Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


terça-feira, 10 de outubro de 2017

TURISMO | Diário de um viajante: O prazer de escrever sobre as suas viagens

VIAJANTE | É assim que os amigos de Paulo Celso costumam trata-lo no íntimo, pois reconhecem nele uma valiosa fonte de informações sobre como aproveitar melhor um passeio turístico. Também dá boas dicas de segurança.
Uma grande viagem tem muitos atrativos, lugares, personagens, experiências, prazeres, enfim, é algo para se guardar na memória. Mas certas pessoas como Paulo Celso Ramos dos Santos, gostam mesmo é de registrar esses momentos mágicos. Exímio escritor, organizou alguns de seus ‘diários de bordo’ em uma página na internet. Trata-se do Blog Diário de um Viajante, um espaço atraente e muito bem humorado que está perto de registrar 20 mil seguidores desde que foi criado. Trata-se de uma página que empresta ainda mais credibilidade por se tratar de testemunhos de quem fez a viagem e não tem essa de que se ouviu falar.
Paulo Celso, que em Macapá é um atuante promotor de Justiça, diz que viajar é um de seus maiores prazeres na vida. “Meus amigos me chamam de Viajante. Para cada viagem que realizo sempre tenho uma outra esperando. Fico irrequieto quando passo muito tempo em terra (uma espécie de crise de abstinência de lanche de avião). Viajar é um dos grandes prazeres da vida. Um vício gostoso com sabor de quero mais”, descreve-se ele em seu perfil no Blog.

O começo
Ele diz que pensou em publicar suas dicas e serviços de viagem depois que uma amiga pediu sua ajuda antes de fazer uma viagem internacional. “Recebi um whatsapp de uma amiga dizendo que iria viajar para Lima e gostaria de algumas dicas de viagem. Sem pensar duas vezes, comecei a digitar uma mensagem e quando dei por mim já havia escrito um texto. Isso me deixou extremamente feliz, pois, sem querer, voltei a fazer uma das coisas que mais me dá prazer, além de viajar, é claro: escrever sobre minhas viagens!”, derrete-se Paulo Celso, que gosta de viajar na companhia da família, em especial os filhos Paulo André e Alícia.
Na página de Paulo Celso, existem registros de viagens internacionais e também sobre alguns dos principais destinos turísticos no Brasil, como a ensolarada Natal. Sobre sua ida à capital do Rio Grande do Norte, ele escreveu o seguinte: 
“Conhecida como a Cidade do Sol, já que o verão marca sua presença durante a maior parte do ano, Natal, capital do Estado do Rio Grande do Norte, foi fundada em 25 de dezembro de 1599. A capital Potiguar, além de possuir um litoral paradisíaco, ostenta os títulos de umas das cidades mais seguras do país e com a melhor qualidade de ar das Américas, características estas que a colocam no ranking de uma das cidades brasileiras mais procuradas para o turismo.”
*Com autorização do autor.

Dar ou não dar gorjeta? O que isso representa?

Depois de saborear um delicioso jantar na Riviera Francesa, de rir litros com as estórias simples contadas por um taxista mexicano ou ser recebido com um doce e meigo sorriso pela camareira de um hotel em Bangkok, nos perguntamos: Como agradecer tais gentilezas? É recomendado dar gorjeta? Quanto dar?  Os questionamentos podem parecer bobos, porém são de grande relevância, já que o ato de dar gorjeta, dependendo do lugar, poderá gerar sentimentos de grande satisfação, como também de verdadeira ofensa, e será compatível com o nível de dedicação do serviço prestado. Alguns autores dizem que a origem da palavra GORJETA se reporta a Inglaterra do século XVII, onde a denominação TIP representava a junção das iniciais das frases to insure privacy (para garantir privacidade) e to insure proptness (para garantir prontidão), que eram usadas “quando alguém dava um shilling (moeda da época) ao cocheiro para este entregar uma carta de amor secreto ou para garantir a entrega efetiva de uma correspondência”. Na prática, o ato de dar gorjeta se consubstancia na ideia de retribuir a gentileza e dedicação de um bom prestador de serviço - Ir muito além daquele fundamental e previsível MUITO OBRIGADO!

Dicas sobre como curtir a bela cidade de Lima, no Peru

Lima, apesar de não estar entre as minhas cidades favoritas, tem seus encantos e possui muitos lugares interessantes para se conhecer. O ideal é começar com uma caminhada na orla do Pacífico, principalmente no trecho que fica em Miraflores, entre o Parque del Amor e o Shopping Center Larcomar - o mais bonito da cidade! Não por causa de suas lojas, mas tão só pelo visual. A propósito, quando forem reservar algum hotel, indico os bairros de Miraflores (agradável, com ótimos restaurantes e lojas) e San Isidro (relax, arborizado e com prédios modernos).

Roteiro - Uma coisa interessante de Lima é que a maioria de seus pontos turísticos podem ser visitados por conta própria, sem a ajuda de agências de turismo. Aproveitem para fazer uma caminhada pelo centro histórico da cidade. Nele encontramos a Plaza de Armas, a Catedral, o Palácio Episcopal, o Monastério de Santo Domingo e o Convento de São Francisco. Para não perder muito tempo com o trânsito, o ideal é ir ao centro no sábado ou no domingo. Por falar em trânsito, o de Lima é extremamente caótico. Portanto, se pensaram em alugar um carro, desistam! É melhor utilizar os serviços de táxis. Em relação a tais serviços, diria que tomar um táxi na porta do hotel ou reservar com o pessoal da recepção é geralmente mais caro. Antes de saírem, acertem previamente o valor da corrida com o taxista – os táxis de Lima não possuem taxímetro. E, finalmente, ao circularem pela cidade, todo cuidado é pouco! Attention com bolsas e câmeras!
Vale a pena fazer um passeio a Pachacamac (ruínas de uma grande cidade, com pirâmides e templos). Fica a aproximadamente 40 km do centro de Lima – durante o passeio, não esqueçam de usar tênis e tomar bastante água. O calor é de matar!

CURIOSIDADES

Restaurantes - As gorjetas podem variar até 20%. Nada - serviço ruim; 10% - serviço regular; 15% - serviço bom e 20% - serviço excelente.
Bares - no balcão: $1 por cerveja ou $2 por drinque. Nas mesas: 10 a 15% de gorjeta.
Hotéis - carregadores: $1 por mala. Camareira: $1 a $10 por noite.
Entregas - $2 a $5
Guias - Sempre bem-vindas, o valor fica a critério.
US$5
Valor aproximado da gorjeta por uma corrida de táxi que custa US$ 24. (A fórmula em Diário de um Viajante)

COM OS FILHOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE