Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


domingo, 19 de novembro de 2017

TURISMO | O porquê da repaginada reforma da Pedra do Guindaste e São José

A Pedra do Guindaste com a imagem do padroeiro São José | Foto: Redescobrimento
Cleber Barbosa
da Redação

Vem de longe uma discussão a respeito da posição da imagem de São José – padroeiro do Amapá – no monumento conhecido como Pedra do Guindaste, na orla de Macapá. Segundo o movimento que encabeça o projeto de revitalização de um dos principais cartões-postais da cidade, será a oportunidade para se reparar um erro histórico e virar a imagem de frente para a capital do estado e não mais deixa-lo de costas como está hoje.
O pedido de ajuda para a restauração do monumento partiu da própria Diocese de Macapá, através de carta enviada pelo Bispo Dom Pedro Conti ao presidente da Associação Comercial e Industrial do Amapá (ACIA), empresário Altair Pereira. “A Diocese está preocupada com a situação do monumento, o qual corre o risco de desmoronamento, daí a proposta da reforma e possível aumento na altura e dimensão do cilindro de concreto, bem como a substituição por outra escultura de São José”, diz o bispo no documento.

Mobilização
O presidente da ACIA Altair Pereira e o bispo de Macapá Dom Pedro Conti
O presidente da ACIA não só acatou a sugestão do religioso como está aprimorando o projeto. “Relatei essa solicitação ao governador Waldez Góes, que também abraçou a causa e tirou encaminhamentos importantes como medidas que irão agregar ainda mais ao projeto, sob a coordenação do arquiteto e urbanista Alcyr Matos, que é secretário de Desenvolvimento das Cidades”, diz Altair Pereira.
O poder público, via Governo do Estado, ficará responsável pelas intervenções no entorno da Pedra do Guindaste, que ganhará uma passarela anexa ao Trapiche Eliezer Levy, que permitirá aos turistas e moradores da cidade acesso às proximidades do monumento, mesmo com a maré cheia. “Achei essa uma solução fantástica, pois muita gente faz sacrifício para ir até próximo ao santo, mas só quando a maré baixa e agora poderá fazê-lo a qualquer tempo, tirando fotos em frente à imagem do padroeiro”, diz Pereira.
Os trabalhos de confecção da nova imagem já começaram no fim de semana, sendo executados pelo artista plástico e escultor Lindomar Plácido da Costa. “A nova imagem terá três metros de altura e será ainda mais fiel àquilo que está nas escrituras, com o menino Jesus no seu colo e um ramo de lírio na mão direita; além disso, estará de frente para a cidade e muito bem iluminada, recebendo o grande destaque que merece”, diz o presidente.

De pedra a monumento para abrigar o padroeiro
A Pedra do Guindaste é um monumento localizado bem em frente à cidade de Macapá, ao lado do Trapiche Eliezer Levy, dentro do Rio Amazonas. Trata-se de uma pedra muito grande e sobre ela encontra-se a imagem de São José abençoando a cidade, feita pelo escultor português Antônio Ferreira da Costa.
No século passado, a Pedra do Guindaste teve como finalidade servir de alvo aos exercícios de tiro dos soldados, ao lado norte da Fortaleza de São José. Mas depois acabou adquirindo valor ainda mais importante para a rotina da cidade, seja por abrigar ao complexo com o Trapiche Eliezer Levy, seja por de fato servir como um guindaste propriamente dito. Isso teria inclusive gerado o incidente fluvial que levou á substituição da antiga pedra por um artefato de concreto que passou a ser a base da imagem do santo padroeiro não só da cidade de Macapá como de todo o estado do Amapá.
A famosa pedra também é conhecida por suas lendas que fazem partem da rica cultura do caboclo amapaense.

O lado mítico da pedra do guindaste contado e cantado pela história
Uma das famosas lendas envolvendo a pedra do guindaste é contada pelos antigos moradores da antiga Rua da Praia e Igarapé das mulheres, hoje bairro de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Afirmam existir na pedra uma cobra grande, com dimensões ainda não calculadas e na maré de reponta – ou seja, quando a água do rio não está na cheia e nem na vazante – sai dali para tomar água, de maneira que a água nunca conseguiu cobrir a pedra. Se porventura, alguma autoridade tiver a infelicidade de mandar retirar a pedra do rio, a água do Amazonas subirá tanto, que Macapá toda irá para o fundo. Algo que ninguém quer, é claro!

Índia
Outra versão da lenda é que havia na tribo dos Tucujús – primeiro povo habitante dessa terra – uma índia muito bonita, apaixonada por um índio que todas as manhãs saía pela praia em busca de alimento. Quando ele saía, a namorada acompanhava-o até a praia e lá ficavam o dia todo, até o sol pousar na lagoa dos índios, quando o índio voltava, levava-a para a maloca. Isso acontecia todos os dias e começou logo a ser observado pela tribo. Num certo dia, de manhã cedo, como acontecia sempre, o índio desceu o rio pela praia e sua amada ficou à espera no local de sempre, mas aconteceu que ele não voltou. A noite chegou, a índia desesperada ainda o esperava em vão. Acocorou-se e chorou a noite toda, dias e dias, e lá morreu. No lugar de suas lágrimas nasceu a pedra com formato de corpo de mulher, que mais tarde, muitos anos depois passou a ser conhecida como Pedra do Guindaste.

* Colaborou o historiador Edgar Rodrigues


CURIOSIDADES
– Localizada em frente a cidade de Macapá ao lado do Trapiche Eliezer Levy, a pedra original foi derrubada pela colisão de um barco, em seu lugar foi construído um bloco de concreto e sobre ele uma imagem de São José – Padroeiro da Cidade de Macapá.

– Existem muitas lendas em torno da Pedra do “Guindaste”, que ao longo dos tempos vem servindo de inspiração a muitos artistas regionais.

300 metros
Distância da Pedra do Guindaste da orla.

A IMAGEM


ENTREVISTA | “Estava na hora de uma reforma; as relações de trabalho mudaram muito”.

Advogado Marcos Sassim fala ao jornalista Cleber Barbosa no programa Conexão Brasília.
O advogado Marcos Sassim, um operador do direito que é militante na área da Justiça do Trabalho, foi ontem ao programa Conexão Brasília, na Rádio Diário FM, ocasião em que mais do que opinar, esclareceu e tirou dúvidas de muita gente a respeito de um tema dos mais atuais e ao mesmo tempo mais controversos da atualidade brasileira: a reforma trabalhista. Para o especialista, existem tanto para os juristas, empresários e trabalhadores, um mundo de dúvidas a respeito dos efeitos práticos da medida que nem bem começou a ter seus efeitos já passou por ajustes no meio da semana, via Medida Provisória editada pelo presidente Michel Temer. A entrevista esclarecedora ao jornalista Cleber Barbosa serviu ainda para colocar situações práticas do dia a dia que certamente podem ser a pergunta que muita gente anda se fazendo.

Cleber Barbosa
Da Redação

Blog do Cleber – Como falar a respeito das novas regras impostas pela reforma trabalhista se a coisa ainda está viva ao ponto de mudanças terem sido aprovadas ainda esta semana?
Marcos Sassim – Pois é, depois de alguns dias da implementação da dita Reforma Trabalhista, iniciada no dia 11 de novembro, o presidente da república já editou uma Medida Provisória já alterando alguma coisa, então o cenário é assim de que essa mudança de paradigma que a reforma trouxe ainda está se consolidando. Acredito que vá demorar a se consolidar e até pelas redes sociais a gente vê que as pessoas não param de trocar informações e já há notícias de entendimentos muitos diversos e até de sentenças que aplicam, outras que não aplicam as reformas e ainda sentenças que aplicam parte das reformas.

Blog – Então o que fazer num cenário desses doutor?
Marcos – A hora pede cautela, principalmente em relação aos litígios. O que eu posso adiantar aos nossos leitores é que justamente neste sentido, da parcimônia, que tenham cautela e que evitem os litígios, pois tanto o novo CPC [Código de Processo Civil] de 2015 e agora a Reforma Trabalhista, eles tentem à auto composição, que é você fazer aquele acordo prévio e em suma evitar entrar na justiça, entendeu? Porque os ônus, principalmente da Justiça do Trabalho agora estão caros.

Blog – Pois é, importante isso, pois até então a parte reclamante tinha isso como um porto seguro, não é?
Marcos – Sim, antigamente o empregado entrava com a reclamação, o patrão se defendia e ficava por isso mesmo. Hoje há um custo a ser pago pelo empregado também se ele perder [a ação]. Tem os honorários do advogado a ser pago e as custas processuais. Então muita cautela na hora de entrar [na justiça], conversem primeiro para buscar um acordo antes de entrar na justiça, até porque a reforma trouxe a possibilidade de você homologar um acordo.

Blog – Que já iria pronto para a Justiça?
Marcos – Sim, digamos que em uma empresa se tenha um conflito sobre horas extras entre o empregado e o empregador, então cada um contrata um advogado que preparam uma petição em conjunto e levam ao juiz somente para homologar aquele acordo. Então é isso que essa reforma também veio trazer, tirar um pouco dessa litigiosidade que tinha na Justiça do Trabalho. E fazendo um ‘mea culpa’ em relação à classe, existiam reclamações trabalhistas que pediam verdadeiros absurdos e hoje essa reforma também veio coibir um pouco isso, pois haviam casos de uma pessoa trabalhar um ou dois anos numa empresa e pedir 1 milhão de reais a título de indenização; hoje já há uma responsabilidade maior por parte da pessoa que vai ingressar com a ação e por parte do advogado que vai tecnicamente transmitir esse pedido ao juiz.

Blog – A despeito de qualquer discussão política em relação à reforma trabalhista, o senhor como técnico que é vislumbra que algum direito ou até conquistas históricas dos trabalhadores tenha sido cortado com essa reforma?
Marcos – É o seguinte, sou técnico, um operador do direito como outro qualquer, então eu acho que já estava na hora de uma reforma, especialmente na era da informação, da comunicação digital, onde as relações de trabalho mudaram muito, tanto que uma das inovações que essa reforma trouxe tem a ver com o chamado ‘home office’, que é o teletrabalho, que é quando a pessoa vai trabalhar na sua casa, no seu escritório, num café, numa lanchonete, enfim, qualquer lugar onde possa acessar seu computador, seu celular e fazer uma videoconferência com a empresa que o contratou, enfim. Então era necessário realmente que se tivesse essa proteção legislativa, pois esse empregado que vai fazer suas atividades em casa ele não perde nada, vai fazer um contrato com o empregador dele que vai fornecer os meios e ele cumpre suas tarefas, então isso daí tinha que estar previsto. Então por que mobilizar uma pessoa a ir até a sede da empresa se ela pode trabalhar na sua casa, numa praia, onde achar melhor?

Blog – Que outras inovações essa reforma trouxe e que o senhor identifica outro acerto doutor?
Marcos – O trabalho intermitente é um bom exemplo. Se você tem um restaurante onde o pico de jornada em julho, no Círio, enfim, ou em outros períodos. Você contrata uma pessoa para trabalhar nesses determinados períodos. Eu acho isso extremamente válido, pois essa pessoa vai ser contratada com base na hora daquele trabalhador permanente, só que na ele tem a possibilidade de trabalhar para você e trabalhar para outra pessoa.

Blog – Essa regra se aplica aos garçons, por exemplo, que tem uma jornada de trabalho atípica?
Marcos – Exatamente. Empresas de eventos são um bom exemplo, pois oscilam muito os negócios e podem contratar os profissionais para cada necessidade.

Blog – Os críticos da reforma, como os sindicatos, fazem observações em relação a informalidade das relações de trabalho, gente que passou por uma formação, tem um grande currículo, mas acabam perdendo certos privilégios, digamos assim. O que o senhor acha?
Marcos – Veja bem, antes dessa reforma, o número de sindicatos de empregados era três vezes maior do que o sindicato de patrões. Então se todos os sindicalistas eram contra a reforma como é que ela foi aprovada? Aí alguém pode alegar que o sindicato dos empregadores tem mais dinheiro. Já o de empregados tem mais representatividade, afinal o número é maior. Para mim, os deputados e senadores que analisaram essa proposta mesmo sendo pró empregados, terem essa visão, tiveram a possibilidade de mexer nessa reforma, então entendo que essa reforma é válida e que essa questão de perda de direitos é uma adequação que se faz, uma adequação à qualidade.

Blog – Mas como o senhor disse no começo da entrevista existem muitas dúvidas ainda e que só o tempo poderá deixar tudo mais claro, não é?
Marcos – Sim, tudo depende das interpretações que serão dadas pelo nosso judiciário. Aqui no estado nós temos juízes capacitadíssimos e aqui até peço venha pois tem um evento que irei participar com o juiz Nei Maranhão, que é um juiz que atua aqui no estado, um doutor, então será um evento em que nós operadores do direito vamos pegar essa reforma, acerta-la, cortar as pontas, moldá-la, enfim, os tribunais irão formatar suas decisões, então não tem muita coisa definida não pois ela ainda será adequada à realidade.

Blog – Então são ingredientes de uma ampla discussão ainda a respeito do tema.
Marcos – Toda e qualquer medida que tire seu conforto ainda sofre alguma retaliação devido a interpretações mais radicais de um lado ou de outro, como um empresário utilizar de uma interpretação a seu favor como também de termos o empregado analisar determinado aspecto a seu favor, então o que vai acontecer é que o judiciário na sua função vai adequar tudo.

Perfil…

Entrevistado. O advogado Marcus Miller Machado Sassin tem 41 anos de idade, é paraense da cidade de Belém. Diplomado em Direito pela Universidade da Amazônia (Unama), no ano 2000; também fez uma especialização em Direito Constitucional e Administração pela Unama; é pós-graduando em Direito do Trabalho pela Universidade Santa Cruz (Rio Grande do Sul). É advogado militante há 13 anos, sendo os cinco últimos anos no Amapá, com atuação junto à Justiça do Trabalho. Mais recentemente vem proferindo palestra e participado de debates a respeito da prática do assédio moral no serviço público e também na iniciativa privada. Está lotado na banca de advocacia denominada Gomes e Associados atua também no SESI-AP.

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, domingo, dia 19 de novembro de 2017.


MPA

​A Música Popular Amapaense ganha versão dançantes do zouk ao cacicó, no show ‘Clássicos da MPA’ da banda Negro de Nós, que este ano comemora seus 18 anos. Uma nova série de shows está na estrada, de um expoente do cenário musical amapaense.

Estrada

A primeira escala foi no bar Barril, em Macapá. No setlist canções como ‘Vida Boa’, ‘Tarumã’, ‘Amassadeira’, ‘Quando o pau quebrar’, entre outros sucessos, já conhecidos pelo público amapaense.

Realidade

Você já ouviu falar em UTI Aérea, não? Coisa de rico para uns, uma realidade do serviço público no Amapá. Quando a notícia é boa a gente precisa realmente dar destaque. Então méritos ao GEA, via SESA.

Dados

De janeiro a outubro de 2017 a aeronave equipada com UTI do governo já realizou o transporte de 215 pacientes, sendo 182 foram intermunicipais e 33 interestaduais. Pacientes graves que precisavam de apoio.

TFD

Eram pacientes graves que precisavam de Tratamento Fora de Domicílio e não podiam viajar em avião de carreira, sem os equipamentos necessários. No ano passado, foram realizados 148 viagens.

No rádio
Olha aí o presidente da Fecomércio, Eliezir Viterbino, quando concedia entrevista ao nosso Conexão Brasília de ontem. Ele foi fazer um balanço da promoção “Compre & Ganhe Amapá” e anunciar também o desdobramento de toda aquela mobilização em torno de um comércio
(e um estado) mais forte e organizado.

Acabou

Chegou ao fim ontem a promoção “Compre & Ganhe Amapá”, uma iniciativa da Federação do Comércio, com o apoio do Governo do Estado e do Sebrae Amapá. Foram dois meses de intensa movimentação no setor, já que os consumidores concorriam a prêmios instantâneos de R$ 400.

Números

Dados preliminares dos organizadores da promoção da Fecomércio apontam para uma movimentação a ordem de pelo menos R$ 18 milhões injetados na economia do Amapá nestes dias. Só de vales-brindes foram quase 400 prêmios instantâneos aos consumidores que só tiveram o trabalho de pedir nota e cadastra-la.

Continua

Para o próximo ano e diante da grande repercussão que a promoção acabou por criar, a Fecomércio e seus parceiros já estudam ampliar ainda mais o evento. Possivelmente reunindo os estados amazônicos em torno de algo regional, do tipo “raspadinha” com prêmios na hora.

sábado, 18 de novembro de 2017

CULTURA | Banda amapaense "Negro de Nós" inicia série de show ‘Clássicos da MPA’


​A Música Popular Amapaense (MPA) ganha versão dançantes que vão do zouk ao cacicó, no show Clássicos da MPA da banda Negro de Nós, que este ano comemora seus 18 anos de atuação no cenário musical amapaense. O show aconteceu na sexta-feira (17), no bar Barril.

No setlist estiveram presentes canções como ‘Vida Boa’, ‘Tarumã’,  'Amassadeira', 'Quando o pau quebrar', entre outros sucessos, já conhecidos pelo público amapaense, tudo no ritmo dançante que é característica do grupo, que tem como vocalista Silmara Lobato, acompanhada pelos músicos Fábio Mont’Alverne (bateria), Ódilon Acácio 'taronga ' (contrabaixo) e Walber Silva (teclados).

O Show da banda tem em média duração de duas horas e o público recebeu um exemplar do primeiro disco da banda, lançado em 1999.

A Negro de Nós começou a carreira em 1999, incrementando às suas músicas ritmos sonoros afro-caribenhos, que viraram marcantes cacicós e zouks. O quarteto que forma o grupo busca inspiração na essência da música negra brasileira, africana, e de todas as partes do mundo para as composições.

NEGÓCIOS | Caravana Empreendedora do Sebrae leva conhecimentos até Calçoene


Texto: Andréa Maciel | Fotos: Denise Quintas/Sebrae

A Caravana Sebrae Empreendedora promove oficinas, atendimento e consultoria, de forma gratuita à população de Calçoene. As ações aconteceram nos dias 16 e 17 de novembro, das 8h às 22h30, na Escola Estadual Professor Sílvio Elito de Lima Santos, localizada na Avenida Manoel Sarmento, nº 0266. Com o objetivo de disseminar o empreendedorismo no município de Calçoene, oportunizar capacitação e melhorar a gestão nos pequenos negócios (MEI, ME e EPP). O Sebrae espera atender 242 pessoas durante os dois dias de realização.
O diretor-superintendente do Sebrae no Amapá, João Carlos Alvarenga afirma que esta ação enfatiza a proatividade da instituição que não espera as demandas virem até o Sebrae.
“A finalidade da nossa passagem pelo município de Calçoene é trazer informação. Este é um trabalho que o Sebrae faz em todos os municípios onde levamos o conhecimento, sem esperar que venham atrás de nós. Nós trazemos a demanda. Esta é a oportunidade das pessoas se capacitarem principalmente com a proximidade das festas de fim de ano, para poder conseguir uma renda extra. Sabemos que os recursos desses municípios são muito escassos e por isso trazemos essas capacitações”, afirma o diretor-superintendente do Sebrae no Amapá, João Carlos Alvarenga.
São ofertados atendimentos, consultorias de diagnóstico nas empresas, e oficinas de beleza (tranças simples e sofisticadas, Design de sobrancelhas e alongamento de cílios), de gastronomia (cupcake e bombons de chocolate) e gerenciais (Sei Empreender e Noções Básicas de Excel). O público-alvo são os pequenos negócios locais, potenciais empresários e potenciais empreendedores.
“Foi uma ótima experiência. O instrutor esclareceu todas as minhas dúvidas, abordou tudo que precisávamos saber. Eu e meus amigos queremos iniciar um negócio de venda de cupcakes. Vamos pegar todo o conhecimento que adquirimos e colocar em prática para ganhar dinheiro com esse produto”, afirma o estudante Chel Torres.

Uma bandeira
A Caravana Empreendedora do Sebrae em Calçoene é organizada pela Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae (UGE/Sebrae), é coordenada pela gerente Márcia Marinho, que afirma que o foco do Sebrae é estimular o empreendedorismo no estado do Amapá e ao levar a Caravana até Calçoene, cumpre esta função.
“Buscamos estimular o empreendedorismo e também a melhoria da gestão dos micro e pequenos negócios, como os microempreendedores individuais, microempresas e também as empresas de pequeno porte. Com as oficinas, visualizamos a oportunidade de geração de renda deste município e os empreendedores dão uma resposta muito positiva, pois estão participando dos atendimentos e nos recebendo nas empresas durante as visitas. Essas visitas são justamente para que nós possamos mapear as possíveis demandas e dar um retorno futuro em formato de consultoria, palestra, seminário, cursos e ações de mercado”, acrescenta a gerente da UGE/Sebrae, Márcia Marinho.

Parceiros
A Caravana Empreendedora do Sebrae em Calçoene é uma realização do Sebrae e de parceiros, como Prefeitura Municipal de Calçoene e as empresas Beleza Centro Técnico, Cleicy Consultoria e Casa do Sorveteiro.

AMAPÁ | Pedra Branca passa a oferecer exames de mamografia em UBS do município

Desde o dia 20, que o município de Pedra Branca do Amapari conta com aparelho de mamografia e um novo aparelho de raio X, na Unidade Básica de Saúde (UBS), do Centro. Em todo o estado, segundo nota distribuída pela assessoria da prefeitura, Pedra Branca seria o único município a oferecer o exame de mamografia na saúde municipal.
Em dez meses de governo, que a saúde pública de Pedra Branca tem sido contemplada com equipamentos novos, abertura e reforma de UBSs e agora desponta como referência no interior do estado por oferecer exames especializados. "Estamos provando que é possível fazer de Pedra Branca o município de referência na saúde em todo estado do Amapá. Até o final do ano, devemos estar recebendo um Tomógrafo, garantido pelo Ministério da Saúde, por meio do ministro Ricardo Barros, com o apoio do senador Davi Alcolumbre", comemorou a prefeita Beth Pelaes.
O exame de mamografia consegue detectar o câncer antes mesmo que as lesões sejam palpáveis, reduzindo o número de mortes por câncer de mama. A compra de serviços de mamografia de clínicas particulares, além de onerar, resulta em longo tempo de espera para que as mulheres realizem o exame, perdendo a chance de detectar câncer precocemente.

Salários
Uma decisão política e administrativa da prefeita Beth Pelaes resultou na liberação,  ontem, do valor integral do 13º salário aos servidores públicos de Pedra Branca do Amapari. O valor total do décimo, de mais de R$ 1, 6 milhões, representará um aquecimento na economia do município no mês que antecede as compras de Natal.
Em todo o estado, Pedra Branca do Amapari é o único município a pagar antecipadamente e de forma integral o décimo terceiro salário. Os pagamentos estão sendo liberados desde 5ª feira e será concluído neste sábado.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

MACAPÁ | Advogado quer ação popular para frear contratação de empresa sem licitação

Advogado Brahúna Júnior (detalhe) e os trabalhadores terceirizados da iluminação pública de Macapá
Cleber Barbosa
Da Redação

O advogado amapaense Brahúna Júnior ameaça ingressar com uma ação popular para frear a contratação de uma empresa pela Prefeitura de Macapá por R$ 8 milhões, sem licitação. O anúncio foi feito depois de uma dura discussão dele com o coordenador de comunicação da PMM, Diniz Sena, e o assessor de imprensa do PSB, Eduardo Neves, em uma rede social durante esta madrugada. A empresa em questão é a Neo Luz, responsável pelo serviço de instalação de luminárias na capital.
Diante da postagem feita pelo jornalista Eduardo Neves, o representante da PMM lembrou que durante o governo de Camilo Capiberibe foi feito um contrato emergencial para a publicidade, com duas empresas levando cada uma 14 milhões. Em defesa da Prefeitura, Diniz Sena disse que “a publicidade é bem diferente da iluminação pública, que tem legalidade e total explicação pela especificidade do tema que nenhuma gestão que já passou por isso no Amapá”, disse Diniz.
Falando à reportagem, o advogado Brahuna Júnior disse que decidiu entrar no debate como cidadão. Ele questionou, à exaustão, qual a justificativa para a Prefeitura de Macapá ter feito a contratação com dispensa de licitação. Diniz tentou argumentar afirmando que “a especificidade é tamanha que nem a própria CEA, que em tese teria informações não possui”. A seguir, completou dizendo “não existe um sistema de controle do parque de iluminação, não existe um balanço e nem o georreferenciamento”.
Mas o advogado rebateu, dizendo conhecer todos os 35 incisos da lei 8.666/93 [lei de licitações] “e não encontro nenhum que justifique a dispensa” e depois questionou: “Você quer dizer que não existe no planeta nenhuma outra empresa com a expertise da Neo?”.
Foi então que o ex diretor do Prodap na gestão do PSB, Alípio Jorge, também entrou no debate. Ele lembrou que em maio, quando a mesma Neo Luz foi contratada emergencialmente por R$ 4 milhões, a PMM alegou que o serviço era para substituição de luminárias queimadas e que paralelamente a gestão Clécio Luiz iria fazer uma licitação para a contratação de uma empresa que fizesse a mudança do padrão da iluminação, substituindo as lâmpadas amarelas, progressivamente, por luzes de LED, que tem um baixo consumo e alta eficiência.

Conjecturas
A discussão passou então a movimentar a agenda política nesta sexta-feira, tanto que o jornalista Ney Pantaneão foi mais além, fazendo uma construção tendo a política partidária como pano de fundo. “A Neo Luz é da Bahia, que tem a capital Salvador, cujo prefeito é ACM Neto, que é do DEM, mesmo partido do senador Davi, que é aliado do Clécio”, disse o jornalista, que ainda provocou: “Será que a Neo Luz vai iluminar a campanha do genro do prefeito que virou secretário de iluminação pública?”.
O advogado Brahúna Júnior anunciou que inicialmente pretendia enviar ofício à PMM para que apresente as justificativas para a dispensa de licitação, sob a égide da lei de acesso à informação. Mas agora vai mudar de estratégia, passando a emitir via cartório uma notificação extrajudicial, que tem fé pública. Caso contrário, promete impetrar ação judicial, pois soube que a justificativa estaria amparada pelo inciso IV do artigo 24, que versa sobre situação de calamidade pública “mas quando existe decreto e quando há impossibilidade de se realizar licitação”, conclui.

Outro lado
O Blog conversou nesta sexta-feira com o coordenador de comunicação da PMM, Diniz Sena. Ele disse que a Prefeitura de Macapá está tranquila com relação a esse questionamento pois desde o repasse da iluminação pública para o município um TAC mediado pelo Ministério Público passou a definir regramentos para a transição da CEA para a PMM. “Ocorre que até hoje a CEA não fez o georreferenciamento, tampouco deu informações técnicas como quantos pontos [de luz] existem na rede, qual a potência, ou seja, são informações que nos dão base a quantificar os serviços; sem isso fica impossível fazer uma licitação”, diz Sena, para justificar a contratação emergencial da empresa Neo Luz.
Ele também acusa a CEA de estar fazendo repasses a menor para o município – a título de taxa de iluminação pública recolhida dos consumidores em suas faturas. “Ela arrecada R$ 1,2 milhão e só vem repassando R$ 600 mil ao município. E este mês foi pior ainda, pois só transferiu R$ 62 mil para a Prefeitura de Macapá”, concluiu o assessor.
A CEA deverá se manifestar a respeito apenas na segunda-feira.

AMAPÁ | Prova prática do concurso para cargo de delegado acontece neste domingo

Ao todo, 143 candidatos foram classificados na prova objetiva para o cargo de delegado no concurso da Polícia Civil do Estado do Amapá. Para concluir a primeira fase do certame, os candidatos devem participar da prova prática, que será realizada no próximo domingo, 19, no Colégio Intergenius, bairro Jesus de Nazaré, em Macapá. Os portões serão abertos às 8h30 e fechados às 9h.
A etapa consiste na elaboração de uma peça processual, possui caráter classificatório e eliminatório, sob responsabilidade da Fundação Carlos Chagas (FCC), banca organizadora do certame.  Na execução da peça processual, os candidatos poderão consultar a legislação desde que esteja desacompanhada de anotação ou comentário. É vedada a consulta a obras doutrinárias, súmulas e orientação jurisprudencial. O material será submetido à inspeção antes e durante a realização das provas por uma equipe especialmente designada pela FCC.
Os candidatos devem trazer os textos de legislação com as partes não permitidas já isoladas com grampos ou fita adesiva, de modo que sua visualização não seja permitida. Além disso, é vedado o uso de computador, notebook, pager, telefone celular ou equipamento similar.
A elaboração da peça processual está relacionada aos conteúdos programados de conhecimentos específicos relacionados à carreira de delegado de polícia, disponíveis no edital do certame, onde também podem ser consultados os critérios de avaliação e demais informações.

Próximas fases
Os aprovados na prova prática estarão aptos a participarem das outras etapas: prova oral, ainda sob a responsabilidade da FCC; e as demais sob a responsabilidade do Governo do Estado: exame de aptidão física, exame documental e médico, exame psicológico, investigação social e, por fim, o Curso de Formação Policial Profissional, que será ministrado pela Academia Integrada de Formação e Aperfeiçoamento (Aifa). 
O certame oferece 25 vagas imediatas e outras 76 vagas para compor o cadastro de reserva. Os aprovados atuarão em quatro diferentes regiões do Estado, Área de Lotação I (Oiapoque, Calçoene, Amapá, Pracuúba e Tartarugalzinho), Área de Lotação II; (Ferreira Gomes, Porto Grande e Pedra Branca do Amapari); Área de Lotação III (Laranjal do Jari e Vitória do Jari) e Área de Lotação IV (Macapá, Santana e Mazagão).

AGRO | Vacinação contra aftosa deve ultrapassar meta programada, segundo a Diagro

Foto: Marcelo Loureiro/GEA

A Campanha Estadual de Vacinação contra a Febre Aftosa encerrou na última quarta-feira, 15. A expectativa da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária do Amapá (Diagro) é que 98% do rebanho de bovino e bubalino sejam vacinados, o que corresponde a 334 mil cabeças de gado. O bom desempenho nas campanhas de imunização credenciou o Amapá a alcançar duas mudanças de status sanitário em relação à aftosa neste ano.

Dados preliminares da Diagro apontam que os produtores adquiriram, até o momento, 352.680 doses da vacina contra aftosa e o número deve aumentar até o encerramento de todos os prazos da campanha. Os proprietários têm até o dia 25 de novembro para entregar as declarações de vacinação e a Diagro até o dia 10 de dezembro para informar todos os dados ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Segundo o diretor-presidente da Diagro, José Renato Ribeiro, os números da campanha ainda serão fechados, mas certamente irão superar as expectativas. “Estamos trabalhando para fechar os nossos dados, mas como os produtores ainda estão vacinando e têm até o dia 25 para entregar as guias de vacinação, nós ainda não fechamos as estatísticas”, declarou.

De acordo com a chefe da Unidade de Saúde Animal, Gicelia Miranda, responsável pelo Programa da Febre Aftosa no Amapá, mesmo com o encerramento do prazo, os proprietários ainda podem continuar a vacinar e adquirir as doses. “O período oficial da campanha encerrou, mas os serviços de vacinação podem continuar e os produtores que necessitam comprar vacina precisam somente pegar uma autorização na Diagro, para ter acesso à vacina”, explicou.

O trabalho de conscientização do governo do Estado junto aos produtores e as recentes mudanças de status sanitário fizeram com que os produtores se empenhassem ainda mais na vacinação dos rebanhos. “Podemos destacar que a fiscalização por parte do Estado aumentou em relação à vacina, os produtores estão investindo mais devido ao certificado que o Amapá está prestes a receber e ao aumento normal do rebanho de ano a ano”, completou o diretor-presidente José Renato.

Atualmente, o Amapá possui o status de médio risco, mas, com o sucesso da campanha, receberá o certificado de área livre de febre aftosa com vacinação.

No Brasil, o único do Estado com o status de livre de febre aftosa sem vacinação é Santa Catarina, onde o último caso da doença aconteceu em 1993. A partir de 2000, foi suspensa a vacinação contra a aftosa e proibida entrada de bovinos provenientes de outros estados, onde a vacinação é obrigatória.

Segundo o Ministério da Agricultura, o Brasil é um país livre da febre aftosa com vacinação. A intenção é retirar totalmente a vacinação do país entre 2019 e 2023, quando o Brasil deverá ser reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre da doença sem vacinação.

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, sexta-feira, dia 17 de novembro de 2017.

Desabafo

Um policial militar do Amapá, ainda no posto de soldado, foi de uma destacada lucidez ontem ao postar em uma rede social um desabafo a respeito de grande polêmica e torno do vídeo que mostra um PM dando um tapa em uma mulher acusada de espancar as filhas.

Dureza

No texto, o soldado da PM admite que a atividade policial os deixa mais duros. “Não é a PM que nos embrutece. O cotidiano do serviço de segurança pública nos embrutece”, explica o militar.

Realidade

Ele diz que saem das academias militares dispostos a mudar o mundo, a ajudá-lo, a corrigi-lo. “Mas quando nos deparamos com a realidade, essa visão romântica de salvadores da pátria cai por terra”, admite.

Soltos

Depois, o policial militar diz o que os frustra no serviço das ruas: “Prenda cinco, dez, quinze, vinte, trinta, infinitas vezes o mesmo indivíduo para vê-lo sair, às vezes, da delegacia primeiro que você”.

Paradoxo

O militar se chama Joel Pinheiro, que encerra dizendo: “E podem ter certeza que muitas dessas falhas se dão em virtude de tentar resolver o seu problema, sociedade”. A íntegra em www.cleberbarbosa.net.

Concursos
O Governo do Estado divulgou o edital de convocação para os 300 primeiros classificados e aprovados no concurso público para o cargo de soldado da Polícia Militar (PM) – do Quadro de Combatentes. Esta fase é voltada para apresentação de documental. Virá em boa hora – para eles e a sociedade – esse reforço no contingente da PM.

Soluções

Os presidentes das empresas estaduais de TI se encontram, dias 23 e 24 em Brasília, para discutirem e fazerem um balanço do ano e para alinharem o planejamento de 2018. Iniciativa é da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Tecnologia da Informação e Comunicação (ABEP).

Bolsas

SESI e SENAI do Amapá abriram inscrições para concurso de bolsas de estudo. Há oferta de vagas para alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental – SESI – e para o Ensino Médio articulado à Educação Profissional (EBEP) – SESI e SENAI, destinadas à comunidade em geral, e do 2º ao 9º ano.

Diabetes

Com foco na prevenção e controle da diabetes, a Prefeitura de Macapá iniciou na UBS Álvaro Correa, atividades de prevenção e diagnóstico da doença. As UBS’s intensificam a realização de exames de glicemia, bem como a orientação e prática de atividades físicas.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

TURISMO | Visitamos o Festival Gastronômico Amapá Sabor 2017, em Macapá.

FIM DE ANO | Vem aí a Cantata Natalina do Coral do Tribunal de Justiça do Amapá

O Tribunal de Justiça do Amapá confirma mais uma edição do já consagrado evento de fim de ano, a Cantata Natalina. A ideia é mesmo levar os expectadores a se emocionar com um show de cores, brilho, luzes e vozes. É mais um espetáculo proporcionado pelo Coral do Tribunal de Justiça do Amapá.

A 19ª Cantata Natalina, cheia de surpresa e emoção com o ACENDER DAS LUZES, que inicia às 19 horas, na esquina da avenida FAB com a rua General Rondon, na escadaria da praça da Bandeira. 

Será um verdadeiro show de música, poesia e encanto. É no sábado, 02 de dezembro, a partir das 19 horas.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

OPINIÃO | "O cotidiano das ruas nos embrutece", desabafa policial militar do Amapá

Sobre o julgamento que estou vendo no caso do vídeo da bofetada do militar que viralizou nas redes sociais, tenho à dizer que: a gente (polícia) embrutece. Não é a PM que nos embrutece. O cotidiano do serviço de segurança pública nos embrutece.

Saímos dos centros de formação, das academias militares dispostos a mudar o mundo, a ajudá-lo, a corrigi-lo, ou pelo menos tentar. Mas quando nos deparamos com a realidade, essa visão romântica de salvadores da pátria cai por terra. E como é esse processo? Simples! Prenda cinco, dez, quinze, vinte, trinta, infinitas vezes o mesmo indivíduo para vê-lo sair, às vezes, da delegacia primeiro que você.

Prenda uma gangue de menores que torturaram um ancião até a morte só por causa de uns míseros tostões e em menos de um mês todos já estavam soltos por serem inimputáveis. Prenda um indivíduo que matou um cidadão por causa de um celular, um cordão ou um pertence qualquer e pouco tempo depois o indivíduo já está "reinserido" na sociedade. (mas e a vítima??? Ah, ela morreu! Não teve uma segunda chance).

Prenda um alcoólatra que bate todo dia na mulher e quando vc está a pouco metros da delegacia, ouve da boca dela que não quer mais representar porque ela ama o seu algoz e ele que sustenta a casa e seus filhos. Prenda um traficante e o veja livre logo logo (pagando advogado com o dinheiro "suado" do "trabalho" dele).

Prenda um indivíduo que não tem amor a sua vida e muito menos a do próximo, que sai por aí, enche o rabo de cachaça, ceifa vidas no trânsito, mas não pega quase nada ou nada pra ele, pq ele não teve a "intenção de matar". Isso é só um pouco, do que acontece todo dia, o tempo todo. E enfrentamos porque é nosso dever. Mas não somos máquinas programadas. Não somos impecáveis. Temos falhas.

E podem ter certeza que muitas dessas falhas se dão em virtude de tentar resolver o seu problema, sociedade. Os nossos erros apenas refletem todos os erros que somos obrigados a enfrentar e tentar solucionar. Agora, apenas um pedido a você que nos julga: nos dê a receita que você possui de conduta irrepreensível. Pois você só pode ser perfeito e não errar para se achar no direito de julgar nossas falhas. 

Sd PM Joel Pinheiro

BRASÍLIA | Presidentes das empresas estaduais de TI realizam último encontro do ano

Os presidentes das empresas estaduais de TIC se encontram, pela última vez em 2017, para discutirem e fazerem um balanço do ano e para alinharem o planejamento de 2018. O encontro é uma iniciativa da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Tecnologia da Informação e Comunicação (ABEP) e ocorrerá nos dias 23 e 24 de novembro, no Hotel Mercure Brasília Líder.
Na manhã do primeiro dia de reunião, acontece a abertura com autoridades locais: Deputados Federais (membros da Comissão de Desoneração da Câmara dos Deputados) e com a Brasscom (Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação).
À tarde, ocorrem debates sobre as leis trabalhistas e terceirização e sobre Parceria Público Privada, um importante desafio para as entidades de TIC. Teremos, também, as eleições para Presidente e Vice-Presidente do Conselho de Associadas e uma apresentação sobre a proposta que visa integrar plataformas digitais para o cidadão dos Estados com a do Governo Federal.
No dia 24/11, no primeiro horário, acontece o debate pautado pelos reflexos da reforma trabalhista. Posteriormente, será discutido o projeto de Lei da privatização da Eletrobrás e o impacto no uso das redes.

Sobre a ABEP
A ABEP mantém uma agenda de eventos ao longo do ano, sempre com o objetivo de enriquecer a discussão das políticas públicas sobre TI e fomentar a sinergia entre Estados, Municípios e Governo Federal. Atua no fortalecimento da cooperação entre suas associadas em todo o País há quase quatro décadas.

Missão
Promover a cooperação entre as suas associadas e participar efetivamente na formulação de políticas públicas de TIC, nas diversas esferas governamentais, visando ao fortalecimento da informática pública como instrumento de gestão, prestação de serviços e cidadania.

As Afiliadas
Todas as empresas estaduais de TIC do País integram hoje a ABEP. Essa entidades atuam na busca da modernização administrativa, aliada à qualidade e produtividade dos serviços que os governos estaduais prestam à sociedade em setores como educação, saúde, transportes, segurança pública, habitação, entre tantos outros.

EDUCAÇÃO | SESI e SENAI realizam concurso de bolsas para alunos da rede pública

O Serviço Social da Indústria (SESI) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) do Amapá abriram inscrições para concurso de bolsas de estudo. Há oferta de vagas para alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental – SESI – e para o Ensino Médio articulado à Educação Profissional (EBEP) – SESI e SENAI, destinadas à comunidade em geral, e do 2º ao 9º ano, voltadas para o público interno. Os interessados têm o período de 13 a 29 de novembro para se candidatar às vagas, por meio do site do SESI AP – www.ap.sesi.org.br.
Para concorrer às vagas de bolsas integrais, do segmento do 6º ao 9º ano, podem se inscrever alunos da Rede Pública de Ensino desde que sejam dependentes de trabalhadores de empresas da indústria. Também serão selecionados alunos do 2º ao 9º ano, regularmente matriculados na Escola Visconde de Mauá em 2017. Para esses, há oferta de uma bolsa parcial para cada ano, conforme regulamento.
Para as bolsas, também integrais, direcionadas a estudantes do 1º ano do EBEP, podem se candidatar os concluintes do 9º ano da Escola Visconde de Mauá e da Rede Pública e Particular de Ensino. Nesta modalidade há disponibilidade para os cursos técnicos em Informática, Segurança do Trabalho e Panificação, ofertados nas unidades de Macapá e Santana.
Os inscritos serão submetidos a um teste de seleção, a ser realizado em 7 de dezembro de 2017, no horário das 9h às 12h, na Escola Visconde de Mauá. Os editais com todas as informações dos Processos Seletivos podem ser acessados no site do SESI AP – www.ap.sesi.org.br, na área Concurso de Bolsas.
Em caso de dúvida, é possível entrar em contato com a Coordenação de Educação, por meio do número 3084-8915, ou com a Secretaria, 3084-8920.

MACAPÁ | Prefeitura intensifica ações de detecção e prevenção ao diabetes na capital

Jamile Moreira
Com foco na prevenção e controle da diabetes, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) iniciou ontem, na UBS Álvaro Correa, atividades de prevenção e diagnóstico da doença. Durante uma semana, todas as UBS’s do município intensificam a realização de exames de glicemia, bem como a orientação e prática de atividades físicas. A programação é alusiva ao Dia Mundial do Diabetes, que traz como principais bandeiras a importância da conscientização sobre a doença e suas consequências em médio e longo prazo.
Além dos exames, profissionais médicos, enfermeiros e nutricionistas ministram palestras sobre a doença e tiram dúvidas dos pacientes. O diabetes é mais frequente nas mulheres (7,8%) que nos homens (6,9%) e se torna mais comum com o avanço da idade. Macapá apresenta o menor percentual de população adulta com diagnóstico de diabetes. Os pacientes que apresentarem alteração serão cadastrados no programa de controle de doenças crônicas para fazer o acompanhamento e tratamento da doença.
“A programação faz um alerta sobre o risco silencioso da doença, onde metade das pessoas atingidas não sabe que a possui. Por isso, independente da campanha, temos cinco UBS’s que possuem laboratório e fazem o exame que detecta a doença. É importante a população procurar uma unidade. Quando a doença é descoberta cedo, as pessoas podem levar uma vida normal, mas, sem tratamento, as complicações são gravíssimas, como cegueira, amputação e até a morte”, explica a coordenadora do Programa Municipal de Combate ao Diabetes, Tatiana Vidal.
Os homens na faixa etária de rastreamento que participaram da atividade também puderam fazer exames de PSA, para detecção de alterações na próstata. Caso do aposentado Sebastião Campos, 72 anos. “É bom aproveitar a oportunidade e fazer os exames, não tenho diabetes, mas, mesmo assim, faço o controle para garantir, já que com a idade as doenças aparecem de repente”, diz.
A programação acontecerá até 17 de novembro. A próxima unidade a receber as atividades será a Hilda Iléia, no Curiaú; no dia 16 acontecerá na UBS São Pedro. Mesmo com o fim da campanha, usuários podem solicitar a realização do exame de glicemia nas UBS’S Marcelo Cândia, Perpétuo Socorro, Rubim Aronovitch, Pedro Barros e Marabaixo. É importante que o exame seja feito antes da primeira refeição do dia.

Diabetes
É uma doença crônica metabólica caracterizada pelo aumento da glicose no sangue. O distúrbio acontece porque o pâncreas não é capaz de produzir a insulina em quantidade suficiente para suprir as necessidades do organismo. A insulina promove a redução da glicemia ao permitir que o açúcar que está presente no sangue possa penetrar as células, para ser utilizado como fonte de energia.

AMAPÁ | Governo convoca 300 classificados no concurso da PM ao exame documental

O Governo do Amapá divulgou no fim da tarde desta segunda-feira, 13, o edital de convocação para dos 300 classificados e aprovados no concurso público para o cargo de soldado da Polícia Militar (PM) – do Quadro de Combatentes. Esta fase é voltada para apresentação de documental. Os candidatos podem visualizar o edital neste link
.

A segunda fase do concurso acontece de 21 a 23 de novembro, no horário de 8h às 12h e das 14h às 18h, no auditório do Comando Geral da Polícia Militar, no bairro Beirol, em Macapá. Cada candidato terá dia e um período específico para apresentar as documentações.

“Nesta etapa cada candidato apresentará seus documentos pessoais, comprovante de escolaridade e algumas certidões; tudo de acordo como prevê o anexo um do edital”, disse a secretária de Estado da Administração, Suelem Amoras.

Nesta segunda etapa, qualquer candidato se tornará inapto no exame documental se o mesmo deixar de apresentar qualquer documentação exigida, com exceção do Diploma de Nível Superior e da declaração solicitada na alínea f do subitem 11.1, os quais poderão ser apresentados até a data da matrícula no Curso de Formação.

Após esta fase documental, as próximas etapas, segundo o próprio edital, compreendem: teste de aptidão física, exame psicológico, exame médico, investigação social e curso de formação de soldado.

A partir de agora, os candidatos terão que ficar atentos aos editais de convocação para cada etapa, que serão publicados no Diário Oficial do Estado (DOE) e no site da Sead (www.sead.ap.gov.br).

SAÚDE | Falhas persistentes da memória podem indicar demência, alerta especialista

Com o passar dos anos, o corpo humano vai se transformando: a pele muda, a audição e a visão são afetadas, os ossos tornam-se mais frágeis, a concentração e a capacidade de aprendizado diminuem e a memória pode eventualmente falhar. Esses lapsos ocasionais são normais, mas quando o esquecimento persiste é hora de procurar o médico, pois é um possível sinal de que a pessoa esteja desenvolvendo algum tipo de demência.

Dados da Associação Internacional de Alzheimer estimam que mais de 46 milhões de pessoas sofrem de demência no mundo, síndrome que atinge com mais frequência os idosos, mas pode ser desenvolvida por pessoas de qualquer idade.

“Várias doenças podem levar a uma síndrome que é conhecida como demência, nome genérico para designar uma série de sintomas que afetam a memória, a percepção, a fala, o raciocínio e até a capacidade de tomar decisões. Esses problemas cognitivos podem tornar as pessoas dependentes de terceiros, pois limitam as atividades mais corriqueiras”, explica o neurologista Márcio Luiz Figueiredo Balthazar, coordenador do Departamento Científico de Neurologia Cognitiva e do Envelhecimento da Academia Brasileira de Neurologia (ABN).

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil ocupava em 2012 a nona colocação entre os países com maior número de casos de demência. A causa mais frequente é o Alzheimer, responsável no País por cerca de 14% das ocorrências. Hipertensão, diabetes, baixa escolaridade e parentes que tiveram a doença também são fatores de risco.

“Queixas de memória são muito comuns e, na maioria das vezes, não são decorrentes de doença cerebral. A queixa torna-se mais relevante quando a pessoa acha que está pior que pessoas da mesma idade e, sobretudo, quando pessoas próximas confirmam a existência do problema”, destaca Balthazar, confirmando que as mulheres são mais propensas a desenvolverem a demência.

As pessoas com essa síndrome costumam repetir as mesmas histórias, têm dificuldade para lidar com dinheiro, confundem-se com datas, perdem-se em caminhos conhecidos, têm alterações de humor e apresentam dificuldade de assimilar novidades, como as notícias, por exemplo. Não é possível evitar a demência e também não há cura na maioria dos casos, mas as chances de desenvolvê-la podem ser amenizadas.

“É preciso cuidar da saúde, sobretudo ficar atento aos problemas cardiovasculares, que aumentam o risco. É necessário também manter a mente ativa, fazer atividades físicas, ter vida social e uma boa alimentação, com pouca gordura. Ficar em frente à televisão por muitas horas, por exemplo, não é bom”, aconselha o neurologista.

A partir do momento em que é constatada a demência, o paciente será medicado para evitar a progressão rápida da síndrome. “Existem vários estudos sobre a demência, mas boa parte deles não apresentou o resultado esperado. Não há drogas para evitar a doença, apenas medicamentos que ajudam a controlar a sua progressão”, finaliza o especialista.

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, terça-feira, dia 14 de novembro de 2017.

Destaque

O programa “Merenda em Foco” do Sebrae do Amapá, acaba de ser reconhecido pela direção geral da entidade como uma referência para o país. Não bastasse isso, a responsável local, Francine Müller, passará agora a ser a coordenadora nacional do programa.

Solução

Olha, mais do que atual essa novidade, especialmente quando o Amapá e o país debatem melhorias para o sistema de fornecimento da merenda escolar. Por aqui, João Alvarenga, do Sebrae, é todo orgulho.

Ao ponto

O projeto feito pela técnica do Sebrae preconiza, claro, que as compras da merenda escolar priorizem as pequenas empresas locais e os produtores rurais, aqueles que integram a chamada agricultura familiar.

Cadeia

Para entender bem. Com as compras da merenda escolar sendo feitas nas comunidade, teremos ingredientes frescos, alimentação escolar saudável e com o fortalecimento do desenvolvimento local. Dez!

Moral

Muito com começar a semana com essa bela notícia, prova de que o Amapá é sim um estado onde se trabalha muito, os profissionais são competentes e temos contribuições para dar ao país. Tenho dito!

Vasto mundo
As relações de trabalho mudaram muito. Você não gostaria de ter este escritório da foto? Este sujeito é o português Filipe Morato Gomes, um blogueiro especialista em dicas de viagem que já deu duas voltas ao mundo e que visitou o Amapá. Ele retrata num diário de viagem muito bem humorado. Confira em www.cleberbarbosa.net.

A dança

O vídeo do ex-ministro José Dirceu dançando na festa de aniversário de sua mulher, neste fim de semana em Brasília, bombou na internet ontem. E causou indignação. Só que Dirceu não está descumprindo medidas judiciais, sabia? Sim, legalmente ele pode participar de festas. Dança na cara da sociedade.

O tapa

Outro vídeo que deu o que falar também foi daqui mesmo, do Amapá. Tem a ver com uma ocorrência onde os dois protagonistas estão errados. De um lado uma mãe que teria espancado as filhas; do outro, o policial militar que foi até a casa dela para apurar a denúncia. Diante da resistência dela, ele a agrediu. 

O clima

A meteorologia avisa que as chuvas deste ano começarão mais cedo, nem esperando dezembro chegar. É que não tivemos fenômenos climáticos como o El Niño, portanto as coisas estarão de volta a ‘normalidade’. Ah, também que este verão nem foi dos mais quentes.

domingo, 12 de novembro de 2017

TURISMO | Um portuga no Amapá: as impressões de um blogueiro europeu viajante

EscritórioO local de trabalho do nosso ilustre visitante deste domingo é por ele mesmo retratado assim: em qualquer lugar do planeta. Filipe Morato Gomes visitou o Amapá e retrata num diário de viagem muito bem humorado.
Cleber Barbosa
Da Redação

Quem opera com turismo receptivo no Amapá certamente deve ter curiosidade de saber a opinião daqueles que partem a respeito do que viram, do que ouviram e do que comeram por aqui. Então o Diário do Amapá descobriu um repositório de criteriosas análises a respeito das viagens que o blogueiro português Filipe Morato Gomes faz ao redor do mundo, uma delas incluindo o Amapá. Ele mantém além dessa página um portal chamado “Hotelândia”, onde se divulgam os melhores exemplos da hotelaria portuguesa, e onde ele dá workshops de Escrita de Viagens.

A chegada
“Em Macapá, estão uns agradáveis 35 graus. A brincadeira, em jeito de boas vindas, foi alegremente transmitida por um bem-humorado comandante do avião entre Brasília e Macapá, a capital do Amapá. Eram 10h30 da manhã do meu primeiro dia no Estado, e logo se ouviram as primeiras referências à condição geográfica de Macapá: a cidade é atravessada pela linha do Equador. Se isso significa muito sol e calor, turisticamente é um chamariz tremendo”.

Meio do Mundo
“O Marco Zero do Equador, monumento que glorifica a localização, é uma das principais atracções turísticas da cidade e até o mais importante estádio de futebol tem a linha divisória do campo perfeitamente alinhada com o Equador. Os amapaenses relembram-no com orgulho. Nos dias em que deambulei [perambulei] pelas ruas da cidade, passei de rompante no “Marco Zero” apenas por ser dia de Equinócio, pretexto para um ajuntamento popular com direito a bandas de música e discursos oficiais”.

Fortaleza
“Fui depois conhecendo a inevitável Fortaleza de São José de Macapá, mandada edificar por governantes portugueses na actual avenida Beira Rio, uma artéria embelezada pela proximidade de um impetuoso Amazonas cor de barro; o Museu Joaquim Caetano da Silva, museu histórico por excelência de Amapá, possuidor de um interessante espólio arqueológico; o Museu Sacaca e a adjacente “farmácia social”; e locais como a Feira do Produtor, mercado ideal para conhecer os produtos frescos que fazem a economia local, entre os quais inúmeras espécies de peixe, legumes e frutas como a melancia e o açaí”.
* Extraído do Blog Alma de Viajante

Em Mazagão Velho, uma velha bandeira portuguesa

“No último dia no Amapá, fiz questão de visitar Mazagão Velho, um vilarejo de origem luso-africana que terá sido fundado com a chegada de centena e meia de famílias fugidas da costa de Marrocos. Batuques ecoavam no sistema de colunas públicas instalado pelas ruas empedradas, com casinhas pintadas harmoniosamente e o ar parado de uma aldeia do interior. “Venha ver uma coisa”, disse-me um homem quando soube da minha origem. Caminhámos até ao outro extremo da vila, atravessando, o centro e o campo de futebol, e ali estava ela, uma bandeira portuguesa quase tão velha como Mazagão, com rasgões vários e os verdes e vermelhos esbatidos, esvoaçando. No avião de regresso a Portugal, enquanto via o Amazonas cada vez mais distante e infinito, soube que o meu regresso ao Amapá será inevitável. Para me assombrar com a poderosa pororoca, onda fluvial gigante que sobe o rio e atrai os mais destemidos surfistas do mundo no mês de maio; para avistar os graciosos botos da bacia hidrográfica do Amazonas; para percorrer a “estrada de chão” rumo a Oiapoque, na fronteira com a Guiana Francesa”.

Da balada noturna emendando para o Igarapé das Mulheres ver açaí chegando
A noite na orla
“E havia ainda o Igarapé das Mulheres, um dos principais locais onde, diariamente, por via fluvial, o açaí chega a Macapá. Queria assistir a esse acontecimento; combinmos sair às 4h30. A noite ia ser longa. Quando as raios solares se despedem de Macapá, todos os caminhos desaguam na marginal [orla] da cidade. É o local onde se concentram pequenos bares e restaurantes, muitos com música ao vivo, animação e gente vestida para impressionar. Fui verificar. O Amazonas batia com estrondo no paredão, misturando-se com os ritmos frenéticos do pagode e melosos do zouk, salpicando de alegria os transeuntes. Num bar mais recatado, uma voz feminina e doce entoava MPB. Ficamos por ali”.

Feira do Açaí
“A noite ainda ia alta quando rumei ao Igarapé das Mulheres e já os barcos tinham descarregado grande parte dos cestos repletos com bagas de açaí, que jaziam na doca, alinhados. Homens de pele enrugada e cigarro na boca passavam o tempo à conversa, expectantes, aguardando compradores. Outros dormiam em redes montadas no convés de barcos pesqueiros, após a faina [trabalho] nocturna. O ambiente era o de uma lota, mas mais calmo. Em poucas horas, as bagas de açaí vendidas estarão transformadas numa das mais típicas iguarias do Amapá. No comércio de Macapá e ao longo das estradas das proximidades, poucas horas depois, uma bandeira vermelha esvoaçará ao vento indicando aos clientes a abundância de açaí, para saborear à colher, fresco e encorpado, com ou sem tapioca, com ou sem açúcar, mas sempre delicioso”, derrete-se o blogueiro português.

Auto apresentação
- O meu nome é Filipe Morato Gomes, vivo em Matosinhos, Portugal, e sou blogger de viagens.

- Tenho 46 anos e muita experiência de viagem acumulada. Já dei duas voltas ao mundo, fiz dezenas de viagens independentes e sou líder de viagens de aventura. No que puder ajudar, estou ao dispor de quem quer viajar mais e explorar os encantos do planeta.

- Sou também co-fundador da Hotelandia, onde se divulgam os melhores exemplos da hotelaria portuguesa, e dou workshops de Escrita de Viagens.

AÇAÍ
Palavra mais repetida no diário de viagem.

O TREM

OPINIÃO | Artigo semanal do ex presidente da república e senador José Sarney.


O mundo gira, a Rússia roda 

Visitei a Rússia como presidente da República em 1988. Era o tempo da glasnost e da perestroika. Gorbatchov flutuava em meio aos desmontes do combalido império soviético. Mas os símbolos da utopia socialista estavam vivos. A moeda em circulação trazia, numa face, a foice e o martelo, na outra, a efígie de Lênin. A bandeira vermelha tremulava em todos os mastros, o hino nacional tocava os acordes triunfais do orgulho nacional, com versos que invocavam: "A força do povo nos leva ao triunfo do comunismo".
Voltei dez anos depois. Tudo mudado. A moeda da foice e do martelo fora substituída pela da águia bicéfala, símbolo dos Romanof, usado secularmente pela dinastia czarista que foi derrubada pela Revolução de Outubro. Nicolau 2º, assassinado com a família nos primeiros dias da vitória, tornara-se santo canonizado pela Igreja Ortodoxa Russa. Entrei numa delas e vi o seu retrato rodeado de flores e pessoas rezando diante dele.
Mas o mais impressionante me aguardava ainda. Foi o que vi no velho restaurante São Petersburgo, em frente à igreja de São Salvador em Sangue, de luzes baças e polcas dançadas por belas jovens que saudavam as noites brancas de junho, eternizadas por Dostoiévski. Entrei e, após sentar-me, vi que ao meu lado estava Lênin, com seu boné, seu dólmã severo, seu cavanhaque inconfundível, sua pele amarelada, magro, o olhar fanático. Ao seu lado, um fotógrafo. Lênin, delicadamente, perguntou-me se podia sentar-se ao meu lado e ofereceu ser batida uma fotografia, que, esclareceu-me, custaria cinco dólares! O mito do século, com o corpo embalsamado no seu mausoléu, em Moscou, ali estava, como sósia de restaurante, lembrança turística da bela cidade de Pedro, o Grande!
Recordo esse fato porque li que Putin, atual presidente da Rússia, depois de uma consulta popular, resolveu recuperar símbolos nacionais. E fez uma salada. O país passará a ter duas bandeiras. Uma, a velha bandeira tradicional da Rússia czarista, branca, azul e vermelha; a outra, vermelha, da extinta URSS, que será de uso exclusivo das Forças Armadas, como seu estandarte. Como hino nacional, foi abandonado aquele que Ieltsin mandou compor e voltou o velho hino soviético, sem letra, porque a antiga, que falava "Lênin iluminou nossas vidas; Stálin nos deu formação", já vinha sendo modificada desde os tempos de Kruschev. O novo escudo nacional voltou a ser, oficialmente, a velha águia de duas cabeças dos czares.
Quando a República foi proclamada, no dia 15 de novembro de 1889, levaram a Deodoro, no dia 17, proposta para substituir a bandeira e o hino. Ele decidiu: "A bandeira nacional, já tão conhecida e reconhecidamente bela, continua, substituindo-se a coroa sobre o escudo pelo Cruzeiro do Sul". Depois, os positivistas acrescentaram "Ordem e Progresso".
Na minha juventude, a frase mais divulgada e colocada em todos os lados não era "proibido fumar" nem sinais de trânsito, era uma regra de higiene: "Não cuspa no chão".
Começamos o século como um país sem povo e chegamos ao ano 2000 com uma forte sociedade democrática e um PIB que vai se aproximando do trilhão de reais.
Dá vontade de lembrar Drummond: "mundo, vasto mundo" e plagiar um slogan de uma antiga transportadora: "O mundo gira, a Rússia roda", e Lênin é atração num restaurante de São Petersburgo!!!
José Sarney é advogado, jornalista e escritor; foi presidente do Brasil e senador pelo Amapá


OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, domingo, dia 12 de novembro de 2017.


Aporte

O estatístico Adrimauro Gemaque, do IBGE, apresentou esta semana um dado importante sobre a dependência do Amapá dos repasses constitucionais da União. Chega a 78% o impacto desse dinheiro federal no custeio da máquina pública local todo santo mês.

Reação

Isso só acende o sinal de alerta, afinal imagina se ocorre uma eventual interrupção dessas chamadas transferências voluntárias? Por outro lado, que todos devem apoiar o empreendedorismo e a produção local.

Estrada

Avançam as obras de duplicação da rodovia Duca Serra (Macapá/Santana), diga-se de passagem graças ao pragmatismo do secretário Jorge Amanajás, com o aval decisivo de seu chefe, o governador Waldez.

Lagoa

O ponto sensível dessa obra – há muito tempo aguardada – é mesmo a travessia da Lagoa dos Índios. Será preciso fazer uma segunda ponte, mais larga que a atual, para que a via tenha as mesmas quatro pistas.

Rede

Pra fechar, vale o registro de que outras vias alternativas que ‘desaguam’ na Duca Serra também estão sendo repaginadas, como o Ramal do Goiabal e a Linha E, que vai dar acesso à Rodovia Norte-Sul.

No rádio
O superintendente do DNPM no Amapá, Romero Peixoto (foto) quando concedia entrevista ao nosso Conexão Brasília de ontem. Falou a respeito de sua repentina exoneração do cargo, que deverá repassar a Thiago da Justa esta semana. “Não foi por incompetência nem corrupção”, ressalvou o engenheiro de minas.

Gastronomia

Um excelente público marcou presença nos três dias da 9ª edição do Festival Amapá Sabor, evento que será realizado pelo Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Estado do Amapá (Sindbar) e que encerrou ontem ao lado do Teatro das Bacabeiras, no Centro de Macapá.

Famílias

O presidente do sindicato, Gilmar Marra, conta que o objetivo sempre é promover, valorizar e divulgar a gastronomia amapaense, oferecendo ao público a degustação de pratos e petiscos que demonstrem e evidenciem a especialidade dos estabelecimentos participantes. 22 empresas participaram do evento.

Chamariz

A ideia é que cada prato apresentasse sabores e originalidade. Ainda de acordo com Marra, o Amapá Sabor chamou a atenção de turistas e munícipes para a variedade, força e atratividade da gastronomia local. Os visitantes vão puderam fazer um tour gastronômico com degustação.

ENTREVISTA | “O bom empreendedor, bom empresário, não demite o bom funcionário”.

CABUÇU BORGES | O parlamentar amapaense na entrevista a Cleber Barbosa, no Conexão Brasília.
Enquanto muitos parlamentares até evitem falar a repeito das reformas que o Governo Federal tenta emplacar no Congresso Nacional, em meio a muito desgaste perante a opinião pública, eis que um deputado do Amapá decide encarar entrevista no rádio para defender o ponto de vista de quem está apoiando algumas medidas. Trata-se de Cabuçu Borges (PMDB-AP) que foi sabatinado ontem no programa Conexão Brasília, na Diário FM. O jornalista Cleber Barbosa conduziu a entrevista, que contou com pontos mais agudos, com a participação de ouvintes e até eleitores do próprio parlamentar. Ele construiu sua linha argumentativa no fato de que o país precisa retomar seu crescimento e produzir cada vez mais, daí a modernização nas relações de trabalho, mas descarta perda de direitos ou garantias aos trabalhadores.

Cleber Barbosa
Da Redação

Blog – Neste sábado passa a viger para todos os efeitos a reforma trabalhista quer o senhor votou pela aprovação lá no Congresso Nacional não é?
Cabuçu Borges – Isso, hoje entra em vigência a nossa lei trabalhista, que na realidade é uma modernização, pois a lei trabalhista continua prevista em nossa Constituição Federal e ela não mudou basicamente nada do que estava previsto, então quem diz que retira direitos está equivocado ou usa como discurso. Mas ela não retira nenhum direito, repito. Na realidade ela só se atualiza, pois o Brasil não é um país isolado, ele está no contexto internacional e a economia está globalizada e nós estamos perdendo mercado, para o Paraguai, para a Argentina, para o Peru, então a gente tem que pensar em reinventar o Brasil. E você sabe que a legislação trabalhista remonta aos idos de 1943, instituída por Getúlio Vargas, então nós temos que reavaliar todo um contexto, pois estamos entrando numa quarta fase do processo de industrialização, então quem pegou ainda a época da tevê a válvula, da máquina de datilografar, enfim, e depois a época das videolocadoras, que hoje tiveram que fechar as portas, porque o mundo está em constante modificação. Então você não pode pensar num Brasil letárgico, um brasil paralisado, nós não temos vocação pra isso, afinal somos um país capitalista e até onde até o meu conhecimento permite, não conheço nenhum país capitalista que tenha dado certo.
Blog – É uma questão de mercado então?
Cabuçu – Nós temos que pensar num país produtivo, num país empreendedor. Esse é o meu conceito, esse é o meu entendimento. Sou economista, né? Então eu entendo que ou a gente faz do Brasil um país competitivo até mesmo em nível internacional ou nós estamos fadados ao fracasso.
Blog – O senhor falou de Getúlio Vargas e ele inaugurou uma era, a do trabalhismo, então quando o atual governo começou a mexer nessas questões como a reforma trabalhista os trabalhadores temiam perder o que consideram conquistas históricas. Isso não vai ocorrer?
Cabuçu – Claro que não. O problema todo é que o Brasil nessa evolução, de filhos para netos, com as próximas gerações que virão, temos que olhar para o futuro e não apenas para o próprio umbigo, esquecendo que as futuras gerações precisam receber das mãos da atual um país melhor. Como está o Brasil hoje é resultado de políticas que a gente não teve o cuidado, políticas imediatistas, políticas… porque existem dois tipos de projeto: o de poder e o de Brasil. Então se investiu muito num projeto de poder e se esqueceu do Brasil. Nós estamos incluídos, como disse, num contexto internacional, então se a gente não se preparar, não se reinventar nós vamos continuar com a pecha do país da malandragem. O Walt Disney, na década de 1930, retratou o Brasil como o [personagem] Zé Carioca, aquele que fila a feijoada do Pedrão, enrola a Rosinha e nunca casa e é amigo do Nestor, que não trabalha. Então é o país da malandragem que ainda está no inconsciente de muita gente.
Blog – E daí a ser um país empreendedor, como fazer deputado?
Cabuçu – O bom empreendedor, o bom empresário, não demite o bom funcionário; o mau empresário não vai para frente; aquele mau empreendedor, aquele que explora a mão de obra de forma irresponsável. E agora, mais do que nunca, o espaço da malandragem está se reduzindo até chegar a zero, pois não se cria em lugar nenhum.
Blog – O governo de Michel Temer usou como blindagem para os desgastes das reformas que julga serem necessárias o fato de que ele não disputará reeleição, mas agora o senhor diria que essa falta de aprovação não estão complicando ainda mais o objetivo de emplacar as reformas?
Cabuçu – olha, mudando um pouco de assunto, esta semana eu estava numa comissão lá em Brasília onde participava o ministro do desenvolvimento social, Osmar Terra, quando um deputado do PT o abordou e reclamou dizendo que esse governo tirou mais de 1 milhão de pessoas do Bolsa Família e disse mais, que era um governo ilegítimo, golpista, enfim, esse é o discurso deles, né? Então o ministro disse que ele estava equivocado, que não foi 1 milhão, mas sim 4 milhões e meio de pessoas que perderam o Bolsa Família, mas porque ao fazer um pente fino, uma malha fina como se diz no imposto de renda, descobriu-se que no Bolsa Família tinha até vereador [recebendo], tinha até empresário; então nesse cruzamento quem não se adequa sai realmente, pois o Bolsa Família é realmente para quem precisa e ao se abrir espaço para inscrições esvaziou-se a fila.
Blog – E o fato do senhor ter votado nessa reforma trabalhista, ainda causa algum desconforto junto aos eleitores?
Cabuçu – Tenho falado abertamente sobre isso, desafiando a que me apontem um único direito do trabalhador que tenha sido retirado na reforma. A única questão que tem gerado algumas manifestações tem a ver com o imposto sindical, pois o trabalhador agora não e obrigado a pagar o imposto sindical, então os sindicatos que não se organizarem – e isso foi até bom para os sindicatos – porque eles viviam no conforto do imposto sindical e agora não ter que se organizar, se reinventar e prestar contas dos recursos que realmente utilizavam. Então quando ocorre um questionamento de um eleitor nosso reafirmo que continuo honrando esse voto pois estou pensando nos seus filhos e em seus netos. Eu sempre digo que todos os meus votos foram responsáveis, como por exemplo no projeto da terceirização.
Blog – Que também passou como muitas críticas de alguns setores, não é?
Cabuçu – Um exemplo de terceirização é o [programa] Mais Médicos, a Copa do Mundo, as Olimpíadas que aconteceram aqui no Brasil, nós só fizemos regulamentar. Mas essa questão, assim como a reforma trabalhista, é necessário que a gente espere uns seis meses para vê-las em prática, vamos ver como a nação vai reagir, sentir seus efeitos.
Blog – Esta semana o senhor também puxou outra questão bastante polêmica recebendo bancadas estaduais do Amapá e do Pará que estão querendo um novo debate sobre a extinção da Renca, a Reserva Nacional do Cobre. O que ficou daquele encontro?
Cabuçu – A questão da Renca, e é por isso que eu chamo de visão romântica, é que nós temos muitos garimpeiros lá na região de Tartarugalzinho que estão passando fome; nós temos o povo brasileiro passando necessidade estando em cima da riqueza; se nós tivermos de novo uma eclosão de manifestações é porque o cara chega em casa e vê o filho chorando e não ter como suprir aquela necessidade dos filhos, é duro. Eu sou contra o garimpo ilegal, o garimpo irresponsável, mas quem é que quer trabalhar nessas condições? Daí o debate sobre a legalização dessas atividades na Renca. Engraçado, quando se abre uma mina no Canadá o povo aplaude; quando se abre uma mina lá na Austrália o povo aplaude, afinal é mais riqueza. E aqui no Brasil por que temos que inibir a produção de riquezas? Tá errado! Nós temos que tornar o Brasil um país competitivo, um país produtivo. Olha, o poder público não abraça todo mundo, quem tem o sonho de ser servidor público, beleza! Só que a tendência do Estado é ele ser mínimo, é a política do estado mínimo. Nós vamos ter uma revolução industrial muito grande e quem for pego com as calças na mão vai ver o bonde passar!

Perfil…
Entrevistado. O amapaense Luiz Gionilson Pinheiro Borges, o Nilson Borges, tem 52 anos de idade, é casado e pai de três filhos. Formado em Economia pela Universidade Federal do Pará (UFPA) em 1985, mas começou paralelamente a carreira de humorista, criando o personagem Vardico, da dupla Os Cabuçus. A parceria só acabou com a morte de Pádua Borges, o Lurdico, ocorrida exatamente no início da campanha eleitoral. E o parceiro deixou gravada dois dias antes de morrer a música que embalaria a corrida pelo voto, mesmo em meio à comoção que o falecimento prematuro do artista provocou na família e nos fãs. Foi eleito um dos oito deputados federais do Amapá com mais de 18 mil votos, sendo o terceiro mais votado, adotando o nome Cabuçu.

PUBLICIDADE