Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


terça-feira, 13 de junho de 2017

ECONOMIA | Santana quer entrar na rota de distribuição de combustíveis no Norte

Um arrojado projeto se propõe a transformar o Porto de Santana numa espécie de entreposto de cargas por onde deverá passar agora carregamentos de combustíveis para toda a região amazônica
A operação de desembarque de combustíveis no Porto de Santana

Cleber Barbosa

Para a Revista Diário

O município de Santana está redescobrindo sua vocação portuária, tanto que um audacioso projeto de infraestrutura está sendo implantado e poderá levar o segundo maior município do Amapá  a ser rota de distribuição de combustível na Amazônia. E para que isso saia do papel aconteceu uma espécie de ensaio técnico, a partir da atracação no cais da Companhia Docas de Santana (CDSA), do navio ‘Vendome Street’, que saiu do porto de Itaqui, no Maranhão, carregado com 24 milhões de litros de combustível fósseis – gasolina e óleo diesel, cuja distribuição se deu de forma satisfatória.
Trata-se de uma operação inédita possibilitada graças à iniciativa do prefeito de Santana, Ofirney Sadala, que negociou pessoalmente com a Distribuidora Ipiranga a inclusão do Porto de Santana na rota nacional de distribuição de combustível. “Essa vocação para a navegação de cabotagem vem de muito tempo, faltava apenas a criação de um ambiente favorável, então foi o que buscamos fazer”, diz ele.
Balsas ancoradas próximas à Ilha de Santana estarão prontas para se abastecer de combustível e levar o carregamento para as cidades de Belém (PA), Manaus (AM) e Porto Velho (RO), a partir do Porto de Santana.
MERCADO
A possível transformação da cidade em polo de distribuição de combustível para o Norte do país é considerada uma das apostas da nova gestão para o incremento do desenvolvimento local. “Será positiva para a Companhia Docas, que arrecadará mais e poderá investir na melhoria do porto; para o município, que vai gerar mais emprego e renda; e para o Estado, para quebrar essa cultura da falta de combustível que ameaça constantemente o abastecimento do Amapá”, diz o gestor.


De grande vocação portuária, Santana quer aquecer economia

O sucesso da primeira atividade de transbordo de combustível no município de Santana foi comemorado em grande estilo, num concorrido coquetel realizado no porto da Companhia Docas de Santana (CDSA). O evento marcou a conclusão dos serviços do navio Vendom Street, da Antuérpia (Bélgica), que estava atracado no píer. Nessa primeira atividade, o município recebeu 24 milhões de litros de combustível, com 7 milhões ficando em Santana para distribuição em postos de todo o Estado. O restante, 17 milhões de litros, foi transportado em balsas para outros pontos de distribuição na região Norte.
Na ocasião, autoridades tiveram a oportunidade de visitar o interior do navio para acompanhar as operações da embarcação. Para o prefeito de Santana, Ofirney Sadala, o sucesso da operação comprova que o município tem potencial para receber a atividade de grandes empresas através do porto. “Mostramos para os empresários que Santana tem estrutura logística para realizar esse tipo de serviço. Esse foi apenas o pontapé inicial para desenvolver a atividade no município”, frisou.
Prefeito de Santana, Ofirney Sadala

ESTADO
O presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico do Amapá, Eliezir Viterbino, que na ocasião representou o governador do Estado na solenidade, garantiu o apoio da administração estadual para a realização das atividades no município. “Isso é importante para o desenvolvimento econômico e social de todo o Estado do Amapá”, salientou.
De acordo com o presidente da CDSA, Paulo Couto, para que a operação fosse um sucesso, foi necessário a contratação de três empresas, gerando emprego para 25 profissionais diretamente. “Esse foi apenas o primeiro navio de combustível que recebemos, mas a atividade deve continuar, gerando empregos e movimentando a economia do município”, destacou.
Já o diretor operacional da CDSA, Victor Hugo Holanda, lembrou que essa operação foi apenas o primeiro passo para que Santana se torne rota de distribuição de combustível para a região norte.
De acordo com o secretário especial de Governo, Planejamento e Cidadania, da Prefeitura de Santana, Ronival da Silva Vergolino, o transbordo de combustível, a partir do Porto de Santana, vai garantir o abastecimento constante ao Amapá, pondo fim ao risco de racionamento de gasolina e óleo diesel.
Já do lado do consumidor, a expectativa gira em torno da possibilidade de que essa novidade possa resultar em uma redução do preço final dos combustíveis, afinal o impacto direto dessa entrega local da distribuição seria a redução do frete dos estados como o Pará, que até então era de onde vinham as balsas de abastecimento para o Amapá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE