Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


quarta-feira, 16 de agosto de 2017

EDIFÍCIO ACIA | Primeiro ‘arranha-céu’ da Avenida FAB será inaugurado em novembro

A visão da Av. FAB agora conta com o primeiro grande edifício na principal via do Centro de Macapá

Reportagem: Cleber Barbosa | Fotos: Bruce Barbosa


É impossível não perceber uma sensível mudança na paisagem urbana de Macapá, que de uns anos para cá começou a se ‘verticalizar’, alternativa praticada nas grandes cidades quando começam a faltar espaços no horizonte para a expansão imobiliária. E na principal avenida da capital do Amapá, a Av. FAB, a chegada do primeiro ‘arranha-céu’ está sendo anunciada para o próximo mês de novembro, o Edifício ACIA, primeiro grande prédio construído depois das mudanças no Plano Diretor Urbano de Macapá, uma outra grande demanda que a classe empresarial reclamava.
O empreendimento é uma parceria da Associação Comercial e Industrial do Amapá (ACIA) com a Construtora ICON. A parceria consiste, entre outros acordos, na cessão do terreno original e o compartilhamento de espaços na nova construção, uma modalidade presente no mercado em todo o país e que começou a ser editado no Amapá no final de 2009, com o acordo comercial com a ACIA.
Segundo o atual presidente da ACIA, empresário Altair Pereira, esta semana ocorreu a retirada do tapume que protegia a construção, algo emblemático, admite, mas que também possibilita as obras de acabamento do imóvel, ajustes finais de toda ordem e a entrada da mobília antes da inauguração. “Mas nos enche de satisfação, a todos os que compõe a Associação Comercial e Industrial do Amapá, afinal foram muitas dificuldades a serem superadas até chegarmos ao patamar atual”, comemora.


O prédio
O edifício tem dezenove andares, sendo que a entidade do comércio e da indústria amapaense terá direito a três. O andar térreo para locações – dois bancos já estão previstos –, o primeiro piso, que terá um auditório e um espaço multiuso, assim como a cobertura para abrigar sua Sede Administrativa. “Além disso, teremos vinte vagas no estacionamento do primeiro subsolo. Mas acima de tudo, com esses espaços multiuso, poderemos organizar conferências, encontros, debates, workshops, além de eventos culturais, como exposições, mostras culturais, enfim, ali deve ser um ponto de convergência mesmo”, diz Pereira.

Histórico
À época do início da construção, de 2009 para 2010, a ACIA era presidida pelo empresário Gilberto Laurindo, que disse ter sido uma longa caminhada até “desatar os nós” que dificultavam grandes empreendimentos imobiliários. Ele lembra que a partir da mudança nas regras de construção civil em Macapá, permitindo imóveis com mais pavimentos, houve o interesse de outras grandes empresas em erguer edifícios, editando parcerias com entidades como clubes de futebol. “Porém esses empreendimentos se depararam com outros gargalos, como a parte documental, ações judiciais e a titulação dos terrenos”, recorda Gilberto Laurindo, que hoje é conselheiro da ACIA.

Segmento
O Edifício ACIA – batizado oficialmente como Acia Oficce Center – tem no empresário Jaime Nunes um dos seus maiores entusiastas. Representante de uma geração de grandes empreendedores amapaenses, mais que isso, defensor de uma mobilização em torno de um Amapá que dá certo, Jaime Nunes diz que a entrega do edifício representa uma prova inconteste da capacidade do Amapá caminhar por suas próprias pernas. “E dizer aos quatro cantos sobre os empreendedores amapaenses, da pujança, do comprometimento que existe neste setor”, celebra Nunes.
Jaime lembra da virada ocorrida desde o anúncio de que já não era mais o serviço público quem mais gera empregos no Amapá. Para ele, esses dados mostram um direcionamento importante da economia, da pujança dos investidores, especialmente dos investimentos privados. “Não que não seja importante o contracheque do setor público, ele influencia muito ainda e impacta em praticamente em todos os comércios e nos demais setores da nossa economia”, diz o empresário, que complementa dizendo que o setor vem se expandindo, se modernizando, se aprimorando e mostrando uma capacidade de reação contra a crise. “E aí temos que destacar os nossos micros e pequenos empreendedores, que são muitos, empregam, fazem outro trabalho importante dentro do setor do comércio”, completa.


Sobre a ACIA
A ACIA foi fundada em 24 de julho de 1945, pouco tempo depois da instalação do Território Federal do Amapá, em 13 de setembro de 1943. Constituída como sociedade civil de direto privado, a Associação Comercial e Industrial do Amapá é a mais antiga organização de sociedade amapaense, representativa dos interesses das categorias econômicas do comércio, da indústria e dos serviços, em atividade permanente.
Hoje, a Acia continua sendo referência obrigatória quando o assunto é o desenvolvimento econômico do Amapá. A diversificação da matriz econômica obrigou a especialização na representação das novas e diversificadas categorias econômicas. No entanto, isso em nada alterou o papel da Acia na interlocução entre o poder público e os setores produtivos do Estado e, nesses, entre os vários segmentos que os compõem. Mantém-se, assim, na atualidade, como a mais importante entidade de representação das categorias econômicas amapaenses, resguardando, ao mesmo tempo, sua importância histórica originária.

Sobre a construtora
Empresa Construtora e Incorporadora da Construção Civil é genuinamente Amapaense, com sede na Av. Mendonça Furtado, 313 – Centro. Apresenta em seu portfolio vários empreendimentos importantes à sociedade Macapaense, contribuindo de maneira decisiva para a evolução da paisagem urbanística de Macapá e do crescimento do Estado do Amapá, gerando empregos, melhorando as condições de moradia, aumentando a arrecadação Municipal (taxas e impostos) e concentrando a demanda de serviços públicos diminuindo com isto os custos estatais.
A ICON - Indústria da Construção Civil Ltda, tem início em suas atividades em 2002, quando o então sócio-diretor Odelson Sales inicia a construção de um prédio residencial de quatro pavimentos, sendo um apartamento por andar com medidas de 126 m² cada. Na realidade tratava-se de um empreendimento de Pessoa Física, porém não se pode esquecer o sonho de uma Empresa Incorporadora, que em fim solidifica-se em 23 de dezembro de 2004.

Nestes dez anos, sempre esteve voltada para o mercado de unidades verticais (edifícios). Já entregou sete imóveis residenciais e um imóvel comercial. Todos com padrão tipo A.

A Paisagem
Av. FAB, marcada por abrigar os Três Poderes Públicos, agora recebe a entidade do comércio e da indústria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE