Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


terça-feira, 19 de setembro de 2017

AGRO | Pesquisadores apresentam propostas para desenvolvimento do Vale do Araguari

Os resultados parciais de onze trabalhos realizados por pesquisadores na região do Vale do Araguari foram apresentados nesta terça-feira, 19, em seminário, no auditório do Museu Sacaca. A atividade faz parte do Programa de Fomento à Pesquisa no Vale do Araguari, que objetiva financiar a execução de projetos de pesquisa que impulsionem o desenvolvimento econômico da região sobre influência da usina hidrelétrica de Ferreira Gomes, por meio de auxílio financeiro, assessoramento e monitoramento. 
O evento foi promovido pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Amapá (Fapeap) -  instituição vinculada à Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia (Setec) e contou com o apoio da empresa Ferreira Gomes Energia (FGE).
As pesquisas foram selecionadas por meio de chamada pública realizada pela Fapeap no ano passado. Os projetos estão sendo desenvolvidos por pesquisadores vinculados às instituições de ensino e pesquisa sediadas no Estado.  Dessas, quatro projetos são da Universidade Federal do Amapá (Unifap), três do Instituto de Pesquisas Cientificas e Tecnológicas da Amapá (Iepa), três da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa/AP) e um da Universidade do Estado do Amapá (Ueap).
Entre os trabalhos apresentados durante o seminário estava o da pesquisadora do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa), doutora Ediluci do Socorro Malcher, a respeito do aproveitamento tecnológico do açaí, cupuaçu, tucumã e pupunha provenientes da Região do Araguari. Na ocasião, ela explanou sobre o desenvolvimento dos produtos que podem ser aproveitados para fins funcionais que servem para muitos fins, como medicamentos.
Um dos produtos estudados é a polpa pasteurizada de cupuaçu, que pode ser conservada em temperatura ambiente e utilizada em comunidades onde não há energia elétrica, além da extração do óleo da fruta para utilização em cosméticos e no ramo alimentício, além da viabilidade do encapsulamento dos ácidos graxos existentes na fruta, considerados poderosos antioxidantes.  
A pesquisadora também falou sobre o fruto açaí que possui antocianina, benéfica a saúde, principalmente na ação cardiovascular do corpo. “Queremos que nossas pesquisas possam beneficiar não apenas a população do Vale do Araguari, mas que estes conhecimentos possam ser expandidos para sociedade em geral”, afirmou Ediluci.
Outra pesquisa divulgada foi a diversidade botânica na confecção de bijuterias e joias artesanais nos municípios Ferreira Gomes e Porto Grande de autoria da doutora Maria Aparecida dos Santos, também do Iepa. A pesquisadora fez o levantamento da variedade de espécies vegetais utilizadas para a produção de bijuterias como colares, pulseiras, brincos entre outros. Ela destaca que o artesanato é um campo crescente de mercado. 
“Iremos verificar se a atividade é importante dentro do município como fonte alternativa de renda para os moradores. Identificamos como principais sementes que podem ser utilizadas: do açaí, do tucumã e da bacaba”, ilustrou Aparecida.
O coordenador de projetos da Fapeap, Edilson Mendes Pereira, explica que o próximo passo será o processo de integração dos resultados de cada tema explanado com as comunidades do Vale do Araguari, na qual os pesquisadores e técnicos das instituições parceiras irão repassar as informações por meio de cursos e palestras. “Iremos trabalhar in loco com a população desses municípios buscando melhorar o nível de produtividade e diversificação no aproveitamento dos recursos naturais da região”, explicou Mendes.
A etapa final do programa está prevista para acontecer no mês de março de 2019, momento em que serão apresentados os resultados finais das pesquisas.
Texto e foto: Fabíola Gomes/Secom

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE