil, renda média e expectativas. Eles estão dispostos a pagar mesadas, mimos e até dinheiro vivo em troca de atenção ou de encontros. Diferente de serviços de acompanhantes e prostituição, a rede social incentiva a continuidade da relação.

Regras
O cadastro para o público feminino é gratuito, portanto o número mulheres inscritas é superior ao dos homens. A plataforma também procurou entender as razões que levaram as mulheres a entrarem na rede. Segundo o resultado da pesquisa, dentre os diversos motivos respondidos pelo público feminino, o principal é o recebimento de mimos. Elas querem ser mimadas com muitos presentes ostentosos.
Autêntica, carismática e cheia de si, a advogada e Sugar Baby carioca Janine Del Nero rompeu um noivado de oito anos. A jovem conta que o principal motivo para o término foi o fato de estar cansada de carregar os homens nas costas, ou seja, de assumir o papel de provedora nos relacionamentos. “Eu sempre namorei caras que tinham uma condição financeira bem inferior à minha. Toda vez que a gente saia era eu que bancava. Hoje, o que eu quero é uma pessoa independente, porque com os outros eu não pude contar. Hoje, o que busco no site, uma pessoa mais velha, com uma situação financeira igual ou melhor que a minha”, declarou a carioca.

Dados da participação de homens do Amapá na rede social 

Número total de usuários em Macapá: 302

Profissão dos Daddies: ( Homens que bancam)
Empresários: 38,7%
Advogados: 12,04%
Funcionário público: 16,2%
Médico: 10,5%
Engenheiros:9,84%
Outras profissões: 6,82%
Autônomos: 5,9%

Renda mensal dos Daddies:
Até 10 mil: 49,62%
Até 20 mil: 16%
Até 30 mil: 15,6%
Até 40 e 50 mil: 9,4%
De 50 a 100 mil: 8,2 %
Acima de 100%:  1,18%

Idade dos Daddies:
30 a 36: 34,3%
37 a 41: 26,4%
42 a 65: 39,3%

Escolaridade das Babies: (Mulheres)
Até segundo grau: 30,9%
Superior cursando: 18,4%
Superior completo: 11,6%
Técnico: 13,2%
Superior incompleto: 15,5%
Pós-graduado: 6,3%
Outros 4,1%

Idade das Babies:
18 a 20 anos: 28,2%,
 21 e 25 anos: 42,4%
 26 a 30: 12,7%
 31 a 36: 10,5 %
Acima de 37: 6,2%

Profissão
23 % autônomas
20,8% vendedora
17% microempresárias
10,2% modelo
9,6% assistente
8,3% recepcionistas
5% educadoras
Outras profissões 6,10%

*Fonte: Anne Viana
Assessora de Imprensa 
imprensa@universosugar.com

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE