Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


sábado, 28 de outubro de 2017

GUIANA | Em primeira viagem à Caiena, presidente francês encontra Caiena em ebulição

Cleber Barbosa
Da Redação

A Guiana Francesa está em ebulição política diante de toda a movimentação gerada com a primeira viagem oficial do novo presidente da França, Emmanuel Macron. Muitos movimentos locais tentam uma agenda com ele, mas o principal problema é a pauta do movimento chamado “500 Irmãos”, que segundo informações de fontes do administração da Guiana amearia uma independência caso o governo central não banque o repasse recursos que havia sido acordado com seu antecessor, François Hollande.
Segundo a reportagem apurou, o grupo daqueles que se rebelaram contra a colonização francesa quer autonomia financeira para assumir a gestão de setores importantes como infraestrutura, saúde e educação.
Apesar do alto nível de estresse, não foram registrados casos de gente ferida ou violência nas ruas, mas os brasileiros que moram na Guiana Francesa – cerca de 50 mil – acompanham com preocupação todos os acontecimentos. Uma delegação de autoridades do Amapá está em Caiena, entre elas parlamentares da Comissão de Relações Exteriores da Assembleia Legislativa e também o prefeito de Macapá, Clécio Luiz Vieira.

Ouvintes
Falando de Caiena ao Blog do Cleber Barbosa neste sábado (28), o radialista amapaense Leonardo Trindade disse, por telefone, que era grande a apreensão com relação ao clima de instabilidade política da Guiana Francesa. “Então acabou sendo providencial a vinda da representação do Parlamento Estadual, para ouvir o relato dos brasileiros e também buscar junto a autoridades locais o apoio de todos”, disse ele.
A comitiva amapaense esteve reunida com o cônsul do brasil em Caiena, o diplomata Afonso Nery, que procurou tranquilizar a todos e encaminhou para uma mobilização em relação a demandas reprimidas, como a falta de voos regulares entre Macapá e Caiena e a flexibilização do visto hoje ainda obrigatório para a entrada de brasileiros em território da Guiana Francesa.

3 comentários:

  1. Bom dia,

    sou brasileira e vivo na Guiana francesa. Posso lhe afirmar que o movimento não é separatista. É UM MOVIMENTO popular que tentou expor a falta de eficacidade dos políticos locais. Não tem ameaça de independência atualmente, mas o pedido talvez que a política seja elaborada com a realidade do território. O desejo é realmente que o acordo seja atado pelo bem do desenvolvimento local.
    Não é bem uma autonomia, mas sim que esses setores sejam realmente privilegiados pois é onde encontramos com grande problema de desenvolvimento.
    Outra parte contraditória: " HOUVE CONFRONTOS SEXTA-FEIRA à noite toda. Houve até politicos que estavam no movimentos que foram feridos.
    Amigo posso lhe ajudar a escrever o seu artigo. Desculpa, mas muita informação errada.

    ResponderExcluir
  2. Ok Vaneza, agradeço por seu interesse em restabelecer a verdade dos fatos. Temos muita dificuldade para ter acesso a informações a respeito do que realmente aconteceu por aí nesses dias. Estou editando o conteúdo da postagem com base em suas valiosas informações.

    Cleber Barbosa
    Jornalista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui minha pagina no facebook: Falo um pouco sobre a vida dos imigrantes na Guiana francesa.

      por ai nega :
      https://www.facebook.com/minhavidanaGf/videos/vb.1606915966234578/1921477384778433/?type=2&theater
      publiquei um vídeo falando sobre os acontecimentos.

      Brasileiros na Guiana francesa: é uma pagina onde tentamos passar algumas informações para comunidade.
      https://www.facebook.com/Brasileiros973/?hc_ref=ARSlXUYPH3C96kWN9SSdgha5sRI7KL6UVi6nwXZsVPAWYx2EuRbGkoW5B3PPN15vLLM

      Excluir

Contribua conosco!

PUBLICIDADE