Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura e política.

PUBLICIDADE

terça-feira, 11 de junho de 2013

Os lagos de Itaubal

Culturas paraenses e amapaenses se confundem

A abundância de água faz deste lugar bucólico um dos passeios obrigatórios para quem deseja conhecer o interior do Amapá. Itaubal do Piririm dá uma identidade toda característica para esta parte do Estado.
Município situado ao norte do estado do Amapá distante aproximadamente 103 km da capital Macapá, possuindo uma área de 1.569 km2 e população estimada em 3.381 habitantes, segundo estimativa do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, feita no ano de 2003. Este é Itaubal do Piririm, na chamada Região dos Lagos, um dos lugares mais bonitos do interior do Amapá.

Trata-se de um destino ainda pouco difundido entre os exploradores da natureza e de lugares bucólicos, aprazíveis mesmo. Em qualquer época do ano é um lugar encantador, apesar de que no período das chuvas tem seu charme potencializado pelo volume de água alcançado por seus lagos.
História

A cidade surgiu por volta de 1935 através de famílias oriundas, principalmente, das ilhas do Pará buscando terras férteis para lavoura. O povoado foi chamado de denominado de Itaubal devido a abundância da madeira-de-lei conhecida por “Itaúba” (mezilaurus itauba da família Lauraceae).

Sua edificação se deu às margens do Rio Piririm como um povoado denominado de “Irmandade de São Benedito”, como os moradores locais adotando São Benedito como padroeiro, venerado até na atualidade. O  nome do povoado foi alterado para “Itaúbal do Piririm” passando em 1988 a ser distrito de Macapá capital do estado do Amapá. Em 1º de maio de 1992 foi elevado à condição de Município.
Economia

A economia do município baseia-se no extrativismo de madeira nobre: andiroba, pau mulato, cedro e virola. Grande parte dessa madeira é comercializada em toras, sendo residual o beneficiamento nas serrarias localizadas na região; óleos vegetais, pescado e palmito. A pecuária também tem se transformado em importante fonte de renda com a criação de búfalos, espécie de gado muito resistente, porém, danoso ao ambiente, equinos e ovinos. Porém estudos realizados por pesquisadores da Embrapa têm incentivado o investimento na agricultura em terra firme em escala comercial, alterando a forma dessa modalidade econômica que antes só era praticada para subsistência das famílias.

Todos os caminhos que nos levam ao paraíso

Como chegar: 

Partindo de Macapá de ônibus saindo da estação rodoviária a um custo de aproximadamente R$ 40,00 em três horas de viagem ou de automóvel pela rodovia AP 156 e de lá acessando um ramal de terra à altura do quilômetro 50. Também é possível acessar o município pela Rodovia AP 070.


Onde ficar: 

Em Itaubal há poucos hotéis e pousadas. As mais procuradas ficam às margens do rio Piririm com diárias que custam em torno de 80 reais para um casal ou 50 reais individuais. No período das festividades de São Sebastião há necessidade de reservas antecipadas, pois, a cidade lota por turistas de outras cidades do estado e de fora dele.

Passeios atrativos e festejos religiosos que garantem lazer e tranquilidade

A cidade e seus distritos possuem uma vasta rede de igarapés e rios, muito propícia à pesca desportiva, que chama à atenção dos visitantes pela beleza natural. Ao norte Itaúbal é banhado pelos rios Piririm e Jupati; ao sul pelo rio Amazonas, ao Oeste pelo rio Macacoari e ao leste pelo rio Amazonas. Um dos preferidos pelos visitantes é o rio Piririm que desemboca na foz do rio Amazonas; é rico em pescado como: tucunaré, cará, traíra e tamuatá além da bela paisagem o margeia.  Os finais de tarde às margens dos rios e igarapés são hipnotizadoras para quem não está acostumado com a natureza pura: o pôr-do-sol, a revoada de pássaros, os barulhos das aves se aninhando, das aves noturnas que começam as suas atividades e do coaxar dos batráquios dá à Itaubal um ar bucólico, de paz e tranquilidade.
 As atrações festivas vão desde as sacras às profanas como o Festiva do Açaí, que acontece na segunda quinzena do mês de julho e a festa de São Sebastião, na comunidade do Carmo do Macacoari distante 14 quilômetros da sede do município, no dia 20 no de janeiro.  Durante as festas se vê a grande aproximação de Itaubal com a rotina do povo do arquipélago do Marajó, desde 2003 é realizado o “Festival do Marajoaras” onde se misturam manifestações religiosas, desfiles, feira de artesanato, festas dançantes e corrida de cavalos, ponto culminante do festival.
 São Sebastião também é homenageado em Itaúbal, a sua origem data de cem anos, iniciada por devotos do santo. A festividade ocorre no dia 20 de janeiro com reza de ladainha e o lado profano. Sua realização ocorre no distrito Carmo do Macacoari, distante 14 quilômetros da sede do município.

CARTÃO POSTAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!