Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


terça-feira, 17 de outubro de 2017

AGRO | Confira reunião da Câmara Setorial de Produção de Alimentos do Amapá

MACAPÁ | Zona Oeste ganhará nova ligação com acesso à futura Brigada do Exército

O prefeito de Macapá, Clécio Luís, reuniu-se na segunda-feira, 16, com o senador Davi Alcolumbre e representantes do Exército brasileiro para discutir medidas que viabilizem a parceria entre os órgãos para a pavimentação da Rua Mestre Júlio, no bairro Alvorada, no trecho entre a Rodovia Duca Serra e Avenida 13 de Setembro, no bairro Buritizal. A medida facilitará o acesso ao Comando da Brigada da Foz do Amazonas, que funcionará na área do Comando de Fronteira do Exército no Amapá/34º Batalhão de Infantaria de Selva (34º BIS), e contemplará também os moradores do conjunto Jardim Açucena, que terão uma nova opção de acesso.

O Exército garantiu viabilizar equipamentos e mão de obra para a execução do serviço, que já foi iniciado de forma paliativa, para possibilitar o melhor acesso à área durante o período do inverno. Como contrapartida, a prefeitura garantirá o asfaltamento e ajudará na execução da atividade, com equipamento e mão de obra. O senador Davi se comprometeu em buscar recurso federal para a realização do serviço, por meio de verba extra orçamentária, junto ao Ministério do Planejamento.

“Por parte da prefeitura, o acordo de parceria está firmado. O nosso orçamento está apertado, mas existe uma convergência de interesse entre nós, e isso já é importante. O recurso sendo disponibilizado e os serviços acontecendo, vamos vendo de que forma podemos melhorar ainda mais a parceria”, disse o prefeito.
 
O chefe do Estado Maior do Comando Militar do Norte, general Claudio Senko Penkal, explicou que o Exército já possui tubulação e mão de obra para a execução do serviço de drenagem, e precisaria do apoio do Município para a pavimentação da área. “A realização do trabalho é necessário para melhorar o acesso à Brigada. Com a parceria da prefeitura, facilitará ainda mais, haja vista que as ruas do entorno do quartel, nas condições atuais, não suportam o tráfego de carros pesados utilizados pelo Exército. Será um ganho para nós e para a prefeitura também, que terá um novo acesso ao habitacional”, disse.

Para dar agilidade ao processo de execução da parceria, Clécio orientou o secretário de Obras, Emílio Escobar, para acompanhar a execução dos trabalhos de pavimentação; e designou os secretários de Governo, Jorge Pires e de Assuntos Extraordinários, Evandro Milhomem, para intermediar a viabilidade do projeto junto às demais instituições públicas do Município.

Também estiveram presentes na reunião o comandante do 34º BIS, Ten. Cel. Robson Monteiro Mattos e o subchefe do Estado Maior do Comando Militar do Norte, coronel José Henrique dos Santos.

PESQUISA | Semana Nacional de Ciência e Tecnologia quer popularizar as ciências

A programação da 14ª edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) do Amapá inicia no dia 23 de outubro, a partir das 18 horas, no auditório do Sebrae em Macapá. O evento promovido pelo Governo do Estado e instituições de ensino e pesquisa contará com atividades nos municípios de Macapá, Santana, Porto Grande, Laranjal do Jari, Pedra Branca do Amapari e Oiapoque.

A palestra principal será feita pela professora Carla Alexandre Souza, com o tema “Jogo em jogo: a contribuição dos games no processo de aprendizagem dos estudantes”, e abre a programação. Carla Alexandre é de Pernambuco (PE), licenciada em Letras, especialista em Informática Aplicada à Educação, mestre em Educação Matemática e Tecnológica e trabalha há 10 anos no desenvolvimento de tecnologias para a educação.

Os interessados em participar devem acessar o endereço eletrônico www.setec.ap.gov.br até o dia 22 de outubro para realizarem a inscrição. O evento acontece em todo país no mês outubro.

Segundo o secretário de Estado da Ciência e Tecnologia, Rafael Pontes, a intenção é divulgar a semana com uma linguagem adequada para cada público específico, mostrando o que está sendo realizado por estas instituições e popularizar a ciência. “Este ano queremos alcançar o maior número de pessoas possível, por meio das várias atividades que serão realizadas até o dia 29 deste mês”, frisou o gestor.

A SNCT tem o objetivo de aproximar a Ciência e Tecnologia da população, promovendo eventos que congregam as instituições parcerias, a fim de realizarem atividades de divulgação científica em todo o país. A ideia é criar uma linguagem acessível, por meios inovadores que estimulem a curiosidade e motivem a população a discutir as implicações sociais da ciência, além de aprofundarem seus conhecimentos sobre o tema. Este ano o tema escolhido foi “A Matemática está em tudo”.

As atividades envolvem seminários, lançamento de editais, concurso de redação, jogos, exposições, oficinas, palestras, workshop, minicursos e apresentações culturais. Os participantes receberão certificados online.

Estão envolvidos diretamente na programação órgãos do governo como a Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia (Setec), Universidade do Estado do Amapá (Ueap), Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Amapá (Fapeap), além de instituições parceiras como Universidade Federal do Amapá (Unifap), Instituto Federal do Amapá (Ifap) e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Confira a programação: 
http://snct.setec.ap.gov.br/cronograma.php

SAÚDE | 10 milhões de brasileiros sofrem de osteoporose e apenas 20% sabem que têm

Mulheres acima dos 65 anos e homens com mais de 70 anos devem fazer rastreamento anual 
Cerca de 10 milhões de mulheres e homens brasileiros sofrem de osteoporose segundo a Abrasso (Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolistmo), mas apenas 20% estão cientes que têm a doença, que se caracteriza pela diminuição progressiva da densidade óssea e provoca o aumento do risco de fraturas. Pulsos, coluna vertebral e fêmur costumam ser as partes do corpo mais afetadas.

Por isso, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz aproveita o Dia Mundial da Osteoporose (20/10) para alertar a população sobre a importância do diagnóstico precoce e do rastreamento da doença. De acordo com Dr. Fábio Freire, coordenador do Núcleo Especializado no Tratamento da Osteoporose da Unidade Campo Belo, a osteoporose acomete uma em cada três mulheres com mais de 65 anos e um em cada cinco homens acima dos 70 anos.
A deficiência de estrogênio, hormônio feminino, causa a fragilidade óssea das mulheres no período pós-menopausa. Nesse cenário, a incidência de osteoporose em mulheres é o dobro do que em homens.

A osteoporose é classificada de duas formas: primária e secundária. A primária, também conhecida como fisiológica, é quando a doença surge por conta de um processo natural do envelhecimento e pela diminuição da quantidade de cálcio no organismo.
Já a secundária acontece quando outras doenças que comprometem a massa óssea são a causa do surgimento da doença, como alguns tipos de câncer e seu tratamento, doenças inflamatórias em geral (lúpus, artrite reumatoide), deficiência de cálcio e vitamina D, assim como tabagismo, consumo exagerado de álcool e tratamentos à base de corticoides.

Diagnóstico e prevenção
A densitometria óssea ainda é o melhor método para diagnóstico da osteoporose. O exame, que mede a quantidade de cálcio nos ossos, pesquisa e indica o nível de gravidade da doença. No entanto, a adoção de um estilo de vida saudável ajuda a prevenir o desenvolvimento desta patologia. Alimentação balanceada, rica no consumo de verduras e legumes, principalmente as de cor verde escura, frutas, com farta ingestão de cálcio e de vitamina D, associada ao baixo consumo de açúcar, além da exposição ao sol são algumas das formas de tentar evitar ou retardar quadros de osteoporose.
De acordo com o especialista, o tratamento adequado da osteoporose é eficaz e pode reduzir em até 70, 40 e 30%, os riscos de fraturas de coluna, fêmur e costelas, pulsos e pés, respectivamente.

Casa segura e bem iluminada
Quem sofre de osteoporose precisa se preocupar em viver em um local seguro, livre dos riscos de queda, por isso, o especialista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz alerta para a importância de deixar os ambientes domésticos protegidos. “O ideal é que os idosos vivam em casas com boa iluminação, sem tapetes nos quartos, banheiros, cozinha e salas. Cadeiras, poltronas e sofás devem ter braços, que ajudam na hora de a pessoa se levantar. Os pés dos móveis devem ter protetores antiderrapantes”, diz Freire.
O médico reforça que barras de apoio devem ser instaladas dentro do box do chuveiro, próximas da pia do banheiro e ao lado do vaso sanitário. Isso reduz o risco de queda e dá mais autonomia ao idoso. Nas escadas, o uso de fita antiderrapante na borda dos degraus ajuda a melhorar a aderência e também sinalizam o fim de cada degrau.


Mitos e verdades sobre a Osteoporose

Osteoporose é uma doença exclusiva das mulheres 
Mito - um em cada cinco homens sofre de osteoporose. Entre os homens, a doença é cinco vezes mais comum que o câncer de próstata.
Se a pessoa não sente dor ela não tem osteoporose
Mito – Osteoporose não doí, o paciente só sente a dor quando fratura.
As medicações para o tratamento da doença enfraquecem os ossos
Mito – Os medicamentos para osteoporose são seguros, mesmo quando administrados por longos períodos.
Osteoporose não tem cura
Verdade – osteoporose não tem cura, mas o tratamento eficaz reduz em até 70% as fraturas.
Quem sofre de osteoporose deve evitar atividades físicas
Mito – atividade física é recomendada. Exercícios de musculação ajudam a aumentar a massa óssea e a fortalecer a musculatura.
A falta de cálcio causa osteoporose.
Mito – Sim, o cálcio é importante, mas é um mito que simplesmente tomar uma grande quantidade de cálcio irá garantir a saúde óssea. Para proteger seus ossos, você precisa de um total de 19 nutrientes essenciais para ossos, não apenas cálcio. Na verdade, você precisa de alguns desses nutrientes apenas para obter os benefícios do cálcio. Por exemplo, sem vitamina D suficiente, seu corpo absorve apenas cerca de 10-15% do cálcio da sua dieta, mas quando você toma o suficiente, a taxa de absorção atinge 30-40%. Outros nutrientes críticos para a saúde óssea são a vitamina K, magnésio e estrôncio.

Sobre o Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Fundado por um grupo de imigrantes de língua alemã, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz é um dos maiores centros hospitalares da América Latina. Com atuação de referência em serviços de alta complexidade e ênfase nas especialidades de oncologia e doenças digestivas, a Instituição completa 120 anos em 2017. Para que os pacientes tenham acesso aos mais altos padrões de qualidade e de segurança no atendimento, atestados pela certificação da Joint Commission International (JCI) – principal agência mundial de acreditação em saúde –, o Hospital conta com um corpo clínico renomado, formado por mais de 3.700 médicos ativos, e uma das mais qualificadas assistências do país. Até o final deste ano, sua capacidade total instalada será de 805 leitos, sendo 582 deles na saúde privada e 223 no âmbito público, além atingir o número de 4 mil colaboradores.

AMAPÁ | Censo Previdenciário do servidor estadual começa próximo dia 23 de outubro

Com o objetivo de atualizar os dados cadastrais de aposentados e pensionistas civis e militares, a Amapá Previdência (Amprev) realizará, a partir do dia 23 de outubro, o Censo Previdenciário 2017. O procedimento se dará em duas chamadas, a primeira vai até o dia 4 de novembro e a segunda ocorrerá no período de 6 a 14 de novembro.

Segundo a Diretoria de Benefício dos Civis, espera-se 1771 beneficiários aposentados, entre dependentes e pensionistas. Quanto aos beneficiários militares, 187 devem realizar a atualização cadastral, totalizando 1958 beneficiários no mês de setembro.

O atendimento será realizado no prédio anexo da Amprev, localizado na Rua. Professor Tostes, nº 2200, esquina com a Av. Antônio Coelho de Carvalho, bairro Santa Rita, de segunda a sexta-feira, de 8h às 18h, e aos sábados, de 8h às 12h.

O diretor–presidente da Amprev, Sebastião Magalhães, destaca que o censo é necessário para edição de relatório do cálculo atuarial 2017/18. “É indispensável a atualização cadastral do banco de dados dos aposentados, dependentes e pensionistas vinculados à unidade gestora Amapá Previdência, conferindo legalidade e eficiência à manutenção dos benefícios suportados pelos Regimes Próprios de Previdência social e de Previdência dos militares”, explicou Magalhães.

O fornecimento de informações para o censo pelos beneficiários será obrigatório, quem não fizer a atualização dos dados pessoais terá o pagamento dos proventos ou pensão bloqueados.

Para efetivar o recadastramento, os segurados devem apresentar documentos pessoais e de seus dependentes. A lista completa de documentos que devem ser apresentados no Censo Previdenciário está disponível no site amprev.ap.gov.br ou clique aqui

Por: Luana Picanço/Secom/GEA

TURISMO | Chapa de Edmilson Romão é eleita, por aclamação, para dirigir Abav-SP

Presidente Edmilson Romão e diretores | Foto: Amigo Comunicação Integrada
A chapa denominada "Conexão", concorrente única, foi eleita para a gestão da Abav-SP no período 2017/2019. Edmilson Romão, o presidente eleito, assume imediatamente. Foco da nova gestão será na prestação de serviços aos proprietários das agências de viagens. Após o 68º Fórum Executivo Abav-SP, marcado para 18/10, na sede da Abav Nacional, Edmilson Romão estará à disposição da imprensa, para fornecer a linha básica do seu programa de gestão. Abaixo, a relação completa dos eleitos:

Presidente: Edmilson Rodrigues Romão - L'Equipe Empresa de Viagens Corporativas
Vice-Presidente Administrativo: Juarez Cintra Pereira Filho - Ancoradouro Representações e Turismo Ltda.
Vice-Presidente Financeiro: Francisco Manuel Jesus Leme da Silva - Jet Stream Turismo Ltda.
Vice-Presidente de Capacitação e Certificação: Thiago de Souza Mendes - Teatur Agência de Viagens Ltda.
Vice-Presidente de Relações Institucionais: José Roberto da Silva - Sanchat Tour Viagens e Turismo Ltda.
Vice-Presidente de Marketing & Eventos: Adriano Pereira - Turix Contato Turismo Ltda.
Vice-Presidente de Assuntos do Interior: Fernando Silva Santos - Conextravel Viagens e Turismo Ltda – ME

COMISSÃO DE ÉTICA, CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM
Titulares:
Adalberto Sant´Anna do Canto - Solfesta Turismo Ltda.
Ronaldo José Waltrick - Maiorca Turismo Ltda
Jorge Luiz Beluco - Magictour Viagens e Turismo Ltda.
Suplente:
Gilberto Nogueira Braguetta - Alternatur Agência de Viagens e Turismo Ltda.

CONSELHO FISCAL
Titulares
Osni Ribeiro Pires - Tristar Viagens e Turismo Ltda.
Ricardo Paci - Tyller Passagens e Turismo Ltda.
Brunno Bernardes - Hostway Viagens e Turismo Ltda.
Suplente
Felipe Akagawa - Tunibra Travel Turismo Ltda.

CONSELHO DELIBERATIVO
Marcelo Gomes Matera - ABC Turismo Agência De Viagens Ltda- Epp
Edmar Augusto Bull - Copastur Viagens e Turismo Ltda.
José Zuquim - Ambiental Viagens e Turismo Ltda.
Leonel Rossi Junior - Decatur Despachos e Turismo Ltda.
Mauro de Oliveira Schwartzmann - Costa Brava Turismo Ltda.
Guilherme de Jesus Paulus - Operadora e Agências de viagens CVC- Tur Ltda.
Ricardo Andrés Roman - Interamerican Viagens e Turismo Ltda.
Eloi D'Avila de Oliveira - Flytour Business Travel Viagens e Turismo Ltda.
Amauri Pinto Caldeira - Transoceanic Agência Viagens e Turismo Ltda.
Ibrahim Georges Tahtouh - IT Viagens de Incentivo, Lazer & Negócios Ltda.
Henrique Sergio Teixeira de Abreu - Casablanca Turismo e Viagens Ltda.
Magda Nassar - Trade Tour Viagens Ltda.
Eduardo Vasconcelos Filho - Kontik Franstur Viagens e Turismo Ltda.
Heloísa Brodziak Ferreira da Rosa Levy - Interpoint Viagens e Turismo Ltda.

LOGÍSTICA | Bancadas do AP, PA e RR debatem interligação regional pela BR 156

O Palácio do Setentrião, sede central do governo amapaense, recebeu uma importante discussão sobre o projeto de lei que visa interligar três potências econômicas da Amazônia: Amapá, Pará e Roraima. O encontro ocorreu nesta segunda-feira, 16, e reuniu políticos, representantes da sociedade civil organizada, empresários e técnicos do governo.

O centro do debate foi a proposta que visa estabelecer novos traçados de rodovias federais nestas três unidades da Federação para interligá-las via terrestre. A primeira etapa do projeto de lei prevê o prolongamento da BR-156, a partir de Laranjal do Jari, município ao Sul do Amapá, até o “entroncamento” da BR-163, já nas imediações do município de Alenquer, no Pará.

A outra fase prevê estender a BR-210, desde a cidade de Caroebe, em Roraima, até a confluência com a BR-163, já no Estado do Pará, no município de Oriximiná, que é vizinho a Alenquer e tem ligações por estrada. Desta forma, os três estados estariam interligados via terrestre.

A proposta é de deputados federais dos três Estados que seriam interligados: Remídio Monai (RR), Lúcio Vale (PA) e Vinicius Gurgel (AP). Desde que o projeto foi protocolado na Câmara Federal, eles estão percorrendo as cidades e comunidades nos arredores do traçado planejado no projeto em busca de apoio político e da iniciativa privada para a aprovação da proposta, que ainda pode sofrer alterações até a sua votação.

“Há muitos anos defendemos a interligação da Amazônia, e hoje ela está ao nosso alcance. Com atuação conjunta dos três estados poderemos alcançar a federalização dessas estradas e garantir o prolongamento deste traçado e a unificação. Um salto para o fomento, desenvolvimento e crescimento da Amazônia como um todo”, explicou o deputado federal Remídio Monai, de Roraima.

O deputado Vinicius Gurgel destacou que a propositura está inserida no contexto do Arco Norte, mecanismo que visa alavancar as exportações no país. “Esse projeto tem potencial para trazer novos investimentos e oportunidades de negócios, que vão promover o desenvolvimento sustentável na região amazônica”, defendeu o parlamentar amapaense.

Para governador Waldez Góes essa é a melhor alternativa de interligação da Amazônia.  “É de significativa importância para os estados do Amapá e do Pará, visto que, além da integração entre as Unidades da Federação, a região de influência da rodovia possui grande potencial para exploração econômica sustentável e para o turismo ecológico, atividades que seriam viabilizadas pela ligação rodoviária. Ganharíamos em todas as vertentes; era um sonho que agora podemos enxergar próximo da realidade”, compartilhou Góes.

A BR-210, também conhecida como Perimetral Norte, previa no seu projeto original a interligação dos estados do Amapá, Amazonas, Pará e Roraima. Este projeto começou a ser executado no auge do regime militar, na década de 70, quando os trechos de “início” e “fim” da BR-210 começaram a ser construídos no Amapá e em Roraima, respectivamente.

No Amapá, a Perimetral Norte parte da capital, Macapá, e, com quase 200 km de extensão, chega até as terras Indígenas Waiãpi, no município de Serra do Navio. No lado roraimense, a BR-210 possui atualmente 411,7 km asfaltados, saindo do rio Jatapu à Missão Catrimani e intercepta as federais BR-174 e BR-432.

O traçado planejado para a rodovia BR-210 cruzava diversos territórios indígenas. Esta foi a umas das maiores dificuldades para a execução das obras. Outra grande barreira que contribuiu para a União abandonar o projeto foi o custo astronômico para a conclusão dos 2 mil km da rodovia transversal, que poderia ultrapassar R$ 1 bilhão.

Por isso, a nova proposta deve interligar os estados a um custo menor, já que prevê uma extensão menor de pavimentação. Com as alterações propostas no projeto de lei, a BR-156 será estendida de Laranjal do Jari para Alenquer com grande parte do traçado coincidente com o da rodovia estadual PA-254, numa extensão de 382 km. Dessa forma, a BR-156 passaria a ter um total de 1.294 km, com o trajeto previsto desde Alenquer até a fronteira com a Guiana Francesa, em Oiapoque, no Norte do Amapá.

A expectativa é que o projeto de lei seja votado pelas comissões da Câmara dos Deputados até novembro, em seguida, segue para o Senado onde também deve ser votado pelas comissões até dezembro. Já o estudo de viabilidade econômica deve ser finalizado até o fim do ano.

Presenças

Também estavam presentes na solenidade os deputados federais Roberto Góes, Cabuçu Borges e Marcivânia Flexa; os deputados estaduais Jory Oeiras, Luciana Gurgel e Fabrício Furlan; além do prefeito de Mazagão, Dudão Costa; o superintendente regional da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Amapá, Kleberson Sampaio, entre outras autoridades.

Texto: Lilian Guimarães | Foto: André Rodrigues/Secom-GEA


IMAGEM DO DIA | Ministro da Fazenda, Henrique Meireles, por Evaristo Sá/AFP


POLÍTICA | Apoio de brasileiros a governo militar é maior que média global, diz pesquisa

ISABEL FLECK

WASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) - A parcela de brasileiros que apoia pelo menos uma forma de governo "não democrática" e que mostra simpatia por militares no poder é maior do que a média global, segundo um levantamento realizado pelo americano Centro de Pesquisas Pew em 38 países.

Segundo a pesquisa, 23 % dos entrevistados no Brasil diz não gostar da democracia representativa e apoia ao menos uma das três formas de governo: tecnocrático, militar ou com um "líder forte". Nos 38 países, a média é de 13%, com 23% dizendo descartar formas de governo "não democráticas".

Se contabilizados os brasileiros que consideram a democracia representativa "boa" mas também apoiam ao menos uma forma de governo "não democrática", a parcela do país que considera válido um regime militar, tecnocrático ou autoritário sobe para 62%.

O levantamento foi feito entre fevereiro e maio com 41.593 pessoas nos 38 países de cinco continentes. No Brasil, foram entrevistadas 1.008 pessoas, pessoalmente, entre março e abril, com margem de erro de 4,7 pontos percentuais.

Quando a pergunta é feita especificamente sobre um governo militar, 38% dizem que a opção seria boa no Brasil, contra 55% que se opõem. Em todos os países, a média é de 24% de apoio a esse tipo de governo.

O índice do Brasil é semelhante ao de países como Senegal e Tanzânia e maior do que a média de 31% de apoio a governos militares na América Latina —onde foram considerados, além do Brasil, Argentina, Colômbia, México, Chile, Peru e Venezuela.

Em todo o mundo, a simpatia pela ideia dos militares no poder é maior entre quem tem um grau de escolaridade menor, com uma diferença que chega a até 23 pontos percentuais entre os dois grupos, como é o caso no Peru.

No Brasil, 45% dos entrevistados que não tinham completado o Ensino Médio se disseram favoráveis a esse tipo de governo, enquanto o apoio entre os que tinham essa etapa completa é de 29%.

Apesar de mais de um terço dos brasileiros entrevistados se dizer favorável a um governo militar, 63% afirmam ser "ruim ou muito ruim" um governo autocrático. A média de todos os países é ainda mais alta: 71%, com os países europeus puxando o número, com 86% reprovando, em média, esse tipo de modelo.

Os números refletem uma insatisfação no Brasil com o sistema atual. Segundo o levantamento, 33% dos brasileiros avaliam como "ruim" a democracia representativa e só 8% a consideram "muito boa". A rejeição é maior do que em todos os seis países africanos, os dez europeus e os seis asiáticos incluídos na pesquisa.

O Brasil também apresentou um dos mais baixos índices de confiança de que o governo federal faz "o que é certo para o país": 2% disseram acreditar "muito" nisso, 22% afirmam acreditar em parte. Até na Venezuela os entrevistados se mostraram mais confiantes: 29% declararam confiar no governo, com 14% deles dizendo confiar muito.

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, terça-feira, dia 17 de outubro de 2017.


Segurança

A recém criada Comissão de Direito Marítimo, Portuário e Aduaneiro da OAB-AP já começa sua atuação promovendo nesta terça-feira no Parlamento Estadual uma ampla discussão a respeito da necessidade de toda a sociedade participar da segurança da navegação.

Alusão

Uma lei estadual proposta por esse colegiado deverá ser votada para transformar o dia 6 de janeiro – dia do naufrágio do Barco Novo Amapá – como Dia Estadual de Conscientização da Segurança da Navegação.

Mobilização

O presidente da Comissão é o advogado Luiz Ricardo Carvalho, que é oficial da reserva da Marinha do Brasil. Ele conclamou os familiares das vítimas do naufrágio a participarem das homenagens e do debate.

Estudos

Interessados em cursar o mestrado do Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais (PPGCA), da Unifap já podem fazer inscrição da seleção de alunos para a turma 2018. Prazo final é dia 24 deste mês.

Audiência

Deputado Max da AABB anuncia para a próxima segunda-feira debate em conjunto com a Associação Brasileira dos Municípios (ABM) discutir ações de captação de recursos e auxílio às prefeituras.

Gigante
Olha aí a maquete eletrônica do projeto do Porto Norte Brasil, apresentado ao estado e que está em busca de Viterbino diz ser perfeitamente viável que investidores estrangeiros decidam apostar nessa capacidade, uma vez que as rotas internacionais estão sempre prospectando novas possibilidades.

Porto

Apresentado à Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado um arrojado projeto que pode transformar o Amapá no maior entreposto de cargas da Amazônia, uma antiga vocação do estado e que poderá finalmente sair do papel. Trata-se do Complexo Portuário “Porto Norte Brasil”.

Localização

O projeto do porto fica localizado às margens do Rio Amazonas e acessado através da rodovia estadual AP-070, avaliado em aproximadamente R$ 3 bilhões e que agora está em busca de investidores. Falando à coluna, o presidente da Agência, Eliezir Viterbino, diz que o projeto é sim objeto de interesse do estado.

Capital

Já há pleito oficial do Estado à Câmara de Comércio Brasil-Rússia. “Projeto reúne tudo o que o Amapá precisa em termos de logística de transporte, pois o nosso estado tem todas as condições de se transformar no maior entrepostos de cargas da Amazônia”, diz o dirigente da Agência.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

POLÍTICA | Max promove debate em parceria com Associação Brasileira dos Municípios

Deputado Max da AABB confirma representantes da Associação Brasileiras dos Municípios em Macapá
Com o intuito de oferecer melhorias para a população e implantar novos projetos, a presidência da Associação Brasileira dos Municípios (ABM) procurou o deputado Max da AABB (Solidariedade) para discutir ações de captação de recursos e pedir auxílio, mas uma vez o parlamentar não negou ajuda e ofereceu o apoio necessário da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap).

Nesse primeiro encontro, ficou definido que serão realizadas discussões com a Associação Brasileira de Municípios com a finalidade ampliar os conhecimentos sobre a entidade para que técnicos, prefeitos e secretários envolvidos com o meio ambiente possam ter condições de buscar recursos para seus municípios.

O evento que visa essa integração será aberto aos vereadores, secretários municipais e estaduais, técnicos, sociedade civil organizada e acadêmicos. Também será realizada a entrega de certificado aos participantes.

“A audiência pública sobre o assunto já vêm sendo realizada em todo o Brasil e o Amapá não pode ficar de fora, e é uma maneira de nós como deputados de trazer recursos para o desenvolvimento do Estado, que ainda é o mais preservado do Brasil”, disse o deputado Max da AABB.

A audiência pública está marcada para acontecer no dia 23 de outubro, às 9 horas, no plenário Deputado Dalto Martins, na Assembleia Legislativa do Estado do Amapá.

LOGÍSTICA | Projeto quer transformar Amapá no maior entreposto de cargas da Amazônia

Cleber Barbosa
Da Redação

Foi apresentado à Agência de Desenvolvimento Econômico do Amapá um arrojado projeto que pode transformar o Amapá no maior entreposto de cargas da Amazônia, uma antiga vocação do estado e que poderá finalmente sair do papel. Trata-se do Complexo Portuário "Porto Norte Brasil", localizado às margens do Rio Amazonas e acessado através da rodovia estadual AP-070, avaliado em aproximadamente R$ 3 bilhões e que agora está em busca de investidores.
Falando com exclusividade ao Blog do Cleber Barbosa, o presidente da Agência Amapá, Eliezir Viterbino confirma a tramitação do projeto e revela inclusive já ter sido objeto de um pleito oficial do Estado à Câmara de Comércio Brasil-Rússia. "Esse projeto reúne tudo o que o Amapá precisa em termos de logística de transporte, pois o nosso estado tem todas as condições de se transformar no maior entrepostos de cargas da Amazônia", diz o dirigente da Agência.
O representante do Estado também diz ser perfeitamente viável que investidores estrangeiros decidam apostar nessa capacidade, uma vez que as rotas internacionais estão sempre prospectando novas possibilidades e o projeto em questão tem tudo para emplacar. "Estamos aguardando para daqui mais dez dias um posicionamento da Rússia, porém já estamos iniciando tratativas com a Holanda também, afinal uma parceria com o Amapá poderia estabelecer uma conexão com o grande terminal portuário deles, em Roterdã", diz Viterbino.

A seguir, o vídeo oficial de apresentação do projeto do Porto Norte Brasil.


MERCADO IMOBILIÁRIO | Cuidados e obrigações do inquilino no aluguel por temporada

Com a chegada do verão e a proximidade das férias e de festas como Natal, Ano Novo e Carnaval, começa a procura por locação de casas e apartamentos para temporada.
Os veranistas já estão em busca do seu lugar ao sol e tanto o locador quanto inquilinos e corretores de imóveis precisam estar atentos a detalhes importantes para que as férias não se tornem uma dor de cabeça.
A lei do inquilinato (8.245/1991) define que a locação para temporada não deve ultrapassar 90 dias, mas independente do tempo acordado é muito importante ter um contrato de locação. O documento é uma garantia tanto para o proprietário quanto para o inquilino e por isso é recomendado em toda negociação, mesmo que o período de estadia seja curto.
Neste contrato é importante conter uma lista de tudo que o imóvel disponibiliza como móveis, utensílios de cozinha, eletrodomésticos, entre outros. Caso o imóvel alugado esteja localizado em um condomínio com piscina, saunas ou outras opções de lazer, é importante que também estejam descritos no contrato se os inquilinos poderão desfrutar destes itens, pois alguns prédios permitem que apenas proprietários e seus familiares utilizem as áreas de lazer.
Outro detalhe importante diz respeito às formas de pagamento. A prática comum é o pagamento de 50% do valor total como sinal e o restante na data de entrega das chaves. Alguns proprietários podem solicitar um cheque caução para a garantia dos pagamentos de contas extras. Outros ainda podem exigir o pagamento do valor total da locação no ato da contratação. Portanto, isso pode ser combinado de maneira livre, de acordo com a necessidade ou realidade de cada negociação.
Para garantir negócios mais seguros, separei algumas dicas fundamentais que devem ser observadas por cada parte envolvida neste tipo de intermediação imobiliária.
INQUILINOS
- Sempre que possível, visite o imóvel antecipadamente. Caso isso não seja possível e você tenha que recorrer à internet, procure imóvel em sites confiáveis;
- Busque referências sobre a imobiliária ou locador;
- Atente-se à infraestrutura da região, se o imóvel está localizado próximo a farmácias, supermercados, padarias, se a área é movimentada, questões de segurança;
- Verifique se é permitida a presença de animais de estimação no imóvel;
- Não confie apenas em sites ou fotos de anúncios, busque referências sobre o imóvel;
- Ao chegar ao imóvel verifique se os chuveiros, torneiras, descargas, luzes e eletrodomésticos estão funcionando corretamente. Ao detectar qualquer problema, informe imediatamente o locatário.

Por Guilherme Machado*
Especialista em Mercado Imobiliário, com mais de 18 anos de experiência como corretor de imóveis e empresário do segmento; Guilherme Machado realiza cerca de 20 palestras mensais em diversos Estados do Brasil para profissionais da área 

AUTOMÓVEL | Hyundai confirma produção de picape robusta para entrar na concorrência

Depois de fazer mistério nos últimos dois anos, a Hyundai confirmou que vai mesmo produzir a picape Santa Cruz, mostrada como conceito no Salão de Detroit de 2015. A informação foi dada à agência Reuters pelo vice-presidente de planejamento da montadora nos Estados Unidos, Michael J. O’Brien. O executivo, porém, só informou que a marca vai disputar em breve o segmento de picapes, sem especificar uma data.

Paralelamente, fontes disseram que a futura picape será menor que o conceito Santa Cruz, e com proposta mais urbana. A picape é uma reivindicação da rede de concessionários da marca no país. Segundo os revendedores, a demanda por comerciais leves nos EUA vem crescendo, ao passo que a procura por modelos tradicionais, como os sedãs Elantra e Sonata, vem diminuindo.

Briga boa

Forte no segmento de SUVs, a Hyundai deve começar a investir também nas picapes. É o que se pode deduzir das declarações dadas por Dave Zuchowski, presidente da marca nos EUA, durante o Salão de Detroit. “Estamos aguardando mais por um anúncio oficial do que por aprovação”, disse ele à jornalistas australianos a respeito da Santa Cruz, um conceito exibido exatamente um ano atrás, na edição passada do principal Salão americano.

Fonte: AutoEsporte e Quatro Rodas

OAB quer definir 6 de janeiro como data para conscientização sobre segurança aquaviária.

O radialista Ivo Cannuty entrevista os representantes da Comissão da OAB-AP
A recém criada Comissão de Direito Marítimo, Portuário e Aduaneiro da OAB-AP (Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Amapá) já começa sua atuação promovendo uma ampla discussão a respeito da necessidade de toda a sociedade participar da segurança da navegação. Uma lei estadual proposta por esse colegiado deverá ser votada na próxima terça-feira, dia 17, no Parlamento Estadual e quer transformar o dia 6 de janeiro – dia do naufrágio do Barco Novo Amapá – como Dia Estadual de Conscientização da Segurança da Navegação.
Advogado Luiz Ricardo Carvalho, da OAB-AP

Debate
O presidente da Comissão é o advogado Luiz Ricardo Carvalho, que também é oficial da reserva da Marinha do Brasil. Ele esteve no rádio nesta segunda-feira (16) falando a respeito do tema no programa Ensaio Geral, do radialista Ivo Cannuty, ocasião em que conclamou os familiares das vítimas do maior naufrágio da Amazônia, ocorrido em 6 de janeiro de 1981, a participarem das homenagens às vítimas e a votação da nova lei estadual. Quem também integra a Comissão é o advogado amapaense José Souza, que igualmente é oficial da reserva da marinha, compareceu ao programa na Diário FM.
O advogado também destacou a necessidade dessa discussão envolver a todos os segmentos da sociedade, visto que o Amapá tem essa vocação hidroviária, por abrigar a maior bacia hidrográfica do mundo, a do Amazonas. “Queremos todos participando desse debate, desde os construtores navais, os empresários que costumam locar embarcações, as autoridades e, claro as pessoas que dependem dos transporte aquaviário”, diz ele.

A sessão da Assembleia Legislativa que deverá apreciar a proposta está marcada para amanhã, às 9h30 no Plenário Deputado Dalto Martins. O próprio presidente da AL, deputado Kaká Barbosa, avocou para si a autoria do projeto oriundo da OAB.

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, segunda-feira, dia 16 de outubro de 2017.

Cidades

Secretário do Desenvolvimento das Cidades, Alcyr Matos, foi ao rádio no fim de semana falar da mais emblemática proposta de Waldez para convencer o eleitor a lhe dar um novo mandato: cuidar das pessoas e das cidades. Arquiteto e urbanista, Alcyr mandou bem.

Real

A entrevista dele foi em nosso Conexão Brasília, na Diário FM. Falou com propriedade sobre as propostas exequíveis que estão sendo implementadas pela administração municipal e as que demoram mais.

Olhar

Explicou didaticamente como se dá a transversalidade de sua pasta e a interlocução que ele faz com as demais secretarias de governo. A ideia é que as políticas públicas levem em consideração esse binômio.

Apoio

A secretaria que Alcyr comanda está captaneando apoio às prefeituras do interior, afinal acessar os recursos federais, covêncios e financiamentos a fundo perdido pode representar o recurso que faz falta.

Terras

Outra constatação é que existem prefeituras do interior que sequer cobram o IPTU, uma das principais fontes de receita. É que alguns municípios não são donos das glebas territpriais que habitam.

No rádio
Olha aí a presença do secretário das Cidades, Alcyr Matos, sábado na Diário FM. Concedeu esclarecedora entrevista ao nosso programa semanal que está completando 10 anos no ar. Falou a respeito de como governo e prefeituras estão se ajudando para melhorar as qualidade 
de vida das pessoas. Foi bem.

Transporte

O Ministério Público do Amapá realizará workshops com funcionários das empresas de transportes públicos para melhoria de atendimento ao público. A proposta de capacitação e reciclagem foi apresentada, no dia último dia 6 de outubro, pela Promotoria de Justiça de Direitos Constitucionais (PJDC).

Unifap

Interessados em cursar mestrado do Programa de Pós graduação em Ciências Ambientais (PPGCA), da Universidade Federal do Amapá (Unifap), devem se atentar para o prazo de inscrição da seleção de alunos para a turma 2018, que inicia nesta segunda-feira, 16, e finaliza no dia 24 deste mês.

Menor

A PMM colocará em prática, a partir de fevereiro, um plano municipal de prevenção e erradicação do trabalho infantil e proteção do adolescente trabalhador. A iniciativa é resultante de um acordo firmado com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e demais parceiros, com a Prefeitura.

TURISMO | Projeto quer incentivar um roteiro turístico entre as Guianas e o Amapá

Cleber Barbosa
Da Redação

Ele surgiu com o pomposo nome de o Produto Turístico Combinado Amazônia (PTCA), em 2008, englobando pelo lado brasileiro o Amapá, o Pará e o Amazonas. Pelo lado de lá do Rio Oiapoque, incluía a Guiana Francesa e o Suriname, que seriam as locações para um roteiro internacional para atrair turistas estrangeiros em visitas à Amazônia. Repaginado, recebeu o nome de “P.O. Amazonie”, mais enxuto porém com o propósito de integrar e aquecer a economia do turismo na região do Amapá, Guiana Francesa e o Suriname.

O diplomata do Suriname Dinnesh Ramral visitou Macapá recentemente, procurando autoridades locais, para acertar detalhes da parceria. “Estamos muito otimistas de que esse roteiro integrado com nossos irmãos das Guianas e do Amapá para alavancar a atividade do turismo em nossa região”, diz ele.

Para isso foi editado o “Guia do Baixo Vale do Oiapoque” que apresenta a magia de confluências culturais e sul-americanas, experiências incomuns para se viver, uma degustação das delícias da Amazônia como os produtos das palmeiras (açaizeiros) e a farinha (Couac) de Ouanary, o mel, o Açai e o artesanato de Oiapoque, Saint Georges, Cacao e Café de Vila Velha Tucunaré (peixe) em Calçoene.

Ao longo do ano o calendário fixo indica os eventos, cerimônias públicas, as festividades e encontros das comunidades que você pode compartilhar com a população do vale num contexto de amizade verdadeira.
A ideia é desenvolver um roteiro de nove dias para o turista conhecer os três países, com três dias para cada estada, no Suriname, na Guiana Francesa e no Amapá. Trata-se de um roteiro muito rico e vasto, com histórias diferentes, mas tendo como pano de fundo toda a exuberância da floresta amazônica.

O roteiro “vende” visitas a verdadeiras jóias pouco conhecidas dos grandes centros emissivos de turistas internacionais, como a Cachoeira Maripa e o Parque Nacional da Guiana, na Guiana Francesa, bem como de urnas funerárias como achado arqueológico na chamada República do Cunani, em Calçoene. Com esses fortes apelos históricos, o roteiro se reveste de uma possibilidade para o incremento também do turismo regional, com os moradores dos três países.

A Guiana Francesa e sua trajetória de ser Europa
A famosa "Ilha do Diabo", atração turística da capital da Guiana Francesa
As primeiras tentativas europeias, de que se tem registro, de comércio e povoamento na foz do Oiapoque datam do final do século XVI. A colonização da região baixa do rio Oiapoque, que era ocupada por várias populações indígenas, iniciou somente sob o governo francês de Orvilliers em 1720 com a construção de um posto militar e administrativo, e de uma paróquia.

A Colonização, exclusivamente francesa, estende-se em ambos os lados do rio, do forte de Saint-Louis até a cachoeira de Maripa, próximo aos povos indígenas, onde os colonos ‘traficavam” e onde os jesuítas estabeleceram duas missões.

Sob o reinado de Luis XV, um projeto de exploração de terras situado entre os rios Approuague e Oiapoque, conduzida pela companhia da Guiana e do Senegal (1774-1791), dando origem a renovação do tráfico de escravos e da criação do maior distrito populacional da época, o Ouanary. A montanha do dinheiro, situada na vila do Ouanary, é um lugar fantástico e famoso por seu patrimônio natural cultural.

Suriname é um país de contrastes e uma rica história de luta armada
A Ponte Wijdenbosch, em Paramaribo, capital do Suriname
O Suriname foi primariamente conquistado por espanhóis no século XVI e em meados do século XVII os ingleses estabeleceram-se lá. Embora mercadores holandeses tivessem estabelecido várias colônias na região da Guiana antes, os holandeses não tomaram posse do que é hoje o Suriname até ao Tratado de Breda, em 1667, que marcou o fim da Segunda Guerra Anglo-Holandesa. Em 1863 foi abolida a escravatura e devido a isso começaram a ser trazidos trabalhadores da Índia e de Java.

Depois de se tornar numa parte autónoma do Reino dos Países Baixos, em 1954, o Suriname conseguiu a independência em 1975. Um regime militar dirigido por Desi Bouterse governou o país nos anos 80 até que a democracia foi restabelecida em 1988. É um país de baixa densidade demográfica, com 560 mil habitantes. 

A mistura étnica do país evidencia-se nas crenças religiosas do povo. As maiores influências vêm de costumes católicos, apesar de existir fortes traços da religião dos hindus. O desenvolvimento das artes locais diminuiu pelo fato de grande parte da população erudita morar fora do país (principalmente nos Países Baixos), em busca de melhores oportunidades econômicas e também por causa da repressão militar. Contudo, podem se apreciar esculturas que expressam parte da cultura dos índios e da população negra.

O Suriname é um dos principais produtores mundiais de bauxita, tendo sua modesta economia baseada na exploração e no beneficiamento desse minério, do qual se produz alumínio. Da Amazônia deles se extrai a matéria prima da indústria madeireira. 

CURIOSIDADES
- A Guiana Francesa ocupa uma superfície de 86 504 km², limitada ao norte pelo Oceano Atlântico, a leste e a sul pelo Brasil e a oeste pelo Suriname.
- Suriname, ou, raramente, Surinão, oficialmente chamado de República do Suriname. É um país medianamente desenvolvido, com renda per capita de US$ 9.500 (dólares por habitante).

1.500
Neste ano ocorreu a primeira expedição pelas Guianas, feitas pelo navegador espanhol Vicente Yáñez Pinzón, que buscava fortunas na região.

O SURINAME

ENTREVISTA | “Estamos num trabalho de manter viva a memória do doutor Antunes”

Executivos são tidos como pessoas frias, pragmáticos por resultados, mas este senhor com mais de 80 anos veio a Macapá para se emocionar. Trata-se de Américo Muniz, ex-braço direito de Augusto Antunes, fundador da mineradora Icomi e de um império empresarial chamado Grupo Caemi. Era para ser um lançamento de um filme biográfico sobre este grande brasileiro, mas os eventos agregaram tanto valor que a memória de Antunes vai permanecer entre a sociedade amapaense por muito tempo. O Blog do Cleber Barbosa conversou com Muniz, que faz um balanço deste acontecimentos que marcaram a semana no Parlamento Estadual em em todos os cantos da cidade.

Cleber Barbosa
Da Redação

Blog – O que ficou desde aquele experiência, da recepção calorosa em torno do lançamento do filme biográfico sobre Augusto Antunes e que acabou virando uma coisa muito mais emocionante, uma verdadeira comoção?
Américo Muniz – Foi uma experiência, e eu já tenho muitos anos de vida, uma experiência ímpar na minha vida, pois eu sempre gostei demais da Icomi e sempre tive uma admiração muito grande pelo doutor Antunes e fiquei estupefato, digamos assim, com o amor que esse povo do Amapá dedica ao doutor Antunes, porque de uma forma ou de outra alguém é neto ou bisneto, ou filho, ou trabalhou na Icomi e todos tem um respeito muito grande pela figura do doutor Antunes.
Blog – E sobre o que agregou a tudo isso a participação da Assembleia Legislativa, que criou uma data comemorativa e uma comenda com o nome de Antunes isso superou as suas expectativas?
Américo – Ficou muito além das expectativas, porque nós estamos num trabalho de manter viva a memória do doutor Antunes. Já houve um livro e agora houve um documentário, então essa instituição do Dia do Manganês e a criação da Comenda  agregaram coisa que a gente nunca esperava que fosse acontecer essa manutenção da memória do doutor Antunes.
Blog – Foi nesse sentido que um grupo de ex-funcionários, ex-executivos, enfim, mas assistidos pela fundação Caemi decidiu criar o documentário?
Américo – Foi nesse sentido. Nós criamos o livro e o documentário. Agora está enriquecido com o Dia do Manganês e com a Comenda. Temos ainda uma outra ideia em mente que é a criação de um prêmio de mineração Augusto Antunes que a gente está desenvolvendo com o Ibram [Instituto Brasileiro de Mineração] e aí seria a nível nacional ou para estudantes de nível superior. A gente tem esperança de que isso aconteça ainda, porém o que já aconteceu aqui, com a Assembleia Legislativa, que é um dos Poderes do Estado foi impressionante.
Blog – Do contato pessoal que o senhor tinha com Augusto Antunes o que era mais preponderante?
Américo – A seriedade dele em tudo o que ele fazia. Eu disse no meu discurso na Assembleia que a gente aprendeu com ele a respeitar a lei e ai de quem não respeitasse a lei na nossa empresa. Ele sempre dizia: “Enquanto a lei for lei tem que ser respeitada. A gente pode até lutar para mudar a lei, mas enquanto ela for lei ninguém pode desrespeitar”. Foram ensinamentos que ficou para a nossa vida toda.
Blog – A gente sabe que ele era um empresário muito bem sucedido, um homem à frente de seu tempo, mas em particular com relação a Icomi e o Amapá, o senhor diria que ele tinha um envolvimento também afetivo com esse projeto?
Américo – Ele tinha toda ligação sentimental. Porque foi aqui que começou tudo. Ele começou em Minas Gerais, mas foi aqui no Amapá, Serra do Navio, manganês que deu início a, vamos dizer assim, eu não gosto de falar essa palavra, mas enfim, deu início ao império dele. E ele tinha um carinho muito especial pelo Amapá, tanto que ele tentou de todos os jeitos o desenvolvimento do Amapá através do IRDA, através da COPRAM, através da AMCEL, através da CODEPA, enfim, através de várias iniciativas ainda no Território e depois no Estado para desenvolver o Amapá.
Blog – Já que o senhor falou e muitos jornalistas se referem às empresas dele como um império, para que todos possam entender o tamanho desse conglomerado de empresas elas representavam o que exatamente?
Américo – Olha, a dimensão eu não saberia dizer, mas eu posso dizer que nesse grupo de empresas do Grupo Caemi tinha a Icomi, com mineração de manganês, tinha a MBR, uma empresa também muito importante também em mineração de ferro de Minas Gerais, tinha também a Aços Anhanguera, de aços especiais, tinha a Swift-Armour onde eu fui diretor, que foi uma empresa adquirida já funcionando, tinha a AMCEL, tinha a CAEMI Cummis, com motores e por aí adiante. Houve com a Anglo American iniciativas em Goiás para pesquisas de diamantes, houve uma pesquisa forte de ouro na Bahia, em Jacobina,então o Grupo Caemi era realmente muito diversificado.
Blog – Bem a única filha dele viva é dona Beatriz, então coube aos netos a missão de tocar os negócios e a gente tem notícia de que as empresas do Grupo Caemi já não existem, foram vendidas, é isso?
Américo – Ele foi incorporado pela Vale do Rio Doce.
Blog – E a Fundação Caemi, outra iniciativa considerada de vanguarda de Augusto Antunes, para garantir uma qualidade de vida a seus empregados na aposentadoria, ela ainda permanece pagando a complementação dos beneficiários?
Américo – A Fundação Caemi vai acabar proximamente, mas o Plano de Suplementação de Aposentadoria e Pensão foi passado para a Bradesco Vida e previdência. Hoje todos nós que fomos aposentados pela Fundação Caemi estamos recebendo nossos benefícios pela Bradesco Vida e Previdência, que é uma entidade aberta e que tem uma duração prevista muito maior que qualquer empresa privada, foi uma negociação. O plano foi clonado exatamente como era e a Bradesco Vida e Previdência vem mantendo isso religiosamente. O pagamento era feito no penúltimo dia do mês e continua sendo assim, havia duas correções anuais do benefício, em março e em setembro, o que também continua sendo feito. O plano foi realmente uma sorte para nós que tenha sido negociado tão bem com a Bradesco Vida e Previdência.
Blog – O senhor chegou a declarar aqui durante sua estada de que ainda havia uma coisa a ser feita, com a construção ou organização de um museu, do manganês ou de Augusto Antunes. O que o senhor pensa em termos de formatar isso, como as pessoas poderiam dar contribuições, fazer doações, afinal há tanto acervo disperso por aí, com bens materiais como uma velha lanterna dos guarda-freios da velha Estrada de Ferro que o senhor guarda com carinho lá no Rio...
Américo – [Risos] Olha, isso não será uma iniciativa nossa porque a criação de um museu me parece mais uma atribuição do poder público. Acho que caberia no Amapá um museu do manganês ou um museu da mineração, onde a gente conseguisse juntar tudo o que ainda existe e ainda não está destruído dos primórdios da empresa, da história do manganês e da história desse estado, porque o estado virou estado graças ao desenvolvimento que aconteceu a partir do manganês. E tudo que nós temos lá na Associação nós criamos um espaço para a Caemi, pois como a nossa Associação é uma associação que tende a zero, um grupo fechado que a cada ano vai envelhecendo cada vez mais, a gente poderia destinar para o museu,como contribuição, e tenho certeza de que todos aqueles empregados que tem alguma recordação da Icomi e do seu começo, gostariam de deixar isso no museu.
Blog – Por falar nisso quem são essas pessoas e qual é a faixa etária delas?
Américo – São quase 800 associados, temos 36 com mais de 90 anos, 180 entre 80 e 89, eu estou nesse meio aí [mais risos]; temos quatrocentos e poucos entre 70 e 79 anos e outros com menos idade, crianças ainda...
Blog – E se reúnem periodicamente?
Américo – A gente sempre tem alguns grupos que se reúnem, pois a Sede da Associação a gente chama de “ponto de encontro”, então sempre que alguém vai ao Rio sempre a gente recebe lá, gosta muito, tira fotos, sai no jornalzinho que publicamos a cada quatro meses.
Blog – Obrigado pela entrevista.
Américo – Obrigado a você.

Perfil

Entrevistado. Américo Muniz Goulart Simas, 80, é natural de Açoures (Portugal), chegou ao Brasil em 1940, com os pais que migraram para o Rio de Janeiro, o pai mecânico e a mãe costureira. Estudou no tradicional Colégio Pedro II e depois se bacharelou em Direito pela Universidade Cândido Mendes. Começou a trabalhar aos 14 anos na Construtora Humberto Menescal, uma das construtoras do Estádio Maracanã; Fez especializações em Gerência Geral, Recrutamento e Seleção, Vilas em Áreas Remotas, todos pela PUC-Rio. Depois num intervalo de um emprego e outro, em 1963, casou-se com dona Idamar e teve um casal de filhos. Trabalhou na Indústria Química CIBA até ser aprovado em processo seletivo para vir para a Icomi, no Amapá.

sábado, 14 de outubro de 2017

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, sábado, dia 14 de outubro de 2017.


Escravidão

Está completando dois anos a Comissão da Verdade da Escravidão Negra do Amapá, braço da OAB-AP para levantamento histórico sobre a causa. O colegiado é presidido pelo advogado amapaense Danilo Silva que se diz satisfeito com os debates já levantados.

Dificuldade

Falando à coluna, ele diz que a Comissão que ir mais adiante, buscando a reparação dos crimes que possibilitaram a escravidão negra no país. “Difivuldade ainda é o acesso a documentos e gente para isso”, diz.

Mineração

O diretor técnico da ICOMI S.A. engenheiro Marcelo Velezquez, foi ao Conselho Municipal do Meio Ambiente (CONSEMMA) do município de Porto Grande, falar co cronograma da volta das operações.

Mobilização

O evento reuniu conselheiros, secretários municipais, vice prefeito e assessores para ouvirem o diretor da ICOMI falar aos conselheiros, secretários, o vice prefeito e demais assessores da administração local.

História

Porto Grande sempre exerceu um papel importante no auge do projeto da mineradora, como um entreposto e onde também funcionou a Fazenda Campo Verde, um polo hortifrutigranjeiro que a abastecia.

Hospital
Dá uma olhada na maquete eletrônica da futura unidade local do Hospital do Câncer de Barretos. O Governo do Estado já obteve da Secretaria de Patrimônio da União (SPU) a autorização de doação do terreno para a construção da Unidade solicitada oficialmente pelo governador 
Waldez Góes em janeiro deste ano.

Pecuária

Se fossem humanos a gente diria que é a época da libido exarcebada (que para os racionais é o Carnaval), mas para a pecuária os meses de setembro e outubro são a chamada “estação de monta”. Uma preocupação recorrente no período é em relação à saúde das matrizes, daí a preocupação extra a criadores.

Doença

Além dos cuidados básicos com a qualidade do material genético utilizado e a nutrição adequada. Se uma vaca repete cio constantemente, nem sempre é pelo fato de não ter emprenhado. Ela pode estar sofrendo da Síndrome Reprodutiva dos Bovinos (SRB), enfermidade que causa queda na produção de bezerros.

Vacina

Muitas das doenças da SRB causam abortos e morte das reprodutoras. “Mas outras são decorrentes da absorção do embrião, gerando perdas invisíveis aos olhos do tratador”, alerta a médica-veterinária Bibiana Carneiro, da Tecnovax do Brasil, única que já importa a vacina para o país.


sexta-feira, 13 de outubro de 2017

EDUCAÇÃO | Unifap abre inscrições para curso de Mestrado em Ciências Ambientais

Interessados em cursar o mestrado do Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais (PPGCA),  da Universidade Federal do Amapá (Unifap), devem se atentar para o prazo de inscrição da seleção de alunos para a turma 2018, que inicia nesta segunda-feira, 16, e finaliza no dia 24 deste mês. As inscrições serão efetuadas exclusivamente via internet, por meio de formulário de inscrição que será disponibilizado no site do Departamento de Processos Seletivos e Concursos (Depsec), com uma taxa de pagamento no valor de R$ 50. É necessário o número de Cadastro de Pessoa Física (CPF) para candidatos brasileiros ou o número do passaporte para estrangeiros que não possuam CPF.
Ao todo, serão ofertadas 20 vagas, sendo três vagas para candidatos negros ou indígenas, uma para pessoas trans (travesti ou transexual) e uma vaga para pessoa com deficiência. Poderão participar da seleção candidatos concluintes de cursos de nível superior que atestem conhecimento da língua inglesa por meio dos exames certificadores listados no edital de seleção e que apresentem carta de anuência (Anexo II do edital) de um(a) orientador(a) credenciado(a) no PPGCA que tenha disponibilizado vaga para o processo seletivo.
A seleção terá duas etapas: prova de conhecimentos específicos, a ser realizada às 9h do dia 6 de novembro de 2017 em local a ser previamente divulgado pelo PPGCA; e análise do Currículos Lattes. A divulgação do resultado final do processo seletivo está prevista para o dia 21 de novembro.
Confira, no site da Unifap , a íntegra do edital de seleção e seus anexos. Mais informações pelo e-mail ppgca@unifap.br ou pelo site do PPGCA.

PPGCF 
O PPGCA tem como objetivo ser um agente transformador da realidade socioambiental no Amapá a partir da formação de profissionais qualificados para atuarem em uma ampla variedade de áreas do conhecimento, destacando-se a promoção do uso racional dos recursos naturais e a sustentabilidade ambiental frente aos desafios do desenvolvimento socioeconômico. Trata-se de um programa de caráter interdisciplinar no qual diversas áreas da ciência se integrariam para gerar novos conhecimentos utilizando a temática socioambiental com foco em problemas ambientais relevantes.
As pesquisas do PPGCA abrangem áreas como gestão e sustentabilidade ambiental, problemas e conflitos socioambientais, ecologia e biodiversidade tropical, geração, desenvolvimento e inovação de tecnologias apropriadas para o desenvolvimento sustentável, estudo e análises de processos ambientais (saneamento ambiental, energias renováveis, biotecnologia, nanotecnologia, avaliação de impactos ambientais, gestão de fauna e flora, agricultura, saúde ambiental, populações humanas, clima urbano, poluição e ecotoxicologia etc.). As linhas de pesquisa do programa são "Gestão, Tecnologia e Inovação Ambiental" e " Recursos Naturais e Sistemas Ecológicos (RNSE)".

Confira o site do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA) da Unifap. 

Serviço
Processo Seletivo do Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais (PPGCA) - Mestrado

Inscrições de 16 a 24 de outubro, exclusivamente no site www.unifap.br/depsec. Taxa de inscrição: R$ 50. 20 vagas, sendo três vagas para candidatos negros ou indígenas, uma para pessoas trans (travesti ou transexual) e uma vaga para pessoa com deficiência. Edital de seleção no site da Unifap.   Informações: ppgcf@unifap.br ou site do PPGCA.

AGRONEGÓCIO | Chega ao Brasil vacina contra a Síndrome Reprodutiva Bovina

Os meses de setembro e outubro marcam a chegada da estação de monta na pecuária brasileira. Independente da cobertura da vacada ocorrer por meio de touros, inseminação artificial em tempo fixo (IATF) ou transferência de embriões (TE) é neste período que os pecuaristas mais organizados e veterinários voltam a atenção para os índices reprodutivos e o melhoramento genético do rebanho.
Além dos cuidados básicos com a qualidade do material genético utilizado e a nutrição adequada, uma preocupação recorrente no período é em relação à saúde das matrizes. Se uma vaca repete cio constantemente, nem sempre é pelo fato de não ter emprenhado. Ela pode estar sofrendo da Síndrome Reprodutiva dos Bovinos (SRB).
Enfermidades deste gênero causam uma queda considerável na produção de bezerros, sem entrar em estatísticas oficiais. “Muitas das doenças da SRB causam abortos e morte das reprodutoras, mas outras são decorrentes da absorção do embrião, gerando perdas invisíveis aos olhos do tratador”, alerta a médica-veterinária Bibiana Carneiro, Counter Manager da Tecnovax do Brasil.
Veterinária Bibiana Carneiro
Para combater o problema, a empresa traz à pecuária brasileira a vacina Providean® REPRO 12, que como o próprio nome sugere possui antígenos bacterianos e virais contra doze diferentes doenças, muitas das quais endêmicas em determinadas regiões do País. “Esse grupo de doenças causa grande impacto econômico, principalmente nos rebanhos de cria, onde se utiliza a IATF”, explica a médica-veterinária. A vacina já chega sendo a mais completa do mercado, com sete sorotipos de Leptospirose, duas cepas de Campilobacter e uma de Haemophilus, todas de campo e inativadas.
O problema é que nem sempre elas apresentam sintomas ou sinais clínicos evidentes, transferindo à vacinação a forma mais eficaz de controle. Considerando a cotação do bezerro desmamado na praça de São Paulo, que é referência para todos os estados do Brasil, que em julho apresentou média de R$ 1.009,00, ter um aumento de 5% no índice de nascimentos da propriedade, por exemplo, elevaria a rentabilidade do pecuarista de maneira substancial.
No exemplo citado, um produtor que aumentasse a taxa de prenhez das matrizes de 80% para 85% teria cinco bezerros a mais a cada 100 vacas inseminadas ou expostas à monta natural. Em um rebanho de 500 matrizes significaria 25 bezerros extras. Com o preço cotado a R$ 1.009,00, o criador teria R$ 25.225,00 adicionados ao caixa para aplicar em melhorias na fazenda.
Estimativas do setor apontam que a sanidade animal representa somente 3% dos custos totais de produção, com o valor da vacina já embutido neste investimento. Também é necessário ressaltar que as doenças infecciosas são responsáveis por até 50% das perdas na gestação.

Tecnologia
Com o adjuvante o Pilatus GHA500®, uma tecnologia também desenvolvida pela Tecnovax com o objetivo de maximizar a resposta imune, cessam-se as indesejadas reações inflamatórias.
A recomendação é que bezerras sejam vacinadas a partir dos quatro meses de idade, com reforço 30 dias após a primeira dose, porque, após a contaminação, o herpesvírus da IBR acomete o animal por toda a vida. Considerando a tendência de as fêmeas entrarem em reprodução em algum momento da vida, a prevenção do aborto é sempre mais barata do que adiar a vacinação e ter de conviver com uma vaca-problema. O reforço vacinal é feito cerca de 15 dias antes do animal entrar em serviço. Touros também devem ser imunizados.

SAÚDE | Saiba como será a unidade do Amapá do Hospital do Câncer de Barretos

O Governo do Estado do Amapá obteve da Secretaria de Patrimônio da União (SPU) a autorização de doação do terreno para a construção da Unidade Fixa de Prevenção do Hospital do Câncer de Barretos. A doação havia sido solicitada oficialmente pelo governador Waldez Góes em janeiro deste ano.
O terreno para a construção da unidade fica em uma área de três hectares na Rodovia Norte-Sul. A localização é privilegiada para o acesso da carreta de diagnóstico itinerante (também inclusa no projeto) aos municípios de Mazagão e Santana, via Rodovia AP-440, e aos demais municípios pela BR-156 e BR-210.
O oncologista Raphael Luiz Haikel Junior, responsável pelas unidades móveis de diagnósticos do HCB, ressalta que o uso dessas unidades no rastreamento do câncer de mama e na realização dos exames de mamografia é muito importante, hoje o câncer de mama é um dos tipos mais comuns entre as mulheres brasileiras.
“Levar o acesso às populações mais distantes e de cidades menores e as mulheres dessas regiões, vai proporcionar o acesso a um exame de qualidade e com isso o diagnóstico mais rápido, podendo ter a cura. Sabemos que o câncer de mama, quando diagnosticado precocemente tem até 98% de chances de cura, então para a comunidade e toda a população isso é de grande importância”, disse.
Engenheiros do HCB estiveram em Macapá e em tratativas com o GEA obtiveram as autorizações do Instituto do Meio Ambiente e de Ordenamento Territorial do Amapá (Imap), Secretaria de Transportes do Estado do Amapá (Setrap) e Secretaria de Infraestrutura do Amapá (Seinf) que permitem o início das obras.
Início
No próximo dia 18, o engenheiro do HCB, Gustavo Ruza, chega ao Amapá para contratação de mão de obra local e empresas para prestação de serviços e dar início às obras de construção da unidade.
O tempo previsto para término das obras é de oito a doze meses após o início. Os recursos já estão disponíveis, ao todo serão investidos R$ 21,4 milhões para a construção e compra de equipamentos. Por meio de uma articulação do governo com a bancada federal, todos os onze parlamentares destinaram recursos através de emendas individuais.
A gestão estadual tem buscado no HCB alternativas para garantir a assistência à população do Estado. As tratativas começaram a ser estabelecida após visitas técnicas de gestores da saúde a Barretos no primeiro semestre de 2015 e foi fortalecida após a ida de parlamentares na unidade, no interior de São Paulo.
Segundo secretário de saúde Gastão Calandrini, a Unidade de Prevenção vai atuar junto com as Unidades Básicas de Saúde (UBSs), que são a porta de entrada desses pacientes na rede hospitalar. “Esses pacientes serão encaminhados através das UBSs e no momento em que o câncer for detectado eles entram na rede estadual para o tratamento. É uma rede completa de prevenção, diagnóstico e tratamento”.

Unidade de Prevenção
Quando a Unidade de Prevenção estiver pronta, no caso de um diagnóstico positivo, o paciente será encaminhado para Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) para fazer o tratamento.
A articulação do GEA com a bancada e com o Ministério da Saúde também prevê a implantação do serviço de radioterapia. Quando o sistema de atendimento contra o câncer estiver completo, com a Unidade de Prevenção de Barretos, a nova Unacon e o tratamento de radioterapia, além de vidas salvas, os custos com o Programa Tratamento Fora de Domicílio (PTFD) serão reduzidos.

Por: Claudia Cavalcanti/Secom/GEA

MINERAÇÃO | Icomi apresenta em Porto Grande cronograma da volta de operações

O diretor técnico da ICOMI S.A. (Indústria e Comércio de Minérios), engenheiro Marcelo Velezquez, compareceu a uma reunião extraordinária do Conselho Municipal do Meio Ambiente (CONSEMMA) do município de Porto Grande, distante 108 quilômetros de Macapá.
O evento reuniu conselheiros, secretários municipais, vice prefeito e assessores para ouvirem o diretor da ICOMI falar dos projetos da empresa na sua volta às atividades no Amapá.
Porto Grande sempre exerceu um papel importante no auge do projeto da mineradora brasileira, como um entreposto estrategicamente localizado na região centro-oeste do estado, onde também funcionou a Fazenda Campo Verde, um polo hortifrutigranjeiro que abastecia todo o complexo urbano de moradia para os funcionários da mineradora.

POLÍTICA | Novo coordenador da bancada ouve demandas da Prefeitura de Macapá

Em reunião em seu gabinete na Câmara dos Deputados, o deputado federal Marcos Reátegui (PSD-AP) atendeu a solicitação do prefeito de Macapá, Clécio Luis (PSOL), e se comprometeu em viabilizar duas emendas para o município.

Serão destinados R$ 1 milhão para a construção de passarelas no Igarapé da Fortaleza, e R$ 600 mil para investimento em dez academias ao ar livre. As prioridades para as emendas foram elencadas pelo prefeito Clécio, e atendem à necessidades da população.

Serão 3 km de passarela no Igarapé da Fortaleza, divisa entre Macapá e Santana, e a localização das dez academias ao ar livre serão discutidas com as associações de moradores onde ainda não tem os equipamentos. “São investimentos importantes, que asseguram bem estar, locomoção e saúde para os moradores de Macapá, por isso sentamos com o prefeito Clécio e acatamos as sugestões. Com certeza a sociedade em geral vai ser beneficiada com estas iniciativas”, disse o deputado Marcos.

TECNOLOGIA | TIM e Ericsson e solução para centralizar banco de dados de usuários

A TIM acaba de anunciar parceria com a Ericsson para evoluir a arquitetura da atual base de dados de usuários da operadora, com um volume de 70 milhões de assinantes no Brasil, a partir desse mês.Essa é a primeira vez que a centralização do banco de dados será feita em uma escala como esta, em um acordo que se estenderá também para a virtualização da rede.
O projeto inclui a implementação e a consolidação das bases de dados de todas as tecnologias – 2G, 3G e 4G –, incluindo o VoLTE e outros serviços integrados da operadora. Com duração de cinco anos, o contrato contempla ainda a virtualização destes elementos de rede, levando para a TIM maior flexibilidade de alocação de recursos computacionais, redução no tempo de disponibilização, atualização e lançamento de serviços para seus clientes, além da redução de custos operacionais.
“Segurança e disponibilidade são alguns dos aspectos mais importantes da solução da Ericsson que a TIM quer usufruir. Além disso, a integração da nossa base de dados será essencial para continuarmos oferecendo o melhor serviço para nossos clientes”, define Leonardo Capdeville, vice presidente de Tecnologia da TIM Brasil.
Além de oferecer mecanismos avançados para proteger esses dados e garantir sua confiabilidade, a solução da Ericsson fornece ferramentas de resiliência e redundância seguindo padrões do mercado de telecomunicações. O recurso prevê ainda uma solução exclusiva de proteção de sobrecarga e gerenciamento de capacidade, que permite um controle de congestionamento fim a fim por meio de um mecanismo de cooperação em tempo real entre os diferentes elementos de rede virtualizados.
“Juntas, Ericsson e TIM implementaram a rede de core de circuitos (rede de voz 2G e 3G) e respectivas bases de dados 2G, 3G e 4G da TIM no Brasil. Com a consolidação de sua base de dados, a solução da Ericsson permitirá à TIM ter uma visão mais completa da base de clientes, facilitando a monetização do recurso de dados e trazendo oportunidades de aumento de receita através de novos casos de uso”, afirma Eduardo Ricotta, presidente da Ericsson no Brasil.
Reconhecida por suas soluções de SDM (Subscriber Data Management) para a arquitetura de camada de dados, a Ericsson já disponibiliza o serviço para mais de 140 clientes em todo o mundo, que totalizam mais de 4,7 bilhões de assinantes. Com base em sua experiência global e liderança de mercado, a Ericsson proverá à TIM a melhor solução de centralização da base de dados existente no mercado.

Sobre a TIM
A TIM tem como missão conectar e cuidar de cada um e para que todos possam fazer mais. Sua assinatura – "Evoluir é fazer diferente" – destaca a evolução da empresa no país e sua postura inovadora e pioneira.
Tendo como base o Plano de Investimentos, focado nos pilares infraestrutura de rede, oferta e experiência do usuário, a TIM continua a liderar diversos movimentos do mercado. A operadora é líder disparada na cobertura da tecnologia 4G no país.
A TIM é referência em práticas de governança e ainda a única empresa do setor de telecomunicações no Novo Mercado da B3, reconhecido como nível máximo de governança corporativa, além de ser a empresa do setor há mais tempo consecutivo no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE). Para mais informações, acesse www.tim.com.br.

Sobre a Ericsson
A Ericsson é líder mundial no fornecimento de tecnologias e serviços de comunicação. Possibilitamos a Sociedade Conectada com soluções eficientes e em tempo real que nos permitem estudar, trabalhar e viver nossas vidas de uma forma mais livre e em sociedades sustentáveis no mundo todo.
Oferecemos serviços, software e infraestrutura em Tecnologias da Informação e Comunicação para operadoras de telecom e outras indústrias. Hoje, 40% do tráfego móvel global passa pelas redes da Ericsson e prestamos serviço de suporte nas redes de nossos clientes que atendem mais de 2,5 bilhões de assinaturas.
Somos mais de 110.000 pessoas trabalhando com clientes em mais de 180 países. Fundada em 1876, a Ericsson está sediada em Estocolmo, na Suécia. Em 2013, a empresa gerou receitas de 227,4 bilhões de coroas suecas (US$ 34,9bilhões). A Ericsson está listada nas bolsas de valores NASDAQ OMX (Estocolmo) e NASDAQ (Nova York).
A Ericsson está presente na América Latina desde 1896, quando entregou equipamentos pela primeira vez na Colômbia. No início do século XX, aumentamos nossa presença na América Latina ao firmar acordos na Argentina, Brasil e México. Hoje, estamos presentes em 56 países da América do Sul, América Central, México e Caribe, com instalações completas, como unidade de Produção e Centro de Inovação com atividades de pesquisa e desenvolvimento (P&D), além de Centro de Treinamento. A Ericsson é a fornecedora líder do setor de Telecom, com mais de 40% do mercado na América Latina e mais de 100 contratos de serviços de Telecom na região.

PUBLICIDADE