Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


sábado, 30 de dezembro de 2017

TURISMO | Alpinista tucuju Cleonice Pacheco coloca o Amapá no topo do mundo

Guerreira. Um altímetro no pulso, ferramenta comum dos alpinistas pelo mundo. Na foto, a amapaense Cléo Pacheco faz pose e entra para o seleto grupo de poucas, pouquíssimas mulheres que chegaram ao topo acima dos 8 mil metros.
Cleber Barbosa
Da Redação

Nascida em Macapá e hoje uma cidadã do mundo, a irrequieta Cleonice Pacheco Weidlich, conhecida como Cléo, ganhou esse sobrenome estrangeiro ao se casar com um alemão, mas hoje é radicada nos Estados Unidos. E foi o passaporte americano que deve ter ajudado a abrir as portas para um antigo sonho como alpinista: conquistar todos os 14 picos superiores a 8 mil metros. O maior e mais famoso deles foi vencido na primavera de 2010, quando ela culminou o Everest, com seus 8.848 metros, tornando-se uma das primeiras brasileiras a realizar o feito.
Na verdade, Cléo quis ir ainda mais longe quando conquistou o Everest e lançou-se a um ‘double-header’, ao também tentar escalar monte o Lhotse (8516m), porém sem cume.
Mas a amapaense Cléo Pacheco passou por dificuldades até o reconhecimento de seus feitos, mesmo como “cidadã americana”. Segundo o blogueiro e alpinista Pedro Hauck, um dos primeiros a acreditar – e creditar – a ela grandes conquistas. “Até então, ninguém sabia que ela era brasileira, nem eu mesmo. Mas como eu me identifiquei como brasileiro, respondeu em português. Foi aí que a – então desconhecida – Cleo passou a ser notada no Brasil, após eu ter publicado artigos sobre ela”, diz o jornalista brasileiro.

Proezas
"Eu amo o ar livre, montanhismo, mergulho em águas abertas, escalada, surf, golfe, kite surf, esqui e engenharia..."
Cléonice Pacheco Weidlich, Alpinista.
Cleo Weidlich se auto-intitula “sherpa girl” –  que no Tibet seria algo como “gente do leste” – e tem um projeto consistente para culminar todos os cumes 8.000 pelo mundo. Em 2009, ela tentou o Broad Peak (8.051m) e culminou o Cho Oyu (8.188m), sem oxigênio suplementar. Essa foi a primeira ascensão feminina brasileira ao Cho Oyu sem oxigênio engarrafado.

Dinâmica
Já em 2011, os planos de Cleo eram ainda mais ousados. Na primavera, o Kangchenjunga (8.586m). No verão, o K2 (8.611m). E no outono, a difícil Rota Britânica da Face Sudoeste do Shishapangma (8.027m).
Em Macapá, onde Cléo nasceu e viveu seus primeiros anos de vida, sua família não esconde o orgulho com suas façanhas como alpinista, apesar da grande preocupação com sua segurança. “Mas a gente confia muito nela, que sempre busca seguir as regras de segurança, algo fundamental para profissionais de ponta como ela se tornou”, diz seu irmão, o empresário Edyr Pacheco.

Amapaense no ranking internacional das maiores alpinistas
O Kangchenjunga (8586m) é o 8000 mais oriental que existe, ficando na extremidade leste do Nepal, na fronteira com a Índia (Sikkim). É a terceira montanha mais elevada do planeta, e é considerada uma das três mais difíceis (juntamente com Annapurna e K2). Por ser remota, afastada, e difícil, é um dos 8000 menos escalados. A primeira ascensão foi em 1955, por George Band (UK), Joe Brown (UK), Norman Hardie (N-Z) e Tony Streather (UK). O único sul-americano, antes de Cleo, foi o top climber Ivan Vallejo (ECU), em 2006.

Pouquíssimas mulheres até hoje subiram o Kangchenjunga, a lista completa é essa:
1 – Ginette Harrison (UK), em 1998
2 – Gerlinde Kaltenbrunner (AUT), em 2006
3 – Oh Eun-Sun (C-S), em 2009 [cume contestado]
4 – Edurne Pasaban (ESP), em 2009
5 – Kinga Baranowska (POL), em 2009
6 – Go Mi-Sun (C-S), em 2009
7 – Cleo Weidlich (BRA), em 2011
8 – Rosa Fernandez (ESP), em 2011

Diário relata como foi a conquista da amapaense a um dos maiores picos
Cléo relembra a conquista do Kangchenjunga (8586m), o 8000 mais oriental que existe, ficando na extremidade leste do Nepal, na fronteira com a Índia (Sikkim). É a terceira montanha mais elevada do planeta, e é considerada uma das três mais difíceis (juntamente com Annapurna e K2). Na noite do dia 19 de Maio, partiram rumo ao cimo do Kangchenjunga mais ou menos 45 alpinistas e sherpas. Compunham o ataque ao cume expedição russa, expedição indiana, expedição italiana, expedição comercial internacional, e vários alpinistas avulsos. O cume foi atingido na manhã do dia 20 de Maio, por 24 alpinistas (em relatos preliminares), os primeiros as 7 da manhã, e os últimos por volta das 10.
Estiveram no cume, por exemplo, Tunç Findik (TUR), Dawa Sherpa (NEP), Guntis Brands (SUI), Mingma I Sherpa (NEP, que concluiu, então, os catorze 8000), Basanta Kumar Singh Roy (IND), Debasish Biswas (IND), Pasang Phutar Sherpa (NEP), Pemba Chhuti Sherpa (NEP), Tashi Sherpa (NEP), Israfil Ashurly (AZE), Nikolay Totmjanin (RUS), Mario Panzeri (ITA), Rosa Fernandez (ESP), Anselm Murphy (IRL), Pawel Michalski (POL), Ted Atkins (UK), Blair Falahey (AUS), e Cleo Weidlich (BRA) com seus sherpas Pema Tshering (NEP), Dawa (NEP) e Tenzing (NEP).
Os primeiros relatos eram positivos, e Cleo havia feito cume sem oxigênio suplementar, um feito estupendo. Todavia, “o cume é só metade do caminho”, em ditado repetido múltiplas vezes por todos os alpinistas. Nos dizeres do grande mestre Ed Viesturs, “ir até o cume é opcional, descer é obrigatório”. E, na descida começou o longo calvário de Cleo Weidlich...

Fonte: Rodrigo Granzotto Peron (Explorersweb)

CURIOSIDADES
Com o cume do Kangchenjunga, Cleo conquistou vários recordes:
– Primeira ascensão absoluta brasileira do Kangchenjunga,
– Primeira mulher sulamericana a culminar 5 picos 8000 principais,
– O Brasil concluiu o TOP 3 (EV com Michel Vincent, K2 com Waldemar Niclevicz, e Kangchenjunga com a Cleo Weidlich), o que é uma honraria conquistada por muito poucos países (na América do Sul, apenas o Equador, com o Ivan Vallejo, tem essa conquista).
8.848m
Altura do Pico Everest, o maior do planeta.

EVEREST

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, sábado, dia 30 de dezembro de 2017.

Foi-se

O ano de 2017 está chegando ao fim e com ele muitas revelações. E lições. Aprendemos a conjugar as novas expressões, como a judicialização da política; e a politização da justiça; Um lado do Judiciário está ajudando a passar a limpo a política. Ja outro, faz parte.

Caso

Por aqui, no Amapá, o que era tecnicamente o benefício da dúvida, virou o direito de ser declarado inocente. Falamos em relação a Waldez Góes, que antes da justiça, recebeu um indulto popular, no voto.

Questão

O caso do atual governador serve para ilustrar a linha tênue existente entre o clamor por mudanças, pelo fim da impunidade, porém sem atropelar o ordenamento jurídico, o contraditório, a presunção da inocência.

Mãos

O tempo – e a história – certamente hão de mostrar o que estava por trás daquela gigantesca operação de 2010, que mudou o história da eleição no Amapá e fez uma reengenharia no tabuleiro político local.

Tarde

Vimos um decano da má política ir para trás das grades, num ‘delay’ homérico. Os maus feitos de Maluf eram há décadas propalados pelo MP paulista. E ele brinca com nossa inteligência com sua bengala.

Virada
A abertura oficial do 22º Réveillon Beira Rio e da 2ª Virada Afro aconteceu na noite de sexta-feira, com um cortejo e culto ecumênico para celebrar a diversidade religiosa e dar início à programação que acontece até a virada de 31 de dezembro de 2017 para 1º de janeiro de 2018, em comemoração à chegada do Ano-Novo. Quer venha muito melhor!

Facilidade

E o Governo anuncia um Refis do IPVA 2018. O imposto pode ser parcelado em até 24 vezes e as taxas do Detran podem ser divididas em 12 parcelas. O período de adesão já foi definido: de 08 de janeiro a 28 de fevereiro de 2018. É só procurar a Sefaz ou as lojas do Super Fácil.

Pesquisa

O deputado Marcos Reátegui fez uma visita ao Campo Experimental do Cerrado, mantido pela Embrapa Amapá no Km 45 da BR-156, para saber mais a respeito das pesquisas, que mereceram dele um aporte de R$ 200 mil em emenda parlamentar para 2018. O agronegócio, penhoradamente, agradece, é claro.

Recurso

O senador Davi Alcolumbre em audiência com o ministro da educação, Mendonça Filho obteve a liberação de mais R$ 60 milhões de reais para a conclusão da obra do Hospital Universitário, que será entregue à população até 2019, antes do prazo previsto, segundo a Unifap. 

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

MERCADO | Amapá é o estado brasileiro com mais mulheres como 'chefes de família'

A pesquisa é do PNAD Contínua, ligado ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)
Cleber Barbosa
Da Redação

O Amapá é o estado brasileiro com mais mulheres exercendo o papel de chefes de família. Elas comandam quase metade das famílias tucujus, com 46,51%. Em 2005, elas eram 35,44%. No Brasil, o número de mulheres como "pessoas de referência familiar" cresceu 64%, entre 2005 e 2015, passando de 17,6 milhões, em 2005, para 28,9 milhões, em 2015. Os números, levantados pelo IDados, são da PNAD Contínua.
Esse estudo destina-se a produzir informações contínuas sobre a inserção da população no mercado de trabalho associada a características demográficas e de educação, e, também, para o estudo do desenvolvimento socioeconômico do País, agregando a produção de resultados anuais sobre temas permanentes da pesquisa (como trabalho infantil e outras formas de trabalho, migração, fecundidade etc.) e outros aspectos relevantes selecionados de acordo com as necessidades de informação.
A pesquisa é realizada por meio de uma amostra de domicílios, extraída de uma amostra mestra, de forma a garantir a representatividade dos resultados para os diversos níveis geográficos definidos para sua divulgação. A cada trimestre, são investigados 211.344 domicílios particulares permanentes, em aproximadamente 16.000 setores censitários, distribuídos em cerca de 3.500 municípios.

Periodicidade: Mensal, para um conjunto restrito de indicadores relacionados à força de trabalho e somente para o nível geográfico de Brasil; trimestral, para indicadores relacionados à força de trabalho; anual, para os demais temas permanentes da pesquisa e indicadores complementares relacionados à força de trabalho; e variável, para outros temas ou tópicos dos temas permanentes a serem pesquisados com maior periodicidade ou ocasionalmente.

Abrangência geográfica: Brasil, Grandes Regiões, Unidades da Federação, 20 Regiões Metropolitanas que contêm Municípios das Capitais (Manaus, Belém, Macapá, São Luís, Fortaleza, Natal, João Pessoa, Recife, Maceió, Aracaju, Salvador, Belo Horizonte, Vitória, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre, Vale do Rio Cuiabá, e Goiânia), Municípios das Capitais e Região Integrada de Desenvolvimento da Grande Teresina.

PUBLICIDADE | Promoção de Smartphone nas lojas Center Kennedy. Confira!


MERCADO | Férias podem ser uma boa oportunidade para colocar os estudos em dia

A preparação para concursos públicos, vestibulares e outros exames que podem definir o futuro profissional nem sempre é uma tarefa fácil e, muitas vezes, acaba tomando conta de feriados, férias e até finais de semana. Mas, isso pode ser algo bastante positivo. Para sair na frente em relação a outros candidatos, diversos estudantes aproveitam as férias de final de ano para colocar os estudos em dia e se matricular em cursos complementares e aulas extras. Pensando nisso, o CERS – maior rede de cursos preparatórios para carreiras jurídicas, OAB e concursos – está com inscrições abertas para a campanha Cursos Completos 2018.
Ao todo, estão sendo oferecidos 29 cursos preparatórios para concursos nos segmentos jurídico, tribunais, policial e de cartórios, além de combos especiais que incluem matérias complementares, para estudantes interessados em antecipar os estudos durante as férias. Até o dia 31 de dezembro, os interessados ainda ganham 40% de desconto nas matrículas pelo site.
Para o presidente do Grupo CERS, Renato Saraiva, esta é uma oportunidade para quem pretende antecipar a preparação para os certames previstos para 2018. “A vida de concurseiro requer dedicação aos estudos e, nada melhor do que aproveitar esse período de recesso e férias para já começar a ler e entender melhor os assuntos que serão cobrados pelas bancas e provas. Além disso, queremos oferecer uma formação exemplar para os nossos alunos e prestar suporte em todas as horas que necessitarem de ensinamentos para alcançar seu objetivo profissional”, afirma.
Os interessados também terão a oportunidade de participar da promoção “O CERS patrocina a sua aprovação”. Serão três estudantes premiados com a restituição integral do valor investido no curso; acesso gratuito, durante doze meses, a três cursos do CERS à escolha, exceto pós-graduação e presenciais; 10 livros jurídicos que podem ser escolhidos em uma lista especial elaborada pela rede; e também duas passagens (ida e volta, com hospedagem) para a realização de dois concursos públicos em qualquer lugar do Brasil, mediante comprovação de inscrição no certame.

Sobre o Grupo CERS
O Grupo CERS é especialista no aperfeiçoamento e no direcionamento de carreiras por meio de ensino online. Os quatro principais braços do Grupo – CERS Cursos Online, Pós-Graduação, CERS Centro de Estudos e CERS Corporativo – oferecem educação de qualidade tanto para carreiras jurídicas quanto para outras áreas por meio de transmissões flexíveis e constantemente atualizadas. Em 2016, o Grupo CERS faturou R$ 75,6 milhões e a perspectiva para este ano é de alcançar R$ 89 milhões. “No DNA do CERS estão o mundo do Direito e a educação com qualidade. Unimos a isso tecnologia, interatividade e muita inovação. Queremos que o nosso aluno receba o melhor ensino à distância do país”, afirma Renato Saraiva, presidente do CERS, que nasceu como uma escola online preparatória para concursos públicos em Direito.

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, domingo, dia 24 de dezembro de 2017.


Frente

Empresário Jaime Nunes, em entrevista ontem ao programa Conexão Brasília, não deu nenhuma pista sobre qual cor poderá ser predominante em seu futuro palanque para concorrer a senador. Nem azul, nem amarelo ele entrega. Pode ser uma terceira via, dizem.

Jovem

Além de Jaime, outra liderança empresarial já diz abertamente que entra na disputa por uma das duas cadeiras em disputa ao Senado. É Fábio Renato, do setor de provedor de internet. Mas tem muitos nomes.

Quadros

O PMDB vai mesmo de Gilvam Borges, apesar de que muita gente querer Fátima Pelaes. Quem sabe os dois possam concorrer, afinal são duas vagas. Ou a segunda indicação venha do leque de coalizão.

Web

A prefeita de Pedra Branca do Amapari, Beth Pelaes, chamou atenção no clipe de Natal feito após cantata editada por lá. Ela aparece ao piano mandando ver numa apresentação com crianças cantoras.

Decano

Já o ex presidente Sarney parece mesmo ter decidido atender os pedidos da família e não confirmou mais voltar a disputar eleição pelo Amapá. Passa as festas de fim de ano visitando familiares no Maranhão.

No rádio
Empresário Iraçu Colares nos estúdios da Diário FM no último sábado, por ocasião do jornalístico especial de Natal. Fez um balanço das atividades do ano no setor da pecuária e agricultura, dizendo-se otimista de que boas novas o estado venha a ter no próximo ano. Ele é o presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Amapá (Faeap).

Apoio

Agricultores familiares ganharam mais um incentivo do GEA. Foi a liberação de R$ 1,1 milhão para 13 associações que participaram da Chamada Pública do Programa de Produção Integrada (PPI). A assinatura do Termo de Colaboração ocorreu na última sexta-feira, 22, no Palácio do Setentrião.

Inovação

O documento garante a liberação da primeira, das quatro parcelas no valor de R$ 251,5 mil, dos recursos destinados às entidades selecionadas. Coordenada pela SDR, a ação refere-se à safra 2017/2018. O PPI possibilita o fortalecimento da agricultura familiar e o desenvolvimento rural, com tecnologia, claro.

Suporte

O secretário do Desenvolvimento Rural, Robério Nobre, comentou que a iniciativa tem o objetivo de transformar tecnologia em conhecimento para alavancar a produção, por meio de políticas públicas. “Valorizar, dar suporte e investir na nossa produção”, resume Nobre.

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

OPINIÃO | "O ano que termina, sob a ótica do turismo", artigo de Edyr Pacheco

O ano que termina, sob a ótica do turismo.

O ano de 2017, está entrando na sua última semana. É momento de se refletir o que representou para o turismo local e brasileiro. 
No brasil,  por conta da falta de políticas de Estado, não tivemos um resultado positivo. Patinamos, o ano todo, com agravamento da crise do Rio de Janeiro, porta de entrada do turismo nacional, o parque hoteleiro ficou com um déficit bastante largo, o que fez com que os nossos turistas migrassem para outro destinos do planeta.
No Amapá, também não foi diferente, sentimos a falta de uma política pública contínua, persistente. 
mesmo os coadjuvantes do turismo como Trade, Ceturh, Sindetur não conseguimos implementar um Turismo organizado com um plano bem traçado e executado.
Chega-se ao fim do ano, com certa impotência, mas crente ainda de que em 2.018, os nossos gestores maiores terão um olhar mais profissional e inteligente para perceber que o turismo é e será uma das melhores sacadas do Amapá. 
Nosso parque empresarial, está acreditando e apostanto alto no seguimento. Construímos inúmeros pontos de lazer e acomodações nos limites do município e do estado.
Em breve inauguraremos o maior complexo de hospedagem com 154 novos apartamentos na categoria conforto turístico, e assim vamos fazendo nossa parte. 
Vamos torcer para conseguirmos levar nossos visitantes com conforto e seguranças a estes novos pontos de lazer. 
Esperamos resolver as dificuldades do trânsito na fronteira internacional assim como a cooperação no turismo de selva, aventura, náutico etc.
O Ceturh e Sindetur, desejam a todos os que fazem parte dessa cadeia turística, um FELIZ NATAL e PRÓSPERO em todos os sentidos ANO NOVO!!

Edyr Pacheco é empresário, presidente do Sindicato das Empresas de Turismo do Amapá (SINDETUR).

CULTURA | Festival de música reúne os destaques de 2017 e aponta promessas de 2018

Pop Live Festival será uma vitrine das novas caras da música local e as apostas para 2018.
Cantor amapaense Fype, uma das revelações da música amapaense
“Vitrine de Talentos” é o termo que se pode usar para descrever o primeiro festival de música da nova cena fonográfica de Macapá. “POP LIVE FESTIVAL” reúne os artistas que se destacaram com seu material autoral no ano de 2017, e apontas as novas apostas do cenário para 2018. 

As atrações confirmadas no festival trazem um mix de gêneros musicais, além de produções próprias e independentes. Nanda Viana, Faype, Jhimmy Feiches, Michele Maycoth e a Banda Calisto apresentam seus trabalhos mais populares lançados no ano de 2017.  

O evento também apresenta ao público novos artistas que preparam sua entrada no mercado fonográfico em 2018, como é o caso da banda UmBra, e os meninos da Macacos Pelados que investem na cena do rock alternativo, e os cantores solos Bê Silva, Gylldo Alves e Hanna Moura que apostam na música popular brasileira.

Para compor um espetáculo ainda mais dinâmico, a programação conta com performances especiais de dança dos bailarinos Cayton Farias, Melissa Ribeiro e Mayara Siqueira, e também do grupo de danças urbanas Masterpiece. Blogueiros e personalidades serão os apresentadores das atrações. 
“Sempre tivemos muitas mostras de danças, teatrais, etc. O musical ficava de lado. A idéia partiu do desejo de dar visibilidade a nova cena musical que o estado tem vivenciado, cantores independentes surgem com cada vez mais força e materiais atrativos, e a sociedade macapaense tem a necessidade de conhecê-los”, dizem os idealizadores do projeto, Faype e Melissa Ribeiro.
O evento acontece na próxima quarta-feira, 27 de dezembro, a partir das 19h, no Teatro das Bacabeiras, localizado na Av. Cândido Mendes 1087, Centro. A realização é uma parceria da empresa privada “Onze do Três Produções” e a bailarina e coreógrafa Melissa Ribeiro.

AMAPÁ | Receita própria do Estado aumentou 700% em dois anos, diz TCE-AP

Nos últimos dois anos o Tribunal de Contas do Estado do Amapá (TCE/AP), vem atuando na fiscalização da Receita Corrente Líquida do Estado, através de auditorias e inspeções, para melhorar a arrecadação própria, o que gerou um aumento de 702% só no Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) entre 2015 e 2017. Em 2015, o estado arrecadou R$26.994.891,38, em 2016 saltou para R$ 172.319,097,56 e em 2017 foram arrecadados R$ 216.390.822,69.

Gráfico com acompanhamento da receita estadual pelo TCE
Para o inspetor de controle externo Cirilo Ferreira, um dos grandes gargalos identificados pelo TCE nos últimos anos, que vinha contribuindo para a baixa arrecadação da receita foi a falta recolhimento do imposto de renda retido na fonte. “Foi observado que os órgãos públicos retinham o imposto de renda dos servidores, mas não faziam o recolhimento para o Tesouro estadual, o gera reflexos contábeis muito sérios, como por exemplo, diminuição dos percentuais de educação e saúde, que eram calculados com base na receita subestimada”, observou o técnico.
As ações de fiscalização iniciaram em 2015, o que gerou uma recomendação conjunta com MP, estabelecendo que o governo do Estado melhorasse os controles contábeis e financeiros da arrecadação estadual. “O TCE está trabalhando para identificar pontos críticos e incentivar boas práticas, visando o aumento da arrecadação, a diminuição do desequilíbrio entre receitas-despesas e os impactos da crise financeira no estado, assim contribuindo para a melhoria da vida da população do Amapá, pois o governo tem mais recursos que podem ser revestidos em políticas públicas”, pontuou Cirilo, inspetor de controle externo.

Recomendação conjunta TCE/AP E MPE
Cirillo Ferreira, inspetor do TCE-AP
O Tribunal de Contas do Estado do Amapá (TCE/AP) e o Ministério Público do Estado do Amapá (MPE/AP), expediram em 2015, recomendação conjunta para que os Poderes e Órgãos do Estado, tomassem providências a fim de sanar as impropriedades e inconsistências nos procedimentos de cálculos da Receita Corrente Liquida (RCL), que foram identificadas pelos analistas do Tribunal de Contas.
A recomendação solicitou que o Governador do Estado determinasse à Secretaria da Fazenda (Sefaz) e à sua contabilidade adotem procedimento formal quanto ao registro histórico do processo de cálculo, revisão da metodologia de cálculo das deduções e, detectadas as falhas apontadas no relatório de inspeção do TCE, efetue a regularização nos registros dos demonstrativos fiscais e contábeis, a fim de tornar compatíveis os valores constantes das publicações oficiais e de repasses aos municípios.

Levantamento das Receitas estadual e municipais
O Tribunal de Contas em 2017, em busca da qualidade da gestão e governança da receita iniciou o “Levantamento de Governança e Gestão Fiscal das Receitas do Estado e dos Municípios do Amapá”, que será realizado através de questionários eletrônicos aplicados aos gestores, no intuito de colher informações dos controles da receita pública.
A ferramenta aponta a situação e a evolução da receita própria dos municípios e do Estado, possibilitando a identificação dos pontos críticos e das boas práticas executadas, que servirão para a seleção das próximas ações de fiscalização voltadas à receita pública, visando o aumento de arrecadação e a diminuição do desequilíbrio entre receitas e despesas públicas.

MINERAÇÃO | Imap avalia como alto o risco de desabamento de barragem no Lourenço

Fiscais do Imap, Sema e agentes da Defesa Civil, DNPM e Ibama escoltados pela Polícia Federal | Foto: GEA
Uma operação conjunta entre órgãos fiscalizadores de Meio Ambiente e Mineração detectou uma série de irregularidades no principal garimpo do Lourenço, no município de Calçoene, a 360 km da capital, ao norte do Estado. A ação, ocorrida nesta quarta-feira, 20, atendeu a uma recomendação do Ministério Público Federal do Amapá (MPF/AP).
Após as inspeções, os fiscais do Instituto de Meio Ambiente e Ordenamento Territorial (Imap) constataram um alto grau de risco de acidentes com o volume do reservatório, construído para armazenar os rejeitos da lavra de ouro no garimpo administrado pela Cooperativa dos Garimpeiros do Lourenço (Coogal).
O relatório técnico, que deve ser entregue ao MPF/AP nesta sexta-feira, 22, aponta que há riscos reais de rompimento da barragem, o que poderia causar danos ambientais de grandes proporções. Pois, o volume já provoca rachaduras nas barreiras de contenção.
“Estamos finalizando o parecer técnico que, além de classificar a barragem quanto à CR [Categoria de Risco] e ao DPA [Dano Potencial Associado], contém medidas que devem ser tomadas em regime de urgência para prevenir o risco de rompimento”, explicou a coordenadora de Fiscalização do Imap, Edilene Ribeiro.
Além de profissionais do Imap, participaram da ação, fiscais da Secretaria de Estado do Meio Ambiente, agentes da Defesa Civil, Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Eles estavam escoltados por agentes da Polícia Federal.

SEGURANÇA | Marinha do Brasil lança operação nacional para a temporada das férias

A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos do Amapá (CPAP) está lançando hoje uma grande operação de segurança da navegação para a temporada das férias. Em comunicado, a Capitania dos Portos do Amapá informa que inicia a chamada Operação Verão 2017/2018. Com o conceito “Segurança da Navegação: quem valoriza a vida, respeita”.

A campanha será realizada nas localidades de maior concentração de embarcações da Área de Jurisdição da CPAP, sobretudo as embarcações de transporte de passageiros, esporte e recreio e turismo náutico.

Na Operação, as embarcações serão vistoriadas por equipes de Inspetores Navais, ocasião em que são verificadas as condições de segurança, o material de salvatagem, o acesso aos coletes salva-vidas por parte dos passageiros, o excesso de lotação de passageiros e de carga, estivação, peação do material de bordo e a habilitação dos condutores de embarcações.

Além disso, serão realizados testes de alcoolemia com uso de etilômetros. Especial atenção será dada à prevenção de acidentes com embarcações que transportem passageiros. Ainda, durante o período da Operação Verão 2017/2018, será realizada a campanha “Travessia Segura”, entre os dias 15 e 31 de janeiro, visando incrementar as ações de fiscalização nas embarcações de transporte de passageiros, que tem seu fluxo intensificado durante o período de férias nas orlas e balneários.

Acompanhe, a seguir, o vídeo institucional da Operação Verão.


“Segurança da Navegação: quem valoriza a vida, respeita”

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, sexta-feira, dia 22 de dezembro de 2017.

ACIA

O empresário Jaime Nunes, tomou posse na diretoria da Associação Comercial e Industrial, uma volta ao cargo de presidente, 28 anos depois de ter sido o protagonista de um momento histórico, quando da transformação do estado em Área de Livre Comércio.

Brasília

Mas o que acabou roubando a cena foram as manifestações de amigos e parceiros – e depois do próprio empresário – de que vai mesmo disputar a eleição do ano que vem para uma cadeira no Senado Federal.

Discurso

Jaime subiu ao palco e manifestou o interesse de primeiro dar um novo fôlego à ACIA, num momento que julga ser de retomada do crescimento do país, para espantar de vez a crise econômica. E depois a política.

Mudar

Mas o empresário disse também querer protagonizar um debate sobre a política nacional e local, a respeito da necessidade de, assim como a economia, ser passada a limpo, com o que define ser o “novo”.

Rádio

A íntegra da longa entrevista do empresário ao jornalista Cleber Barbosa será veiculada no próximo sábado no programa Conexão Brasília, da Rádio Diário FM, no horário das 7 às 9 horas das manhã.

Canetada
Governador Waldez quebra um velho tabu sobre a abertura do orçamento estadual no Ano-Novo. É que muitas gestões deixavam para março, abril até, para empenhar novas despesas. Ele garante que até o dia 5 de janeiro o estado inaugura novo exercício financeiro e que ‘restos a pagar’ seguem ordem cronológica.

Operação

A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos abre hoje a Operação Verão 2017/2018, com o conceito “Segurança da Navegação: quem valoriza a vida, respeita”. A campanha será realizada nas localidades de maior concentração de embarcações da Área de Jurisdição da Capitania.

Alvos

Na operação, embarcações serão vistoriadas sobre as condições de segurança, o material de salvatagem, o acesso aos coletes salva-vidas por parte dos passageiros, o excesso de lotação de passageiros e de carga, estivação, peação do material de bordo e a habilitação dos condutores de embarcações.

Segurança

Além disso, serão realizados testes de alcoolemia com uso de etilômetros. Especial atenção será dada à prevenção de acidentes com embarcações que transportem passageiros., sobretudo as embarcações de transporte de passageiros, esporte e recreio e turismo náutico.

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

COMÉRCIO | Empresário Jaime Nunes assume ACIA e admite candidatura ao Senado

O empresário Jaime Nunes e o jornalista Cleber Barbosa | Foto: Diego Luiz
Nádia Carvalho
Da Redação

O empresário Jaime Nunes, que controla uma holding empresarial no Amapá, tomou posse na noite de ontem (20) à frente da diretoria da ACIA (Associação Comercial e Industrial do Amapá). O evento marcava sua volta ao cargo de presidente, 21 anos depois de ter sido o protagonista de um momento histórico, quando da transformação do estado em Área de Livre Comércio. Mas o que acabou roubando a cena foram as manifestações de amigos e parceiros – e depois do próprio empresário – de que vai mesmo disputar a eleição do ano que vem para uma cadeira no Senado Federal.
Em seu discurso, o superintendente do Sebrae, João Alvarenga, já dava a pista e depois foi direto ao ponto, praticamente aclamando em público que Jaime Nunes entre para a disputa pelo voto popular por entender que seu sucesso empresarial fará muito bem para a reformulação política do estado e do país.
Em seguida o próprio Jaime foi ao palco e manifestou o interesse de primeiro dar um novo fôlego à ACIA, num momento que julga ser de retomada do crescimento do país, para espantar de vez a crise econômica. Mas também protagonizar um debate sobre a política e a necessidade de ser passada a limpo, com o que define ser o “novo”.
A íntegra da entrevista do empresário ao jornalista Cleber Barbosa será veiculada no próximo sábado no programa Conexão Brasília, da Rádio Diário FM, no horário das 7 às 9 hora das manhã.

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

MINERAÇÃO | Icomi ganha na Justiça Federal direito de retomar operações no Amapá

Aspecto da audiência de conciliação na Sede do TRF da 1ª Região, em Brasília
Texto e foto: TRT1

O Sistema de Conciliação da Justiça Federal da 1ª Região (Sistcon) fechou acordo nesta segunda-feira, dia 18, entre a União, o estado do Amapá, o município de Serra do Navio/AP e a mineradora Indústria e Comércio de Minérios S.A (Icomi), reconhecendo o direito da empresa de extrair os resíduos de minério de manganês por ela explorado por cerca de 30 anos, na cidade amapaense localizada a 203 km de Macapá, capital do Amapá.

Mesmo tendo a concessão de lavra, a Icomi estava impedida de operar no local em virtude de decisão obtida por outra empresa mineradora no Tribunal de Justiça do Amapá.

Com a conciliação, a mineradora se comprometeu a retomar as atividades de transferência do restante de rejeitos no prazo de um mês, submetendo-se à fiscalização dos órgãos responsáveis e ao recolhimento da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), bem como a criar projetos de compensação socioambiental para resguardar o município após o término da retirada dos rejeitos.

Para a coordenadora do Sistcon, desembargadora federal Maria do Carmo Cardoso, que conduziu a audiência, o maior beneficiário dessa conciliação é para a população do município de Serra do Navio. “Pelo que se colocou aqui, a partir de agora, além da parcela do CFEM, o município terá 5% do valor líquido do faturamento da exploração da mineradora a ser colocado em um fundo justamente para gerar ali as condições econômicas e ambientais”, afirmou a magistrada.

Manganês
O prefeito de Serra do Navio, Elton Lobato, ficou satisfeito com o acordo obtido na conciliação. “A data de hoje é um momento histórico para o Amapá, sobretudo para o meu município de Serra do Navio, e a expectativa é muito grande, porque o município está muito decadente de emprego, de investimentos, de projetos sociais. Então, nós precisamos realmente ter esta oportunidade de fazer com que o resultado desta audiência de conciliação traga novas alternativas para a cidade, transformando esses recursos que virão nas prioridades que o município requer”, disse o político.

Já o diretor executivo da Icomi, Marcelo Velasquez, afirmou que a empresa está comprometida em cumprir o acordo. “Temos plena consciência das nossas obrigações e também do quanto as nossas operações lá vão ser benéficas para toda população de Serra do Navio. Esse acordo é muito importante pra nossa empresa, porque vai garantir uma segurança para o retorno das nossas atividades e, com isso, beneficiar todo o estado do Amapá e, principalmente, o município, que é uma cidade com bastante carência hoje no estado”.


OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, quarta-feira, dia 20 de dezembro de 2017.

Ifap

Governo do Estado e Fundação Carlos Chagas divulgam o resultado preliminar da prova prática processual para o cargo de delegado de Polícia Civil. A prova, de caráter classificatório, foi aplicada no mês de novembro, para 143 candidatos de várias partes do país.

Tarefa

Esta é a segunda etapa da primeira fase do concurso público. Eles tiveram que elaborar uma peça processual. Para o cargo de delegado, o certame contempla 25 vagas imediatas e 76 cadastros reservas.

Recurso

Os candidatos terão entre hoje e amanhã para interpor recursos ao resultado preliminar divulgado ontem, cujo procedimento deve ser feito diretamente no site da Carlos Chagas (www.concursosfcc.com.br).

Etapas

Neste mesmo período, estará disponível para consulta a grade de correção e a vista das folhas de respostas da prova prática. Virão as etapas documental, exame psicológico, investigação social e curso de formação.

Novo gás

A próxima fase do concurso consiste em prova oral, prevista para ocorrer de 2 a 4 de fevereiro. O resultado final, de acordo com o edital, deve ser divulgado em 27 de março. Que venha uma boa safra para a polícia.

Ação
A Justiça Federal recebeu denúncia do Ministério Público Federal no Amapá (MPF/AP) contra os integrantes do principal núcleo de investigados na Operação Minamata. O núcleo, segundo os procuradores e a PF seriam o promotor aposentado Moisés Rivaldo, o presidente da Coogal, o ex chefe do DNPM e um vereador.

Posse

A baiana Rachel Ribeiro Barbalho tomou posse ontem, em sessão especial, no Tribunal de Contas do Estado do Amapá (TCE/AP) como a nova procuradora-geral de Contas, para o biênio 2018/2019. Ela já era procuradora de carreira daquela Corte, tendo ingressado por concurso público em 2014.

Funções

Para entender, antes do concurso para o TCE, era o Ministério Público Estadual quem cedia um de seus membros para atuar na função de procurador-geral de Contas. Marcaram época na função os procuradores Jair Quintas e Socorro Milhomen. O MP de contas é quem dá parecer final no julgamento de gestores.

Papel

O Ministério Público Especial ou Ministério Público de Contas (MPC) é uma instituição secular, concebida na gênese do sistema de Controle Externo brasileiro e que, após 1988, ganhou assento constitucional. Atua nos com as relevantes funções institucionais do “Parquet”.

POLÍTICA | Ministro da Educação confirma a Davi viagem ao Amapá nesta quinta-feira

O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) e o ministro Mendonça Filho | Foto: Rafaela Carrera
Nesta quinta-feira, dia 21, o senador do Amapá, Davi Alcolumbre (Democratas), recepciona o ministro da Educação, Mendonça Filho, e o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Silvio Pinheiro, que vêm ao estado para cumprir duas agendas institucionais relacionadas à pasta. A vinda do ministro e do presidente, reforça o compromisso do Governo Federal e do mandato do senador com todos os municípios e da articulação  com o governo federal. Na pauta, Hospital Universitário (HU) e reunião com os prefeitos para tratar dos programas de repasse constitucional e eventuais pendências com quaisquer programas vinculados ao Ministério da Educação (MEC).
O ministro Mendonça Filho e o presidente Silvio Pinheiro chegam junto com o senador Davi Alcolumbre, às 8h30, e iniciam a primeira agenda no canteiro de obras do Hospital Universitário, no bairro Zerão. O Hospital é de interesse do MEC por se tratar de unidade ligada a uma universidade federal. Em andamento, a obra é uma realidade graças à emenda impositiva da bancada amapaense. A obra apresenta números audaciosos para a realidade do Amapá, onde o último grande investimento em saúde foi na construção do Hospital Geral, atual Aberto Lima, na década de 50.

Crédito
A segunda agenda é no auditório do Sebrae/AP, às 10 horas, onde estarão reunidos prefeitos e secretários de Educação municipais para tratarem com o presidente Silvio Pinheiro, o ministro Mendonça Filho, e técnicos do FNDE, de assuntos relacionados ao Fundo. Os gestores municipais irão ouvir os profissionais sobre financiamento de linhas de crédito, obras em todos os municípios, e ainda consultar os técnicos sobre programas federais na área de educação e pendências das prefeituras com o MEC.
“A presença do ministro Mendonça Filho e do presidente Sílvio Pinheiro comprova que o Governo Federal enxerga o estado do Amapá, e por isso aposta em investimentos. Devido ao trabalho realizado pela bancada, chamamos a atenção do Ministério da Saúde, que aportou recursos para a aquisição de equipamentos do HU e do MEC, que vem ao Amapá visitar a obra e junto com o presidente do FNDE, falar diretamente com os prefeitos dos nossos municípios”, disse o senador Davi Alcolumbre.

MINERAÇÃO | Audiência pública alimenta esperança nos garimpeiros da COOEMAP

Trabalhadores garimpeiros em Tartarugalzinho na Cooperativa Estadual
Texto e fotos: Martins Filho

A Cooperativa Extrativista Mineral do Estado do Amapá – COOEMAP, através de seu presidente Chico Nogueira, esteve participando de uma Audiência Pública, em Tartarugalzinho, promovida pela Câmara de Vereadores daquele município. O evento se reverte de uma grande importância para o processo de permitir a autorização de lavra aos próprios garimpeiros – através de sua associação por essa cooperativa, que tem abrangência estadual.
Também estiveram presentes o prefeito de Tartarugalzinho, Rildo Oliveira, o Juiz da Comarca local, Eraldo Costa, o presidente da Câmara Municipal, Manoel Ferreira, a procuradora geral do município, Sofía Souza Oliveira, o presidente da Coomita, Artur Izídio e Marcelo Creão, analista ambiental do Governo do Estado.
Mais de duzentas pessoas, entre moradores e mineradores de Tartarugalzinho, estiveram participando da audiência pública, que foi realizada na Quadra de Esporte da Escola Municipal Raimunda Lobato dos Santos. Na ocasião, foi discutido entre as autoridades a preocupante situação em que se encontra o setor mineral naquele município em virtude dos últimos acontecimentos, visando tratativas de discussões quanto às providências para o reaquecimento e equacionamento da demanda do extrativismo do minério de ouro na região – uma vocação histórica da região.

Lacuna
Prefeito Rildo Oliveira, ladeado pelo juiz Eraldo Costa, o vereador Manoel Ferreira e o presidente Chico Nogueira
Segundo informações da assessoria de comunicação da Câmara de Tartarugalzinho, foram convidados todos os deputados federais, senadores e deputados estaduais – através de documento ao presidente da Assembleia Legislativa, extensivo a seus pares, como também demais órgãos que tratam a mineração estadual.
Para o presidente da Câmara, vereador Manoel Ferreira, boa parte da população local sobrevive do seu labor nas inúmeras atividade advindas do segmento mineral e que vem indiscutivelmente trazendo dissabores e preocupação ao dirigente. "Pois não se trata somente de uma causa storial, mas coletiva, de provedores de famílias, comprometendo assim o sustento e subsistência de seus dependentes, tornando-se uma causa amplamente social”, disse o parlamentar.
O prefeito de Tartarugalzinho Rildo Oliveira criticou a ausência das demais autoridades convidadas, entre elas depurados estaduais, federais e senadores, como também das empresas AMCEL e BEADELL ou órgãos do setor, como IMAP e DNPM, tanto do governo estadual ou federal. "Quando o garimpo de Tartarugalzinho estava funcionando a economia estava aquecida e começava a crescer, mas infelizmente nós não temos ingerência sobre algumas decisões que poderíamos tomar para beneficiar a população", disse.

Tradição
Dirigente da Coemap, Chico Nogueira, durante a defesa da atividade garimpeira
Nas palavras de Chico Nogueira, presidente da COOEMAP, o município de Tartarugalzinho tem 38 anos de atraso no setor mineral, em detrimento de uma área de 9.601 hectares, que está bloqueada e que já foram feitas seis sessões de direitos. "Isso significa que foi vendida seis vezes essa área, desde 1980 quando foi requerida pela empresa SERETAMA e repassado o direito minerário, que era dos garimpeiros de Tartarugalzinho", ponderou.
Segundo ele, a última empresa que comprou essa área foi a BEADELL Brasil. "Nada contra essa mineradora ou qualquer outra empresa de mineração, ou muito menos quem produz ou gera emprego e renda, mas sou contra quem trava a economia e o direito de subsistência das pessoas porque é uma garantia constitucional que se tem”, declarou Chico Nogueira no evento.
De acordo com ele, a exploração de ouro no município de Tartarugalzinho começou na década de 1950 e citou a Constituição Federal, no seu artigo 154, no parágrafo 4°. “Os garimpeiros têm prioridades nas lavras em que estão trabalhando e esse direito tem que ser respeitado e precisamos cobrar isso”, completou Nogueira.

Encaminhamento
Participação da comunidade de Tartarugalzinho na audiência pública
Recentemente, a COOEMAP entregou ao Ministério Público Federal (MPF) um abaixo assinado com 1.195 assinaturas de moradores de Tartarugalzinho, endereçado ao Juiz Federal Joaquim Cabral da Costa Neto, solicitando providências do governo federal quanto à questão mineral do município, chamando atenção dos ‘vícios de processos’ existentes em todas as documentações liberadas as empresas com direito mineral. "Vale ressaltar que em poucos meses de luta em favor dos garimpeiros do Amapá, em especial os de Tartarugalzinho, a COOEMAP já endereçou mais de 2 mil folhas de documentos aos órgãos competentes e demais autoridades constituídas nesse estado, sempre chamando atenção à causa garimpeira", concluiu Chico Nogueira.
Como resultado da audiência, foi elaborado um documento pela Câmara de Vereadores de Tartarugalzinho, assinado por todos os presentes, e encaminhado a diversas autoridades e empresas mantenedoras de lavras mineral, na área do município.

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

LITERATURA | Romances policiais estão em alta nas principais livrarias neste fim de ano

Com a onda de Um Crime no Expresso Oriente, as histórias policiais são as mais requisitadas neste fim de ano. Os locais icônicos, geralmente, fazem parte desses enredos. Em seu primeiro romance policial, Roberto Giacundino coloca o Theatro Municipal como palco do crime e segura, com maestria, o suspense até o fim. Quem matou Evandro Jordel? Qual a motivação do assassino?
Todos ouviram gritos vindos daquela direção. As palavras “morto” e “esfaqueado” eram as mais pronunciadas, mas estavam fora do contexto ideal para se perceber o que ocorria. Em meio ao tumulto, Sandra abriu passagem entre a massa de curiosos e com muito esforço conseguiu subir até a galeria. Já havia dois ou três seguranças tentando retirar os convidados do local e bloquear a passagem. Seja lá o que estivesse acontecendo, parecia grave.

Assassinato em pleno Teatro Municipal em São Paulo. 
Motivo – Discriminação racial? Drogas? Passional? Na magnetizante trama policial O Lado Escuro da Madrugada, o paulistano Roberto Giacundino narra a morte de um publicitário durante uma premiação e a busca incessante de uma jornalista pela verdade.
Entre uma punhalada de adaga e uma investigação perigosa, a obra aborda crimes de ódio, agressão dentro de casa, maus tratos, bullying, uso de drogas ilícitas, e descreve com maestria o universo da alta sociedade jornalística.
Sandra, mesmo atormentada pelo seu passado culposo, vivia para buscar o melhor das notícias. Querendo a veracidade e com voracidade mergulha em uma investigação para descobrir quem poderia ter assassinado o amigo publicitário.
Até o momento era apenas um crime, a não ser pelo fato que em poucos dias uma série de mortes sucedem o primeiro acontecimento e os envolve em uma rede de mistérios.
Sandra Garcia, a excepcional jornalista de guerra; Simão Jordel, irmão da vítima; Fábio Guedes, parceiro de emissora; e Henrique Diolli, um jovem e competente hacker, entram em uma intensa busca pelo verdadeiro assassino de Evandro Jordel. Porém, os detetives aventureiros nem imaginam onde a trama os irá levar e que o passado voltará para assombrar.
O evento havia terminado de forma trágica, e o misterioso caso do Teatro Municipal começa para atormentar e instigar os leitores.
Sobre o autor

Roberto Giacundino descobriu desde criança o gosto pela leitura e o prazer de criar e escrever suas próprias histórias. Aos dezesseis anos passou a colaborar para pequenos jornais e periódicos de São Paulo, atuando como colunista de literatura e redigindo reportagens sobre assuntos locais. Formado em Gestão de Recursos Humanos e com MBA em Gestão da Qualidade e Produtividade, ocupou diversos cargos de liderança ao longo da carreira. É natural de São Paulo, cidade que serviu de cenário para “O lado escuro da madrugada”, seu romance de estreia. Mora com a esposa e seus dois cachorros, Marley e Scooby.

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, terça-feira, dia 19 de dezembro de 2017.


Ifap

A pedido do Ministério Público Federal, a Justiça Federal suspendeu o processo seletivo do Ifap, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. A decisão judicial determina que o instituto realize provas em vez de análise do histórico escolar, como fazia.

Notas

O critério era análise do histórico nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática referentes ao 6º, 7º e 8º ano do ensino fundamental, que ofenderia princípios constitucionais da isonomia e razoabilidade.

Mérito

O MPF considera o método inadequado e insuficiente para comparar o conhecimento e o mérito dos candidatos, os quais foram submetidos a distintos fatores e contingências durante a vivência escolar.

Critério

Para os procuradores, “a aplicação de prova classificatória e eliminatória é o critério menos distorcido e mais razoável para a avaliação e a disputa de vagas de processos seletivos públicos”, argumenta o órgão.

Decisão

A decisão judicial ordena, ainda, que, após a alteração do edital para constar o novo critério de seleção, o período de inscrições seja reaberto. Olha, exista quem discorde e acredite que as notas são sim, critério.

Caos
Estas imagens circularam no fim de semana, feitas por passageiros da Viação Santanense, que faz linha Macapá-Serra do Navio, Limpador de para-brisa amarrado com linha de pesca, volante preso com fita adesiva, viação exposta e pneus com a borracha rachada foram alguns flagrantes feitos na ocasião. Fiscalização promete apurar.

Soltos

Quatro pessoas presas preventivamente na Operação Minamata, realizada pela Polícia Federal para investigar esquema ilegal de exploração e venda de ouro foram liberadas depois de pagarem R$ 50 mil como fiança. O ex-superintendente do DNPM, Romero César da Cruz Peixoto, segue preso.

Nomes

A liberdade foi concedida ao ex-prefeito de Oiapoque e proprietário da Mineração Morro da Mina, Miguel Caetano de Almeida; ao gerente da empresa, Ricarte Caetano de Almeida; ao responsável pela A.J.C Cohen, ligada à Ourominas, Gilson Colares; e ao proprietário da Cecap/Dillon, José Ribamar Pereira.

Presos

Permanecem detidos Moisés Rivaldo Pereira, promotor de justiça aposentado e secretário Municipal de Educação de Macapá; Antônio de Sousa Pinto, presidente da Coogal, também preso a pedido do MPF; e Raimundo Nonato Martil Piaba, vereador de Calçoene.

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

BRASÍLIA | Júlio Miranda e Amiraldo Favacho ganham direito de retornar ao TCE-AP

Os conselheiros Júlio Miranda e Amiraldo Favacho | Arte: Bruno Gabriel/CB
Os ex deputados estaduais Júlio Miranda e Amiraldo Favacho, conselheiros do TCE [Tribunal de Contas do Estado] poderão retornar a seus cargos, após longo afastamento de suas atividades, ainda devido aos efeitos da Operação Mãos Limpas – de 2010. Os advogados dos conselheiros conseguiram guarida junto à 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira (18). O relator foi o ministro Gilmar Mendes, que acatou a tese da defesa, de excesso de prazo para o afastamento.
Miranda e Favacho, assim como os demais conselheiros – Raquel Capiberibe, Manoel Dias, Regildo Salomão e Margereth Salomão – foram acusados à época de omissão e desvio de recursos do Tribunal de Contas, cujos processos ainda não foram julgados. Destes, Raquel e Manoel já estão aposentados e Margareth já é falecida. Regildo Salomão permanece afastado.
Em 2014, estes conselheiros obtiveram uma liminar judicial para retornar aos cargos, mas a decisão teve seus efeitos suspensos algum tempo depois e eles foram afastados novamente. O advogado Ricardo Oliveira, que atua na defesa deles, alegou que o longo afastamento do cargo acaba sendo uma dupla punição ou uma punição antecipada, vez que acredita poder provar a inocência dos conselheiros no decorrer do processo.

Visite o Site da promoção.

domingo, 17 de dezembro de 2017

CIDADE | Passageiros denunciam precariedade de ônibus na Rodoviária de Macapá

O mosaico de fotos mostra o estado do veículo: limpador amarrado, pneus rachados, volante colado e fiação exposta
Passageiros da linha Macapá-Serra do Navio, da empresa Viação Santanense, estão denunciando a precariedade do ônibus que fez a rota na manhã deste domingo, às 7h45. Através de fotos de celular enviadas à nossa Redação, revelam a precariedade e a insegurança de um transporte intermunicipal que é responsável por viagens diárias, mas que por vezes nem terminam. 
O limpador de para-brisa, por exemplo, era amarrado com linha de pesca, uma famosa 'gambiarra' feita pelo motorista para tentar fazer funcionar as palhetas do equipamento – fundamental para um dia de chuva como o de hoje, numa estação invernosa que está só começando.
Em mensagem por WhatsApp um passageiro diz que o carro escalado para fazer a viagem até Serra do Navio, distante 200 quilômetros de Macapá, nem é dos piores. "Existem outros ainda mais esculhambados, por isso é comum infelizmente quebrarem na viagem e a gente fica no meio da estrada", diz o denunciante, que felizmente telefonou horas depois para dizer ter chegado ao destino.

Vida útil
No interior do ônibus, os passageiros registraram ainda mais flagrantes de irregularidades, que na verdade o próprio aspecto já demonstra a péssima condição de manutenção e conservação do veículo. O volante tinha uma bandagem com fita adesiva, além de muita fiação exposta e até sujeira. "É um desrespeito completo com os usuários do transporte coletivo", diz outra passageira, que lembra ainda da dificuldade para conseguir uma das duas vagas para idosos – que tem direito à gratuidade. 
Do lado de fora, outra preocupante constatação: os pneus estão há muito tempo vencidos. Pelo que se sabe, um pneu pode receber apenas uma recauchutagem, que é quando uma nova banda de rodagem é aplicada por empresas especializadas. "Mas os pneus estão com a borracha toda estourada", diz o passageiro que não quis se identificar e nos enviou fotos com as imensas rachaduras nos pneus do ônibus, identificado pelo número de série 320-10-19, que apontaria estar com sete anos de uso.

Outro lado
A reportagem fez o contato com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (SETAP) e ouviu do assessor de comunicação, jornalista Renivaldo Costa, que as vistorias são feitas anualmente pelo Departamento de Transporte, vinculado à Secretaria Estadual dos Transportes (SETRAP). "A gente não nega que possam ocorrer problemas como esse que foram relatados, mas isso tudo está relacionado à falta de uma política de tarifas, pois a do transporte intermunicipal está há muito tempo defasada e chega a ser mais baixa que a urbana", diz o representante. 
Na rodoviária nenhum funcionário do Departamento de Transporte foi localizado. Por telefone, o secretário estadual dos Transportes, Jorge Amanajás, se disse bastante preocupado e anunciou medidas administrativas junto aos setoriais envolvidos para verificar as responsabilidades e exigir soluções. 

TURISMO | Censo Hoteleiro 2017 faz um raio-x no setor de hotelaria do Amapá

Cleber Barbosa
Da Redação

A Prefeitura de Macapá está realizando esta semana um completo levantamento sobre os meios de hospedagem da capital do Amapá, chamado Censo Hoteleiro 2017. A ação será efetivada por meio de pesquisa nos hotéis do município, com o objetivo de avaliar os resultados das ações de gestão dos mesmos e levantar informações para as políticas públicas de incentivo ao setor de turismo com foco no setor hoteleiro.
Segundo a coordenação dos trabalhos, os hotéis receberão visitas de técnicos para o levantamento de dados básicos sobre os empreendimentos, que vão desde a capacidade dos hotéis, média de ocupação e serviços oferecidos, entre outros. “O censo possibilitará a identificação acerca da competitividade do mercado hoteleiro, além de auxiliar na elaboração de políticas que fomentem a inovação, a criatividade e a sustentabilidade do setor, fortalecendo a imagem turística de Macapá”, frisa a diretora-presidente do Instituto Municipal de Turismo, Juliane Pereira.

Resultados
Os recenseadores farão visitas em todos os hotéis, pousadas e similares de Macapá. O levantamento das informações acontecerá até este final de semana e contará com o apoio técnico da Associação Brasileira de Turismólogos e Profissionais de Turismo (ABBTur/AP) na tabulação dos dados. A apresentação oficial dos resultados está marcada para o dia 22 de dezembro, na sala de reuniões da Prefeitura de Macapá, num evento que pode acima de tudo proporcionar um debate ampliado sobre o setor de hotelaria.

Dinâmica
Será aplicado um questionário nos estabelecimentos hoteleiros dos municípios que visa levantar dados básicos sobre os empreendimentos, além de iniciativas de inovação nos campos de qualificação profissional, sustentabilidade ambiental e ações de apoio à comunidade local. De acordo com a coordenação, esse levantamento possibilitará identificar a competitividade do mercado hoteleiro no município, além de auxiliar na elaboração de políticas que fomentem a inovação, criatividade e sustentabilidade do setor, fortalecendo a imagem turística da Macapá.
Levantar tais informações auxilia nas políticas públicas de incentivo ao setor hoteleiro, principalmente no que diz respeito à sustentabilidade dos estabelecimentos.

Turismólogo diz que a pesquisa ajudará o setor 
Para o turismólogo Sandro Bello, que também integra a Associação Brasileira de Bacheréis em Turismo (ABBTur), o fato de termos técnicos visitando a rede hoteleira e alguns órgãos que lidam com informações turísticas, como a Infraero e os órgãos de arrecadação e os meios de hospedagem irá possibilitar mensurar o fluxo de pessoas na cidade e a contribuição desse setor na economia. “Na quarta-feira, inclusive, haverá uma iniciativa no sentido de chamar a imprensa e apresentar esses dados através da Macapatur em parceria com a ABBTur, quando esses dados serão repassados a partir da compilação que o nosso pessoal irá colher no campo”, disse ele.

Bagagens - Sandro Bello esteve no rádio ontem concedendo entrevista ao programa Conexão Brasília, pela Diário FM, falou também a respeito da cobrança de taxa sobre a bagagem dos passageiros, medida de iniciativa das companhias aéreas que entende ter sim surtido algum efeito. “A maioria dos países do mundo trabalham dessa forma, e que tecnicamente falando conseguiu sim reduzir os custos com passagens aéreas”, disse ele.

Integrantes da Melhor Idade ganham ‘city tour’ por Macapá
Alegria, troca de experiências e celebração do natal fizeram parte das atividades promovidas pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), durante a semana para o grupo da terceira idade Viva Melhor, que recebe acompanhamento de profissionais da equipe do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf), no bairro Beirol. A ação, que contou com “city tour”, café da manhã e sorteio de brindes, fez parte das festividades de encerramento das atividades deste ano.
A coordenadora da equipe do Nasf, Adriana Carneiro, enfatizou a importância de momentos de convivência harmoniosa, com e empoderamento desses sujeitos. “Elas auxiliam no desenvolvimento deles, melhorando o desempenho diário. Isso reflete na qualidade de vida de cada um, na convivência em sociedade. Por meio do grupo, estes idosos podem reavaliar a sua vida e ver que precisa estar inserido em um grupo social que lhe proporcione desenvolver suas potencialidades, reconhecer e aprender a conviver com suas limitações”.

Uma terapia
O Viva Melhor é composto por cerca de 60 idosos, que fazem acompanhamento três vezes na semana, que incluem sessões de fisioterapia, alongamento e relaxamento, acompanhamento nutricional, além de fonoaudiólogo e psicólogo. “Sou a mais recente do grupo e fui tão bem acolhida que me sinto como se a vida toda estivesse aqui. É uma atenção, um carinho tão grande que a gente recebe aqui, que só posso desejar vida longa a esse grupo que mudou a minha vida”, comentou Raimunda Trindade.
Colaborou: Jamile Moreira

CURIOSIDADES

- O Censo Hoteleiro tem o objetivo de levantar informações para auxiliar nas políticas públicas de incentivo ao setor hoteleiro, principalmente no que diz respeito à sustentabilidade dos estabelecimentos.

- Será aplicado um questionário nos estabelecimentos hoteleiros dos municípios que visa levantar dados básicos sobre os empreendimentos

55 atividades
Número de setores impactados pelo turismo.

HOTELARIA

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, domingo, dia 17 de dezembro de 2017.

Interior

Fazendo jus ao nome TecnoAgro, um completo sistema desenvolvido pela Embrapa na área de pecuária de precisão foi apresentado a criadores de bovinos e búfalos, e técnicos extensionistas do estado do Amapá, nessa semana, durante a 26ª Agropesc, em Amapá.

Sucesso

O evento foi até ontem no Parque de Exposição João Pompilho, no município de Amapá. Uma das estratégias muito concorridas foram a chamadas “mesas redondas” que reuniram gente de peso.

Tema

Falando de pecuária de precisão, houve um painel sobre a gerência de rebanho e rastreabilidade de bovinos e bubalinos, conduzida pelo pesquisador Pedro Paulo Pires, da Embrapa Gado de Corte.

Tecnologia

O termo pecuária de precisão está relacionado aos recursos de automação que substituem procedimentos manuais pelo uso de aplicativos, softwares e hardwares criados para gerenciar produção animal.

Testemunho

Dois executivos presentes e tocando a feira, curiosamente, têm origens como profissionais da extensão rural: o prefeito de Amapá, Carlos Sampaio e o próprio governador do estado, Waldez Góes.

Satisfação
Olha a cara de satisfação do vice presidente da Associação dos Produtores Rurais de Amapá, Dejaci Colares, fazendo pose em frente ao banner da Embrapa na 26ª Agropesc. A estatal foi uma das parceiras de primeira hora do GEA, através da SDR e da Diagro, na elaboração da programação e das atrações científicas.

Estudo

Em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Secretaria de Planejamento (Seplan) apresentou resultado da pesquisa Contas Regionais, que definiu, detalhadamente, a participação de cada município amapaense no Produto Interno Bruto (PIB) do estado.

Técnica

Ficou curioso? Então saiba que para mensurar as riquezas produzidas nas 16 cidades, o cálculo levou em consideração dois dos principais indicadores que refletem o desempenho da economia nos três setores (agropecuário, indústria, e comércio e serviços): o PIB Municipal e o Valor Adicionado Bruto.

Ranking

O PIB fechou em R$ 13,8 bilhões. Os maiores municípios que compuseram a soma de todas as riquezas produzidas no Amapá foram Macapá (R$ 9 bilhões), Santana (R$ 1,99 bilhão), Laranjal do Jari (R$ 559 milhões), Ferreira Gomes (R$ 344 milhões) e Oiapoque (R$ 300 mi).

ENTREVISTA | “O Amapá e o Pará são os maiores do país em produção de búfalos”

O pesquisador Ribamar Marques, da Embrapa-PA durante palestra na TecnoAgro | Foto: Portal do Agro
O histórico município de Amapá – primeira capital e que dá nome ao estado – abrigou durante a semana a 26ª Agropesc, maior feira agropecuária do interior do Amapá, numa retomada que poderá alavancar todo o setor produtivo estadual. Paralelamente à exposição agropecuária, acontece a 1ª TecnoAgro, evento voltado a apresentar o que há de mais moderno em termos de tecnologia e inovação para o campo. E uma das estrelas do ciclo de debates foi o pesquisador paraense Ribamar Marques, uma das maiores autoridades em genética animal no país. Palestrou para uma platéia que reuniu gente como o prefeito Carlos Sampaio, o presidente da Acriap Jesus Pontes, o presidente da Diagro José Renato Ribeiro, o dirigente do Sindicato Rural Dejaci Colares e o chefe da Embrapa-AP Nagib Melém, todos ouvidos nessa Enquete.

Cleber Barbosa
Da Redação

Diário do Amapá – O que ficou desse contato com o setor do agronegócio do Amapá, especialmente pela proximidade entre o Pará e o Amapá que para os senhor não são concorrentes e sim podem se complementar é isso?
Ribamar Marques – Com certeza. Nós estamos num estado que é o segundo maior produtor de búfalos do Brasil, então que é não ser exigido, ele deve exigir o que se fazer pela bubalinocultura. Aproveitar um produto que é hoje diferenciado no mercado e que vai gerar emprego e renda para o estado, então é de fundamental importância esse trabalho, essa integração, entre estados que são os maiores produtores de búfalos do país.
Diário – Então pelo que o senhor diz essa região passa a ter também autoridade em relação ao restante do país no que refere ao mercado produtor de búfalos?
Ribamar – Exatamente, pois hoje você não pode polarizar a discussão com quem é coadjuvante, nós somos os protagonistas, a discussão sobre a bubalinocultura tem que estar aqui na Amazônia Oriental, então esse encontro, essa reunião, passa a ser um passo importante para que isso realmente se consolide, quer dizer, a bubalinocultura pertence à Amazônia Oriental e está se expandindo para todo o Brasil.
Diário – Outra coisa que o senhor defende é que apesar dessa primazia do Pará e do Amapá todo esse potencial ainda seria subaproveitado, daí eventos como esse apresentar uma série de inovações, tecnologias e novas técnicas voltadas ao aumento da produtividade e competitividade?
Ribamar – É verdade, hoje nós temos um acervo muito grande de tecnologia que pode ser aplicada diretamente pelo produtor. Não chega ao produtor talvez por questões de burocracia, de logística e uma série de fatores de atuação de órgãos que são do próprio governo ou da iniciativa privada, como a associação de criadores. Mas esse é o início para que a coisa fique nivelada e logo logo o produtor tenha acesso a tudo isso.
Diário – Devido à sazonalidade e das condições climáticas da Amazônia, entidades como a Embrapa tem defendido a questão das técnicas de produção integrada, ou seja, agricultura e pecuária, o que poderia tornar as propriedades rurais, as fazendas mais rentáveis e com atividade econômica praticamente o ano todo. O senhor também advoga essa causa?
Ribamar – Sim, com certeza, a tecnologia hoje sobre manejo de criação, que faz com que a búfala seja capaz de produzir durante o ano todo, ou seja, tenha leite o ano todo, tenha produtos o ano todo, é justamente fruto de pesquisas de anos e é perfeitamente possível, seja qual for o nível do produtor. E é isso o que se persegue e é isso o que já está aí para ser utilizado. É tecnologia, não podemos abandonar isso.
Diário – Todos aqui disseram que essa foi a primeira de muitas vezes que precisará vir ao Amapá, concorda?
Ribamar – Sim, voltarei com prazer, para discutir o búfalo, afinal esse é o nosso trabalho e eu acho que a gente tem que repassar aqui que está dando certo em vários lugares e o Amapá não pode ficar atrás, tem que acompanhar tudo isso.
Diário – O que ficou dessa mobilização toda, dessa troca de informações nessa feira e no formato novo, de TecnoAgro?
Nagib Melém (Embrapa) – A TecnoAgro fecha a programação em grande estilo, com esse debate de alto nível promovido aqui, sobre a rastreabilidade de animais, tentando resolver um dos maiores problemas hoje da pecuária do Amapá que é o roubo de gado. Mas foram diversas outras atividades, como oficinas de boas práticas de fabricação de açaí, de farinha, de queijos também, culminando com a palestra do nosso colega Ribamar lá da Embrapa Amazônia Oriental, em Belém, sobre o projeto de melhoramento genético e manejo de bubalinos, com informações valiosíssimas e principalmente a união das duas unidades dos dois estados num projeto único que nós vamos desenvolver agora, para talvez termos não só a segunda, mas a primeira em termos de qualidade.
Diário – Para o setor dos criadores amapaenses, o que ficou dessa troca de experiências presidente?
Jesus Pontes (Acriap) – Foi formidável o evento, a Embrapa está de parabéns por ter trazido o dr. Ribamar para fazer sobre o Promebull, a SDR, a DIAGRO e o RURAP e todos os organizadores da feira, como o prefeito Carlos [Sampaio] e eu acho que estender esse programa para todo o estado do Amapá, para todos os criadores de búfalo do estado será fundamental, dará uma grande guinada no desenvolvimento tanto da genética de leite e de carne como da bubalinocultura como um todo.
Diário – Para o senhor, o momento não poderia ter sido mais propício para o Amapá sediar esse evento, concorda?
José Renato (Diagro) – Com certeza, quando o Amapá ganha a certificação de área livre de aftosa, então a gente tem que aplaudir esse momento, tem que dar continuidade e estimular, pois isso não pode retroceder mais. O estado tem que agora trabalhar a genética do nosso rebanho, principalmente do nosso búfalo, pois como foi muito bem colocado pelo palestrante, o nosso potencial está aí, é grande, a Amazônia toda é forte e temos agora que unir a região dentro desse propósito, principalmente inserindo o estado do Amapá que tem um potencial diferenciado, com material genético de primeira linha que também tem que ser certificado, comprovado com estudos científicos, mostrado por meio de pesquisas, pois é isso o que vai uma imagem positiva do estado do Amapá para que se possa posteriormente fazer negociações fora do estado afinal já existem compradores querendo levar o animal vivo daqui.
Diário – Para o senhor, que representa os produtores rurais do município de Amapá, beber na fonte do conhecimento, digamos assim, deve ter sido muito válido não é?
Dejaci Colares (Produtor) – Com certeza, a esperança de que daqui para frente a produção pecuária daqui do município de Amapá possa ter um suporte técnico necessário para a melhoria dessa produção não só para carne quanto para leite, daí a necessidade de estarmos acompanhando pari passu as novas tecnologias e assim aumentarmos nossa competitividade.
Diário – E o senhor, prefeito, o que diz a respeito da uniformização do debate a respeito da pecuária, especialmente por ser também extensionista rural e gestor de um município com uma vocação histórica para a pecuária?
Carlos Sampaio (Prefeito) – A satisfação é total, pois tudo aquilo que se planejou para a primeira TecnoAgro e a 26ª Agropesc se concretizou de uma forma muito plena, uma semana de intensos debates, mesas redondas e tudo mais, o que fez valer a pena todo esse trabalho que foi também de resgate de um processo de desenvolvimento regional e não estamos falando só do município de Amapá, mas de uma região chamada Território dos Lagos, que compreende Calçoene, Tartarugalzinho, Pracuúba, Amapá e ainda o Oiapoque, que não faz parte mas esteve presente na feira.

Perfil
Entrevistado. O pesquisador paraense José Ribamar Felipe Marques; Zootecnista-FRPE (1974); Agente de Extensão Rural - EMATER - PA (1976 - 79); Mestrado em Produção Animal - EV/UFMG (1984); Doutorado em Genética - IB/UNESP - Botucatu, SP (1991); Pós Doctor Genética - (UCO) - ES (2005-2006); Especialista em Conservação de Recursos Zoogenéticos - UCO - ES (2006); Prêmio Prof. OTÁVIO DOMINGUES - CFMVZ 2010; Pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental - Belém - PA - 1.979 e Coordenador do Banco de Germoplasma Animal da Amazônia Oriental - BAGAM, Salvaterra - Pará.  Pós-Doutorado na Universidade de Córdoba (2005 - 2006); Doutorado em Ciências Biológicas (Genética) Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquita.

PUBLICIDADE