Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura e política.

PUBLICIDADE

segunda-feira, 3 de julho de 2017

ECONOMIA | Executivo da Azul viaja ao Amapá para negociar um novo voo para Caiena.

Cleber Barbosa
Da Redação

Lucas Frade, gerente regional para a Amazônia da Azul Linhas Aéreas, desembarca em Macapá no próximo dia 10 com a missão de construir condições para que a companhia possa finalmente inaugurar a operação de um voo semanal entre Macapá e Caiena, na Guiana Francesa. Hoje, a empresa opera apenas um voo por semana para lá, mas partindo de Belém — passando ironicamente sobre o Amapá.
A informação foi confirmada neste domingo, por telefone, pelo presidente da Associação Comercial e Industrial do Amapá (ACIA), empresário Altair Pereira. Ele disse ter conversado com Lucas Frade, que telefonou de Manaus (AM) confirmando a agenda no Amapá. "Ele irá antes a Belém onde a Azul já opera um voo para a Guiana Francesa e depois virá a Macapá, onde pretende se reunir com o governador do estado", revelou Pereira.
Lucas Frade, da Azul

Novela - Na verdade não é de hoje que a Azul negocia a operação de um voo entre o Amapá e a Guiana Francesa. Em 2014 as tratativas começaram, com a companhia colocando como condição fundamental para isso a redução da alíquota do ICMS que incide sobre o querosene de aviação. A questão acabou politizada, pois o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) passou a atuar forte na defesa do projeto, colocando o estado literalmente contra a parede, para aceitar a renúncia fiscal.
Altair Pereira, da ACIA
O estado, por sua fez, alegava que medidas como essas exigem por força de lei autorização legislativa. Pouco depois, diante de forte pressão popular devido a alta das tarifas para voos até Macapá, a discussão ganhou corpo, sendo editada um proposição legislativa no Senado Federal, que chegou ao Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), em julho, autorizando o Governo do Amapá, nas operações internas, a reduzir a base de cálculo do querosene de aviação até o mínimo de 3%.

Internacional - Lideranças empresariais, como o próprio Altair Pereira, em detido estudo sobre a legislação tributária do Amapá, descobriu que os voos internacionais a partir de Macapá já possuem incentivos fiscais, daí a nova investida da Azul Linhas Aéreas. "Já comuniquei o governador do estado a respeito do interesse da companhia. Não estarei aqui na data da visita do executivo da Azul, mas estamos acompanhando isso atentamente pois significa muito para todos nós, não só para o incremento do turismo, mas nas relações de trabalho, na saúde, nas relações internacionais e porque pode melhorar muito a condição dos brasileiros que moram lá", concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!