Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


domingo, 5 de janeiro de 2014

“O Democratas pode ter uma candidatura viável para a disputa pelo Senado”

Davi Alcolumbre. Deputado confirma interesse em entrar para a disputa pela única vaga na disputa para o Senado.
O deputado federal Davi Alcolumbre (DEM) acaba de receber a melhor avaliação entre os atuais integrantes da Bancada Federal na Câmara dos Deputados, num ranking nacional definido pela revista Veja. O prêmio chega exatamente quando ele decide falar sobre sua pré-candidatura a senador da República. Davi admite até já ter palanque local para a disputa, ao lado do também pré-candidato a governador, seu amigo e aliado Lucas Barreto (PSD). Em entrevista ontem ao programa Conexão Brasília, pela Diário FM, o parlamentar falou sobre esse e outros temas importantes, especialmente fazendo um balanço de seu mandato, o terceiro consecutivo no Congresso Nacional. Acompanhe a seguir.
Cleber Barbosa
Da redação

Diário do Amapá – Teve uma emenda parlamentar do senhor destinada à construção de um ginásio de esportes dentro do 34º BIS que está com as obras.
Davi Alcolumbre – Nós tivemos, além disso, uma grande conquista para o Amapá e para o Exército que foi a aprovação do Comando para a implantação até 2015 de uma Brigada aqui no estado do Amapá. Inclusive já fruto de entendimento com o general Enzo, que é o comandante do Exército Brasileiro, a bancada já alocou para este ano uma emenda para construção, modernização e ampliação das estruturas do 34º BIS para transformar numa Brigada.

Diário – E o que é uma Brigada do Exército?
Davi – A partir do momento que você tem uma Brigada você tem um aumento do contingente, são mais pessoas trabalhando e o cálculo dentro do Comando do Exército é de isso vai representar R$ 20 milhões a mais por mês aqui no Estado do Amapá, por conta desses 3 mil profissionais que serão contratados. Já com relação ao ginásio, foi fruto de uma emenda de 1,2 milhão, vai ficar dentro do quartel do 34º BIS, para uso do Exército, mas que já se comprometeu em abrir as portas do ginásio para a comunidade ali do entorno, como Nova Esperança, Cuba de Asfalto, Usina, enfim, aqueles moradores, suas crianças, vão poder utilizar dessa quadra coberta dentro do Exército.

Diário – Como está a aprovação da PEC 111?
Davi – Nós votamos essa PEC em primeiro turno, quando tivemos sua aprovação, com o apoio de todos os parlamentares do Amapá e suas articulações nas suas bancadas. Mas agora o governo central, através da presidente Dilma e da ministra Miriam Belchior, fez uma reunião estratégica do governo que não quer votar a PEC 111 em segundo turno. Nós já colocamos nosso líder, falamos com o deputado Ronaldo Caiado, que autorizou ser pautada a PEV novamente, como item prioritário, mas o governo retirou de pauta, dizendo que implicaria em muita despesa para a União. Quando a gente vê a União concedendo incentivos fiscais a outros países como agora o Paraguai, com o aumento da tarifa de Itaipu, um acréscimo de R$ 6 bilhões a mais, a gente vê que o discurso é um e a prática é outra.

Diário – A ministra Ideli Salvati esteve em Macapá no fim do ano passado e disse que os dados sobre esse impacto na folha da União não batem.
Davi – Todos os números que o governo central tem são diferentes dos que nós temos. Amapá e Roraima apresentaram os números e o governo federal apresentou números totalmente distorcidos e já foi provado que eles estão errados. Mas assim que voltarmos do recesso já conversamos com o coordenador da bancada, o deputado Milhomen, para a gente reunir com o presidente Henrique Eduardo Alves para que ele seja o interlocutor para que a gente possa definitivamente resolver esse problema.

Diário – Muitos colegas seus ficaram em Brasília no Natal e no Réveillon para conseguir o empenho das últimas emendas parlamentares do ano. Empenhar é reservar o recurso não é?
Davi – Exatamente, o que é muito importante. Eu inclusive gostaria de falar sobre o Orçamento Impositivo, que foi uma vitória para o parlamento, da Câmara e do Senado, no sentido de que agora os recursos efetivamente serão liberados na ponta, onde mais precisa que são nos municípios do Brasil. Mas sobre as nossas emendas a gente teve uma felicidade muito grande este ano no sentido de que todas as cidades brasileiras sofrem com um problema seríssimo que é a mobilidade urbana, o trânsito. E a gente colocou logo no final de 2012, num compromisso firmado com o prefeito Clécio, que a gente iria buscar uma solução para o problema da zona norte. Nós alocamos uma emenda no valor de R$ 5 milhões para a mobilidade urbana, no Ministério da Defesa.

Diário – Na Defesa?
Davi – Sim, dentro do programa Calha Norte, para a gente fazer o acesso para o [bairro] Pantanal e o Renascer, como alternativo, pois ele já existe hoje, que é a Rodovia do Pacoval, que as pessoas utilizam como uma forma de chegar ao centro da cidade. São pouco mais de 2,5 quilômetros que depois vai melhorar a vida de 70 mil pessoas que serão beneficiadas com essa obra importante.

Diário – Aliás, o senhor defendeu isso ainda na campanha a prefeito, com várias soluções para o trânsito muito bem exploradas em seus programas eleitorais. No segundo turno, quando apoiou o prefeito Clécio ele se comprometeu em aproveitar essas ideias não foi?
Davi – Foi isso mesmo. A gente teve a felicidade de sair dessa campanha vitoriosa com o apoio do povo de Macapá, numa votação expressiva. No segundo turno optamos pelo prefeito Clécio e conseguimos vencer a eleição. Graças a Deus ele tem enfrentado os problemas, mesmo com muitas dificuldades, buscando as soluções para Macapá, sem ficar olhando para o passado. Então o Clécio está de parabéns, a sua gestão, buscando essa interlocução com a bancada federal e eu falava também muito na nossa campanha sobre a questão do Serasa.

Diário – De tirar Macapá do Serasa. Muita gente incorporou essa linguagem sua.
Davi – Isso. Inadimplência ninguém conhece... [risos] O prefeito Clécio tirou Macapá do Serasa e assim conseguiu acessar recursos federais, assim como também através de emendas parlamentares.

Diário – Essa alternativa está garantida?
Davi – Sim, nós havíamos conseguido duas emendas, uma de R$ 2 milhões e outra de R$ 3 milhões e eu já consegui empenhar as duas e repassei os convênios para o prefeito para a estruturação da Rodovia do Pacoval, a correção do ângulo da ponte sobre o Canal do Jandiá, o alargamento da pista, vai ter ciclovia, passarela, calçada e iluminação, com um pavimento feito de qualidade e, além disso, o prefeito ainda vai colocar mais R$ 1 milhão de recursos do próprio município para fazer a pavimentação asfáltica de algumas ruas e avenidas dos bairros Pantanal e Renascer.

Diário – Qual o critério que o senhor usa para destinar uma emenda a um determinado município?
Davi – O diálogo com os prefeitos. Agora mesmo no município de Santana estamos priorizando a educação, um pedido dele logo depois das eleições. Nós apresentamos R$ 4 milhões para Santana especificamente para a educação e acabamos de ter o recurso empenhado pelo FNDE liberando os recursos e agora o prefeito irá adquirir cerva de 7 mil carteiras escolares e vai climatizar todas as salas de aula do município, para dar mais qualidade de trabalho para o professor e de ensino para os estudantes. Além disso, todas as escolas que não possuem cozinha ganharão uma cozinha e um refeitório para atender a alimentação das crianças. Esses R$ 4 milhões correspondem a quase 50% do orçamento anual da educação do município de Santana. Isso foi possível, tanto em Macapá como em Santana, dos prefeitos e suas equipes técnicas terem apresentado os projetos adequados e terem se empenhado nesse trabalho.

Diário – Há quem diga que o senhor é sumido da mídia?
Davi – Eu tenho esse problema, de não vir à mídia com mais frequência prestar contas do mandato. Mas eu tenho o reconhecimento das pessoas, pois estou sempre caminhando, visitando as pessoas, andando ao lado delas. É isso que faz com que eu escute suas demandas e tente resolver os seus problemas como deputado já que fui eleito para isso.

Diário – Muita gente critica o fato de alguns parlamentares colocarem recursos através de suas emendas para construção de um posto de saúde, quando fica faltando dinheiro para equipar e até contratar pessoal para trabalhar nessa unidade.
Davi – É por isso que é importante dialogar com os prefeitos. Agora mesmo no orçamento deste ano o prefeito de Serra do Navio, José Maria Lobato, me disse que a única unidade de saúde existente lá era do estado. Então nós alocamos quase R$ 1 milhão para a construção e equipamento de uma unidade de saúde, já que ele tem servidores para a área da saúde, mas que estão cedidos para o prédio do estado. Lá na Pedra Branca também o prefeito me fez uma solicitação de uma emenda de R$ 500 mil para a área da educação, para custear a reforma de algumas escolas. Também tivemos outra emenda de R$ 500 mil para Vitória do Jari, para a área da saúde, outra em Tartarugalzinho, para a saúde; outra em Oiapoque para a educação e outra de R$ 1,2 milhão para Mazagão, onde o prefeito já pode adquirir grupos geradores para a região ribeirinha que não tem energia elétrica. A gente tem buscado trabalhar, andando o estado todo.

Diário – A revista Veja publicou esta semana o resultado de uma pesquisa sobre os melhores deputados e senadores onde o senhor aparece com a melhor pontuação entre os integrantes da bancada federal. 
Davi – Isso é uma resposta para a população. Isso é uma prestação de contas sobre nossa atuação, feita por uma revista de circulação nacional, que faz isso todos os anos desde 2011. Eu fiquei muito feliz com a primeira colocação no estado do Amapá, onde todos os nossos deputados e deputadas têm trabalhado muito, mas isso é um reconhecimento da nossa atuação individual, é fruto do nosso trabalho e da nossa dedicação, do nosso carinho e do nosso respeito pela população. Ficamos na 35ª colocação no Brasil e em 1º no Amapá.

Diário – De um universo de 513 deputados.
Davi – Sim e eu quero dividir esse prêmio da minha avaliação parlamentar, da minha atuação política, pois estou no quarto mandato eletivo. Fui vereador de Macapá, o mais votado no ano 2000, então praticamente são 14 anos de vida pública. Dedico esse prêmio a todo o povo do Amapá, especialmente a todos aqueles que acreditaram na gente. E a nossa equipe de trabalho que faz esse ser um mandato do povo.

Diário – O jornalista Luiz Melo essa semana garantiu que o senhor não disputa a reeleição porque vai concorrer ao Senado. Isso é verdade?
Davi – Essa é uma decisão política do partido. A gente tem caminhado o estado todo escutando as pessoas e vimos agora esse movimento da sociedade brasileira pedindo mudanças, pedindo renovação do modelo político que é adotado por alguns políticos do nosso país e a gente sintonizado a esse desejo e dispostos a encarar desafios como sempre foi a nossa vida, tivemos o nosso nome colocado à disposição do partido a nível nacional, conversamos com a bancada sobre a possibilidade do Democratas ter uma candidatura viável no Amapá para disputar o Senado Federal. Tivemos esse aval a nível nacional e também aqui a felicidade de fazer a composição política na campanha do deputado Lucas Barreto, que é atual vereador, uma grande liderança, amigo pessoal e uma grande figura, carismático e cumpridor de palavra. Já manifestei em Brasília o desejo do Democratas caminhar ao lado do PSD de Lucas e este palanque regional já foi homologado.

Perfil...

Entrevistado. David Samuel Alcolumbre Tobelem, ou apenas Davi Alcolumbre, nasceu em Macapá no dia 19 de junho de 1977. É empresário e deputado federal. Foi vereador em Macapá de 2001 a 2003, tendo sido o mais votado no pleito do ano 2000 na Capital. Em 2002 foi eleito para a Câmara dos Deputados sendo reeleito em 2006 e depois em 2010, com quase 15 mil votos. É filiado ao DEM, partido do qual faz parte do Diretório Nacional e também do Conselho do Movimento Jovem. Em 2009 licenciou-se do manda-to para assumir o cargo de secretário municipal de Obras de Macapá. Em 2012 disputou as eleições para ser prefeito de Macapá, o quarto colocado naquela disputa contra Roberto, Clécio, Cristina, Milhomen e Genival.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE