Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


terça-feira, 22 de agosto de 2017

AGRONEGÓCIO | Professor da UFF palestra sobre ‘doenças dos dígitos’ debois e búfalos



Médicos veterinários do serviço público e da iniciativa privada estão reunidos nesta terça-feira (22) no auditório da Superintendência Federal de Agricultura do Amapá, para a abertura de um ciclo de palestras promovido em parceria com a Diagro (Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária do Amapá). Convidado a abrir o evento, o professor Cícero Pitombo, docente da Universidade Federal Fluminense (UFF) e também presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio de Janeiro.
O presidente da Diagro, José Renato Ribeiro, disse que problemas com infecções de casco envolvendo tanto bovinos quanto bubalinos é sempre muito importante ser discutido entre os técnicos do setor. “Especialmente do ponto de vista da defesa sanitária animal, pois nos diagnósticos as equipes se deparam com lesões nas patas dos animais, ou nos cascos, para que isso não desencadeie de imediato uma notificação em se pensando de doenças mais graves”, diz.
A Diagro entende que esse preparo e atualização levará os veterinários a encarar com mais cautela, observando detidamente ao fazer uma avaliação clínica visando uma acurácia maior no diagnóstico. “E a partir daí desencadeando uma resposta imediata do serviço oficial veterinário do estado”, complementa o diretor da Agência.

Intercâmbio
Falando à reportagem, o professor Cícero Pitombo disse ser oportuno agora que o Amapá desponta fortemente para o agronegócio estar preparado para as chamadas “doenças dos dígitos”, que já são a terceira maior causa de prejuízos econômicos da pecuária de leite. “Você não perde o animal, mas tem uma baixa produtividade, diminuição de peso, aumenta o intervalo entre partos, o animal sente dores então acaba não se alimentando direito, enfim, uma doença que por ser silenciosa e se não for devidamente tratada pode sim resultar do óbito”, alerta Pitombo.
O especialista integra um Grupo de Estudos que obteve tanta relevância em suas pesquisas que levaram a essa padronização mundial da nomenclatura das enfermidades de cascos. Ele destaca ainda que devido à diversidade de manejo na pecuária nacional, associada às particularidades do clima, sugerem adaptações na nomenclatura. “Daí a importância de estar aqui no Amapá, onde se tem muita tradição na criação de búfalos, portanto considero também uma oportunidade para trocas de experiências, já que o nosso grupo de estudos tem uma experiência grande em bovinos e nós queremos agora avanças nos estudos de bubalinos”, concluiu.
O professor Cícero Pitombo realiza sua primeira visita ao Amapá e diz estar verdadeiramente encantado pela experiência, principalmente ter tido contato com o Rio Amazonas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE