Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


segunda-feira, 11 de setembro de 2017

AGRO | Publicação sobre doenças em pirarucus de cultivo lançada no 'Café com Ciência'

O lançamento de uma publicação técnica dirigida aos técnicos, piscicultores e pesquisadores desta área, abordando sintomas de infecção causados por bactérias em pirarucus de cultivo, fez parte da programação do I Café com Ciência” da Embrapa Amapá, realizado no dia 5/9, na biblioteca “Dr Dorival Pimentel”, instalada no atual prédio há 26 anos. Intitulado "Bacterioses em alevinos de pirarucu de cultivo, com ênfase em edwardsielose e aeromonose", o Comunicado Técnico (clique aqui encurtador.com.br/xHIST) tem como autores Aldo Aparecido Proietti Junior, Luciana Sampaio, Francy Mendes Nogueira Cardoso, Dália dos Prazeres Rodrigues e Marcos Tavares Dias.
O objetivo do “Café com Ciência” é divulgar os conhecimentos especializados gerados pelo centro de pesquisa, publicados nas Séries da Embrapa. “Sempre que um ou mais trabalhos forem inseridos no Sistema de Gestão do Acervo Documental e Digital da Embrapa (Ainfo) e, posteriormente, disponibilizados em um dos repositórios Alice ou Infoteca, a equipe da biblioteca destacará o lançamento dessas publicações por meio do evento”, explicou a bibliotecária Adelina Belém. O primeiro evento contou com a presença do chefe-geral da Embrapa Amapá, Jorge Yared, equipes técnicas e empregados lotados nos diversos setores da instituição, além de bolsistas e estagiários.
O autor Aldo Aparecido Projetti Junior, professor da Universidade Federal do Amapá (Unifap) e doutorando da Rede Bionorte, explicou que o Comunicado Técnico remete à uma ocorrência identificada durante o desenvolvimento de sua pesquisa, sob orientação do pesquisador da Embrapa Amapá, Marcos Tavares Dias. “Percebemos nos alevinos que estávamos trabalhando, alguns sinais e sintomas que não estavam bem descritos. Na busca para sabermos a etiologia e tentar um tratamento ou recuperação, chegamos ao isolamento dos microorganismos Edwardsiella tarda,  Aeromonas hydrophila e Aeromonas jandaei ”, destacou Aldo Junior, mestre em microbiologia. Ele acrescenta que a equipe buscou abrir o leque da pesquisa e concentrar-se em um comunicado técnico acessível para o piscicultor e também para os técnicos que queiram atuar no desenvolvimento deste estudo. “Fechamos nestes dois grandes gêneros de bactérias (Edwardsiella e Aeromonas), porque nestes três anos de pesquisa são os principais agentes etiológicos que encontramos com maior índice de mortalidade de infecção nos peixes cultivados na Embrapa Amapá. Traz dados da população, interpretação e identificação, então é um documento que aborda a fisiologia do microorganismo in vitro e os aspectos da fisiopatologia da doença em pirarucus”.
A conclusão é de que trata-se de uma infecção polimicrobiana. Porém, até que conseguissem desvendar os agentes causais, ocorreu a perda de 1.400 peixes. Aldo Proetti Junior chamou a atenção para o fato de que a alta letalidade e a necessidade de diagnóstico precoce faz com que seja fundamental divulgar esta ocorrência aos piscicultores porque, se dentro de condições experimentais de campo não conseguiram controlar, em áreas de cultivo de produtor efeito pode ser mais devastador. “Por isso escrevemos o documento como um comunicado técnico, a partir de uma abordagem simples para as pessoas entenderem a doença. É importante para piscicultores e pesquisadores entenderam como chegar ao diagnostico”, ressaltou o doutorando.
O comunicado, acrescentou Aldo Proetti Junior, tem a vantagem e facilitar ao piscicultor e ao pesquisador a leitura e entendimento com relação à interpretação de sinais e sintomas para se definir o diagnóstico da doença e partir para o tratamento mesmo antes de se chegar ao laudo do isolamento do microorganismo. “Buscamos descrever o mais detalhado possível, não só como fazer, mas todo o modo de fazer e a interpretação de resultados”.
O pesquisador Marcos Tavares, também co-autor, lembrou que esta pesquisa integra um contexto de estudos voltados para o pirarucu da Amazônia, e neste estudo específico foram firmadas parcerias estratégicas com a Unifap, por meio da participação do professor Aldo Proetti Junior, e com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), do Rio de Janeiro, com a pesquisadora Dália Rodrigues, ambos microbiologistas.
A literatura científica sobre infecção bacteriana em pirarucus ainda é escassa, e o desafio agora é seguir nesta linha de trabalho intensa, buscando não só as possibilidades de tratamento (preventivo e curativo) – que faz parte do projeto da tese do professor Aldo Proetti Junior, mas também a preocupação no diagnóstico de doenças, a precocidade e o entendimento do que é uma bacteriose e qual seu efeito na produtividade de uma piscicultura. Entre os microorganismos isolados existem os que causam infecção também no homem ao ter contato direto com peixes infectados pelos patógenos, como é o caso de Aeromonas hydrophila.
Durante a primeira edição do “Café com Ciência”, a bibliotecária Adelina Belém, enfatizou o acesso irrestrito das publicações técnico-científicas da Embrapa por meio dos repositórios digitais abertos Infoteca-e, Alice e Sabiaa, todos vinculados à Base de Dados da Pesquisa Agropecuária (BDPA). Para acessar publicações editadas em linguagem fácil – em comunicados, cartilhas, livros, manuais, programas de rádio e de televisão, clique no link do repositório de informação tecnológica (Infoteca-e): https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE