Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


terça-feira, 15 de agosto de 2017

DEFESA | Futuros comandantes do Exército iniciam viagem de estudos pelo Amapá

Alunos da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército no Setentrião. | Fotos: André Rodrigues/Secom-GEA
Uma delegação composta por 35 oficiais, alunos do 2º ano da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME) está no Amapá participando da “Viagem de Estudos Estratégicos do Curso de Comando e Estado-Maior do Exército (CCEM)". Nesta segunda-feira, 14, no Palácio do Setentrião, aconteceu o “Painel Político no Estado do Amapá”, organizado pelo Governo do Estado em parceria com a Universidade Federal do Amapá (Unifap). O objetivo foi proporcionar aos alunos do Exército Brasileiro uma visão do Estado do Amapá por meio de painéis temáticos, políticos, econômicos e militares para ajudar no planejamento das operações de segurança nacional.
Os oficiais percorrem todas as regiões do Brasil. O curso é uma atividade de coroamento dos estudos estratégicos no âmbito do curso, em que são ministradas aulas de política, geopolítica, relações internacionais e estratégia. Em 2017, o curso inicia pelo Amapá e encerra no Rio de Janeiro.
O CCEM é destinado a majores e tenentes-coronéis com mais de 20 anos de serviço, visa preparar os futuros chefes militares e assessores de alto nível do Exército. A capacitação habilita os oficiais à promoção ao posto de oficial-general. O ingresso ocorre por meio de seleção institucional e intelectual, com questões complexas de análise de história e geopolítica.
No Amapá foram explanados assuntos referentes às principais características geopolíticas e geográficas do Estado, ações político-administrativa do governo, principais desafios enfrentados no campo político, planejamento, gestão e visão prospectiva.
A primeira palestra foi ministrada pelo pró-reitor de Cooperação em Relações Interinstitucionais da Unifap, Paulo Gustavo Pelegrino Correa, que abordou o papel do Amapá dentro da região norte da América do Sul, com foco à interação do Amapá com a região das Guianas (Suriname e Guina Francesa).
“Os oficiais precisam estar bastante inteirados sobre as informações do Brasil e seu entorno, e essas informações repassadas irão ajudar no trabalho militar deles. O Amapá é um dos estados brasileiros que possuem localização estratégica de fronteira, e esses dados são primordiais em ações de planejamento de defesa e fiscalização”, afirmou o professor.
No segundo momento, o secretário do Estado de Planejamento, Antônio Teles Júnior, fez um diagnóstico do quadro fiscal em 2016, abordando assuntos como as causas da crise no Brasil, o mercado de trabalho, ajuste fiscal e monetário com a redução nos números de programas e ações orçamentarias.
“O Estado do Amapá, como os demais, teve que fazer a redução de gastos, como a redução de grandes contratos terceirizados de pessoal, informatização da folha de pagamento, entre outras ações que ajudaram a economia local equalizar”, enfatizou o gestor. 
Ele citou ainda algumas ações estratégicas para desenvolvimento do Estado, como a interligação do Amapá ao Sistema Interligado Nacional (SIN), permitindo a implantação de projetos intensivos em energia, que possibilitou acesso do mercado à internet por fibra ótica através do Linhão do Tucuruí. E, também, o Decreto nº 8.597/2015, que regulamenta a Zona Franca Verde, um novo incentivo concedido pelo governo federal para a produção industrial nas áreas de livre comércio com predomínio da matéria-prima de origem regional que prevê a isenção de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).
Outro assunto importante exposto pelo gestor foi a abertura do Agronegócio no Amapá. Ele destacou a utilização da estratégia portuária para aproveitar a localização do Amapá no sentido de transformar o Estado em um importante entreposto comercial da Amazônia.
O secretário de Estado da Justiça e Segurança Pública, Ericláudio Alencar, que representou o governador Waldez Góes no evento, enfatizou que essa preparação dos oficiais é primordial. “Dar a esses homens e mulheres a capacitação para que eles entendam o Brasil como um todo é importantíssimo. Repassar para eles um pouco da nossa realidade e as principais características do nosso Estado irá ajudar a segurança pública no combate ao tráfico de pessoas, de drogas, de mercadorias, entre outros”, alertou Alencar.
Oficial-aluno do 2º ano do curso, o major Souza Dias fez o agradecimento formal em nome dos demais companheiros. “Agradecemos ao Governo do Amapá e aos gestores toda a cordialidade e receptividade, além da troca de experiências. O Exército Brasileiro, sabendo da importância da localização estratégica do Estado do Amapá, irá aumentar o número de oficiais e ainda inaugurar a Brigada da Foz, melhorando, consequentemente, a segurança de fronteira do Estado”, frisou Dias.
Dando continuidade à programação do curso, os alunos visitarão pontos estratégicos do Estado do Amapá, como a Fortaleza de São José de Macapá, Porto de Santana, o Batalhão 34º BIS e o monumento Marco Zero do Equador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE