Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura e política.

PUBLICIDADE

domingo, 18 de agosto de 2013

RIO-MAR DOS AMAPAENSES: Rio Amazonas pode incrementar o turismo

TURISMO / Motivo de orgulho para os brasileiros que vivem no Amapá, o maior rio do mundo também costuma sensibilizar os turistas com o encontram pela primeira vez
A paisagem urbana da cidade de Macapá ganha o adorno do maior rio do mundo, que diariamente banha sua orla e serve de inspiração para quem vê do nascer ao pôr do sol na única capital banhada pelo Amazonas.

CLEBER BARBOSA
EDITOR DE TURISMO

Embora Macapá tenha vários atrativos turísticos feitos pela mão do homem, como o Marco Zero do Equador, é da mãe natureza a responsabilidade do maior patrimônio visual do lugar, o Rio Amazonas. Grande em tudo, extensão e volume de água, este rio-mar exerce um grande poder nas pessoas, especialmente as mais sensíveis. Não é raro ver turistas de outros estados enxugando as lágrimas quando do primeiro encontro com o rio, cuja única capital brasileira a ser banhada por ele é a do Amapá.
Deputado federal Evandro Milhomen (PCdoB)
Ontem, num debate na Rádio Diário FM, a turismóloga Nira Brito, o presidente do Sindicato das Empresas de Turismo (Sindetur) Edir Pacheco e o coordenador da Bancada Federal, deputado Evandro Milhomen, concluíram que apesar de belo e majestoso, o rio Amazonas precisa de mais atenção, algo que agregue valor ao enorme potencial turístico que ele empresta a Macapá. “Sinto falta de um barco à disposição das pessoas na orla da cidade para fazer um passeio pelo rio até Santana e voltar, por exemplo”, diz o deputado Milhomen.
O empresário Edir Pacheco diz que as pessoas precisam ter uma relação mais próxima com o rio, como banhos e práticas de esportes em suas margens. “No próximo mês de outubro estarei participando de um evento em Miami (Estados Unidos) quando a possibilidade de atrair a passagem de navios de cruzeiro por Macapá estará em debate e a presença do Rio Amazonas certamente tem um peso muito grande para convencer os operadores a vir até aqui”, diz ele.
Pacheco também diz estar confiante de que as obras do novo píer do Santa Inês possa dar um incremento nessa atividade, com o anúncio da retomada da construção. “Acredito que até o fim do ano a gente possa ter esse píer concluído, que poderá receber não apenas os turistas da cidade como aqueles que desembarcarem dos grandes navios de cruzeiro que ficarem fundeado em frente à cidade”, diz Edir Pacheco.
A bacharel em turismo Nira Brito disse que há muito se ouve falar no potencial turístico do Amapá e de sua capital Macapá, com atrativos naturais e também outros pontos turísticos, mas o que precisa ser alavancado é o turismo receptivo. “Isso a gente chama de produto turístico, aquilo que ganha um formato e pode ser comercializado, com previsão de transportes, acomodação, acessos, enfim, os serviços turísticos”, diz Nira.
Nesse contexto, a ideia de um barquinho para passeios pelo Rio Amazonas é mais do que apropriada. É a proposta de integrar o turista com a cidade. E vice-versa.

Os números magníficos deste gigante rio-mar

O rio Amazonas, localizado na América do Sul, é o segundo rio mais extenso do mundo com 6.992,06 km e mais de mil afluentes sendo de longe o com maior fluxo de água por vazão, com uma média superior que a dos próximos sete maiores rios combinados (não incluindo Madeira e rio Negro, que são afluentes do Amazonas). A Amazônia, que tem a maior bacia de drenagem do mundo, com cerca de 7.050.000 quilômetros quadrados, responsável por cerca de um quinto do fluxo pluvial total do mundo.

O Amazonas tem sua origem na nascente do rio Apurímac (alto da parte ocidental da cordilheira dos Andes), no sul do Peru, e deságua no Oceano Atlântico junto ao rio Tocantins no Delta do Amazonas, no norte brasileiro. Ao longo de seu percurso recebe, ainda no Peru, os nomes de Carhuasanta, Lloqueta, Apurímac, rio Ene, rio Tambo, Ucayali e Amazonas (Peru). Entra em território brasileiro com o nome de rio Solimões e finalmente, em Manaus, após a junção com o rio Negro, recebe o nome de Amazonas e como tal segue até a sua foz no oceano Atlântico.

Ao longo da história expedições foram organizadas para desvenda-la


Centro da maior bacia hidrográfica do mundo, ultrapassando os 7 milhões de km², a maior parte do rio está inserida na planície sedimentar Amazônica, embora a nascente em sua totalidade seja acidentada e de grande altitude. Marginalmente, a vegetação ribeirinha é, em sua maioria exuberante, predominando as florestas equatoriais da Amazônia.12 A área coberta por água no rio Amazonas e seus afluentes mais do que triplica durante as estações do ano. Em média, na estação seca, 110 000 km² estão submersos, enquanto que na estação das chuvas essa área chega a ser de 350 000 km². No seu ponto mais largo atinge na época seca 11 km de largura, que se transformam em 50 km durante as chuvas.
História - Durante o que muitos arqueólogos chamam de período formativo, as sociedades indígenas amazônicas estiveram profundamente envolvidas na emergência dos sistemas agrários das terras altas da América do Sul, e possivelmente contribuíram diretamente para o panorama sócio-religioso que constituiu as civilizações andinas. Em 1500 o explorador espanhol Vicente Yáñez Pinzón e a tripulação liderada por ele foram os primeiros europeus a navegar no rio.13 Pinzón chamou o rio de Río Santa María del Mar Dulce, o que posteriormente foi reduzido para Mar Dulce (literalmente "Mar Doce"), devido à quantidade de água doce impulsionada pela correnteza do rio para dentro do oceano Atlântico. Por 350 anos após a descoberta do Amazonas pelos europeus, a parte portuguesa da bacia do rio permaneceu um cenário abandonado, servindo exclusivamente como fonte de alimentos obtidos através da coleta e da agricultura pelos povos indígenas que haviam sobrevivido à chegada das doenças trazidas pelos europeus.

CURIOSIDADES

-  O Rio Amazonas tem um comprimento de 6.992,06 km e mais de mil afluentes.

- O Amazonas é de longe o rio mais caudaloso do mundo, com um volume de água cerca de 60 vezes o do rio Nilo.

- A quantidade de água doce lançada pelo rio no Atlântico é gigantesca: cerca de 209 000 m³/s.

6.992 KM
Esta é a extensão do Rio Amazonas, desde a sua nascente até a Foz que fica em Macapá.

RIO AMAZONAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!