Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


sábado, 21 de outubro de 2017

SEGURANÇA | Estado promete rigor para apurar homicídios em série em Macapá

Dirigentes da Sejusp em coletiva. | Texto: Lilian Guimarães Foto: André Rodrigues/Secom
A cúpula da Segurança Pública se reuniu na manhã seguinte às execuções em série que ocorreram em vários bairros de Macapá e traçou uma estratégia para garantir tranquilidade na capital durante o fim de semana e impedir que novas mortes em série ocorram. À tarde, os chefes das forças policiais receberam a imprensa para anunciar as ações e garantir que as investigações sobre as mortes serão intensificadas. A entrevista coletiva ocorreu no auditório da Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

O comandante da Polícia Militar (PM), coronel Rodolfo Pereira, garantiu que as polícias estão empenhadas em encontrar os acusados. “Estamos com equipes nas ruas atrás de informações que levem aos autores desses crimes e que subsidiem as investigações da Polícia Civil”, assegurou o militar.

Além dele, participaram da entrevista o secretário de Justiça e Segurança Pública, Ericláudio Alencar, e a delegada-geral de Polícia Civil, Maria de Lourdes Sousa. Eles não revelaram detalhes das ações que serão implementadas, mas garantiram que novas medidas serão aplicadas. “Haverá algumas mudanças no policiamento para buscar mais eficiência na resposta a este tipo de ocorrência. A partir de hoje uma nova postura será adotada, com uma mobilização mais concentrada”, informou o coronel Rodolfo.

O secretário Ericláudio disse que o nível de alerta foi aumentado pelas forças de Segurança Pública e que as investigações estão avançando, mas é preciso ter cautela para apontar suspeitos. “Não podemos lidar com especulações, por isso temos que ter muita cautela, pois o bandido se aproveita destes momentos. Temos indicativos de uma guerra entre facções do tráfico, que estão deixando suas vítimas, mas temos que apurar tecnicamente. Temos índice de resolução acima de 80% em casos de homicídios”, analisou Alencar.

A delegada-geral Maria de Lourdes informou que a Delegacia Especializada em Crimes Contra a Pessoa (Decipe) está à frente dos casos. “Nós somos os maiores interessados em esclarecer essas mortes. Não pode pairar nenhuma dúvida sobre a autoria desses crimes. Vamos usar todos os recursos disponíveis para elucidar essas mortes”, garantiu a delegada.

À tarde subiu para sete o número de vítimas dos assassinatos em série que ocorreram entre o final da noite de quinta-feira, 19, e a madrugada de sexta-feira. Testemunhas deram a mesma descrição para os crimes: quatro homens encapuzados em um carro escuro e sem placa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE