Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


quinta-feira, 23 de março de 2017

Notas da coluna ARGUMENTOS, quinta-feira, dia 23 de março de 2017.

Jari
Mediante alerta emitido de Laranjal do Jari, por conta do aumento no nível do rio, uma equipe de 26 bombeiros e 16 militares do Exército Brasileiro, além de seis técnicos da Secretaria de Inclusão e Mobilização Social (Sims), seguiu ontem para a região.

Apoio
A equipe da Sims vai auxiliar os demais profissionais no monitoramento da situação das famílias, visto que em áreas mais baixas de Laranjal e Vitória do Jari casas já foram invadidas e algumas ruas submersas.

Mineração
O processo que a mineradora Zamin Ferrous está tentando destravar, de recuperação judicial em Sampa, tem provocado muitas reações por aqui, onde ela mantinha o Sistema Amapá, herdado da Anglo American.

Canetada
Ocorre que o juiz Marcelo Barbosa Sacramone, da 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, não abre mão de gerenciar o processo e barrou tentativas de fazer andar alguma coisa por aqui.

Uma gota
Só que a dívida deixada no Amapá, cerca de R$ 1 bilhão com fornecedores e trabalhadores, é fichinha perto do passivo total que a Justiça levantou. A Zamin deve pelo menos R$ 28 bilhões a instituições credoras.

Segurança
De uns tempos pra cá a empresa Amapá Florestal e Celulose, a Amcel, determinou a redução do volume de toras de madeira nas famosas carretas ‘romeu e julieta’. Tem a ver com diminuir o peso total do conjunto, para poupar o piso da rodovia BR 210, que ela usa para escoar a produção de cavaco. Na foto, é possível ver que o empilhamento na carreta não vai até o limite da altura como antes.

Fechou
Não bastassem os problemas já conhecidos na estrada nesta época, a BR 156 ainda precisou ser interditada ontem pelo Dnit devido a um alagamento no leito da via. Manilhas de drenagem não suportaram o volume das águas e romperam. Obras de reparo devem ser concluídas até sábado.

De olho
Os moradores mais tradicionais da região do chamado Vale do Jari dizem que os problemas de enchentes ou alagamentos se agravam toda vez que chove muito nas cabeceiras do rio. Aí quando o rio Amazonas ‘tufa’, como se diz por lá, as cidades de Laranjal do Jari e Vitória do Jari vão pro fundo.

Absurdo
Há quem jure que até guindastes estão sendo usados para furtos na velha Estrada de Ferro do Amapá. Segundo as primeiras informações, todo o metal que está sendo dilapidado é colocado em carretas e estaria deixando o estado devidamente acompanhado de notas fiscais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE