Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura e política.

PUBLICIDADE

sábado, 29 de julho de 2017

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, sábado, dia 29 de julho de 2017.



Leitura

Ela gosta tanto de sua profissão a ponto de levar para seu nome parlamentar. É a deputada Professora Marcivância, que não teve dúvidas na hora de escolher onde ir nos poucos dias de recesso: Parati, no Rio, onde ocorre a tradicional feira literária, a FLIP.

Hotelaria

Já Vinícius Gurgel foi à Salinas, no Pará. Entre os dias de descanso, certamente deve ter observado os hotéis de lá, afinal sua família está empreendendo no antigo Ceta Ecotel, em Macapá, que será repaginado.

Ilha

Por falar em políticos, muitos serão vistos no Pará neste fim de semana. Mas uma localidade que é paraense só que amapaense por adoção. Afuá recebe uma legião de veranistas para o tradicional Festival do Camarão.

Mídia

Mais uma publicação nacional destaca a entrada no Amapá no competitivo mercado do agronegócio. Foi a revista Globo Rural, com a reportagem “Mais perto da Europa”, sobre escoarmos a soja do Mato Grosso.

Rota

A reportagem dá detalhes a respeito da travessia de um comboio de milho do Centro-Oeste até o Porto de Santana. Um navio graneleiro partirá carregado com 55 mil toneladas rumo ao mercado internacional.

Infraestrutura
Foto: Rafael Araújo/Ed.Globo
Olha aí o terminal de armazenagem da empresa Caramuru, em Santana, para onde serão levados os grãos produzidos tanto no Amapá como no Centro-Oeste até o embarque em navios graneleiros rumo ao exterior. O projeto é para desafogar os portos de Santos e Paranaguá, que atualmente escoam a soja e o milho do Mato Grosso.

Turismo

O MTur iniciou credenciamento de instituições financeiras interessadas em operar empréstimos privados por meio do Fundo Geral de Turismo (Fungetur). Os recursos têm como objetivo apoiar a implantação, ampliação, modernização ou a reforma de empreendimentos turísticos.

Limite

Com isso, é possível promover a melhoria da infraestrutura do setor, a partir do aprimoramento de serviços prestados a visitantes e da dinamização da vocação turística de todas as regiões do país. Para capital fixo, o valor financiável é de até 80% do investimento total no projeto, com teto de R$ 10 milhões.

Negócios

Entre as características dos empréstimos estão o prazo de pagamento, que se limita a 240 meses, e o período de carência, que pode chegar a 60 meses, ambas demandas do setor. O valor mínimo, que era de R$ 400 mil, principalmente o micro, pequeno e médio empresário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!