Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


domingo, 26 de março de 2017

Notas da coluna ARGUMENTOS, sábado, 25 de março de 2017.

“Hub”
Muita gente anda se perguntando quando teremos a possibilidade, nesta cooperação com a Guiana Francesa, de fazer uma conexão em Caiena e de lá seguir até Paris. Detalhe: sem que para isso seja obrigatório ter visto, já que na França não se exige.

Parâmetros
Entre as vantagens dessa operação no aeroporto de Caiena, estariam as tarifas mais baixas – dá até para se considerar um voo doméstico –, bem como o tempo na rota muito menor do que saindo de São Paulo.

Trem
Representantes da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária receberam com incredulidade a informação de que a nossa Estrada de Ferro do Amapá está sendo dilapidada. Ao relento, como se diz.

Modelo
Olha, essa entidade cuida de ferrovias como a Estrada de Ferro Oeste de Minas, de quase 300 anos. Tem até museu onde o vagão de Dom Pedro está lá, intacto. A ferrovia amapaense tem agora 60 anos. Uma pena.

Aniversário
Por falar nisso, a Icomi estaria completando agora 70 anos de Amapá, desde que seu fundador, o visionário Augusto Trajano de Azevedo Antunes, convenceu o país a dar a ele a chance de extrair o manganês.

Ilusão de ótica

Não, você não está vendo uma moto navegando pelos rios da Amazônia. Na verdade isso fica em plena área central de Macapá, na concorrida rua Jovino Dinoá. Trata-se de um problema recorrente a cada estação das chuvas, por aqui, quando parte da cidade fica alagada. Uma amolação.

Social
Termina neste sábado, na região do Ajuruxi, rio Ariramba e vila Betel, em Mazagão, um mutirão de ações de atendimento nas áreas de saúde, capacitação e emissão de documentos, entre outras. A expectativa é que sejam atendidas 400 famílias no evento que dispõe de um barco e farto material.

De perto
Falando à coluna, o secretário das cidades, Alcir Matos, explicou que a meta é descentralizar o atendimento, levando serviços de saúde, cursos e demais atendimentos à população que mora nas localidades mais distantes. “É uma ação conjunta que envolve mais de 40 profissionais de secretarias de governo”, disse.

Capacitação
Para fechar sobre essa boa iniciativa, soubemos que entre os cursos de capacitação, os moradores poderão aprender mais sobre o manejo do açaí, pesca, oleaginosas, fabricação de farinha, certificação de produtos, manipulação de alimentos e manejo de área de várzea.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE