Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


quinta-feira, 17 de agosto de 2017

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, quinta-feira, dia 17 de agosto de 2017.


Prédio

Na principal avenida da capital Macapá, a Av. FAB, a chegada do primeiro ‘arranha-céu’ está sendo anunciada para o próximo mês de novembro, o Edifício ACIA, primeiro grande prédio construído depois das mudanças no Plano Diretor Urbano da cidade.

Parceria

O empreendimento é uma parceria da ACIA com a Construtora ICON. A parceria consiste, entre outros acordos, no compartilhamento de espaços na nova construção, modalidade presente no mercado nacional.

Ajustes

Segundo o presidente da ACIA, empresário Altair Pereira, esta semana ocorreu a retirada do tapume que protegia a construção, algo emblemático, admite, mas que também possibilita as obras de acabamento.

Versátil

O edifício tem 19 andares, sendo que a Acia terá direito a três. O andar térreo para locações, o primeiro piso, com auditório e espaço multiuso, assim como a cobertura para abrigar sua Sede Administrativa.

História

À época do início da construção, em 2009, a Acia era presidida pelo empresário Gilberto Laurindo, que disse ter sido uma longa caminhada até “desatar os nós” que dificultavam grandes empreendimentos.

Brilho
 É impossível não perceber uma sensível mudança na paisagem urbana de Macapá, que de uns anos para cá começou a se ‘verticalizar’, alternativa praticada nas grandes cidades quando começam a faltar espaços no horizonte para a expansão imobiliária. Na foto, o Acia Oficce Center, imóvel que deverá ser entregue em novembro deste ano.

Setor

Sobre essa boa novidade, a coluna ouviu também o empresário Jaime Nunes, representante de toda uma geração de empreendedores amapaenses que fazem o Amapá que dá certo. Para ele, a entrega desse prédio é, de fato, emblemática. “Mostra o comprometimento desse setor’, diz Jaime.

Pujança

Jaime Nunes lembra ainda da virada ocorrida ainda em 2014, quando do anúncio de que já não era mais o serviço público quem mais gera empregos no Amapá. Para ele, esses dados mostram um direcionamento importante da economia, da pujança dos investidores, especialmente dos investimentos privados.

Know-how

Outro registro é para a empresa construtora, a ICON, que é genuinamente amapaense, e que apresenta em seu portfolio vários empreendimentos importantes, contribuindo de maneira decisiva para a evolução da paisagem urbanística de Macapá e do crescimento do Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE