Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Notícias do Governo do Estado do Amapá (terça-feira)

Segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Governo, MEC e Unifap se reúnem e discutem um novo modelo para a residência médica no Amapá

O governador Camilo Capiberibe reuniu na noite nesta segunda-feira, 14, com representes da Comissão Nacional de Residência Médica e com o reitor da Universidade Federal do Amapá (Unifap), José Tavares, para tratar, entre outros assuntos, de um novo modelo para a residência médica no Estado.
A princípio, a secretária-executiva da Comissão Nacional de Residência Médica, Maria do Patrocínio Tenório Nunes, e a coordenadora-geral de Hospitais Universitários e Residência em Saúde, Sônia Regina Pereira, estão no Amapá fazendo uma avaliação da área de atuação dos médicos residentes que atuam no Estado.
No entanto, além do relatório técnico que será entregue ao governador Camilo Capiberibe, no encontro ocorrido no Palácio do Setentrião foram discutidas mudanças na gestão da Comissão Estadual de Residência Médica.
A proposta, lançada durante a reunião e acatada pelo governador Camilo, é que, após avaliação da Procuradoria Geral do Estado, o acompanhamento pedagógico dos médicos residentes ficará sob a responsabilidade da Unifap, cabendo ao Estado garantir apenas a estrutura física necessária para o desempenho das atividades dos médicos residentes.
Nesse sentido, o governador autorizou a criação de um Grupo de Trabalho reunindo representantes do Governo do Amapá, Unifap, Secretaria de Estado da Saúde, Procuradoria Geral e da Coordenadoria de Residência Médica no Amapá. O grupo terá o papel de trabalhar a transição desse novo modelo de gestão.
Na avaliação do governador, com a mudança quem ganha é o Estado, que passará a contar com um apoio mais direto da universidade no que se refere à saúde. "Nós apoiamos toda e qualquer proposta que vise a melhoria da população e vamos fazer todos os encaminhamentos para que esse processo ocorra da forma mais rápida possível", declarou Camilo Capiberibe, que fez um breve relato da situação em que se encontrava a saúde do Amapá em 2011, quando ele assumiu o governo.
O reitor da Unifap, José Tavares, parabenizou o governo, ressaltando que essa é uma administração compromissada com o bem da população. Disse que na gestão passada a Unifap deixou de fazer parcerias com o governo por vaidade de secretários. Informou que chegou a propor a transferência do Hospital de Serra do Navio para a Unifap, mas que, na época, inventaram uma desculpa. "Quem perdeu com aquela decisão foi a própria sociedade. Mas, agora, a situação é oposta", pontuou Tavares.
A secretária-executiva da Comissão Nacional de Residência Médica, Maria do Patrocínio Tenório Nunes, comentou com o governador que essa parceria entre o Estado e a Unifap representa um ponto de equilíbrio, lembrou que é preciso valorizar o residente, dando a eles as condições para que se instalem na região. "Sabemos que a saúde enfrenta problemas, mas, diferente de outras regiões, 50% dos residentes estão ficando no Amapá e isso, de certa forma, significa que eles são valorizados", salientou.
O deputado Bala Rocha, que também participou da reunião, disse que conseguiu uma emenda no valor de R$ 10 milhões destinados à compra de equipamentos hospitalares, que serão adquiridos para os hospitais de Oiapoque, Santana e Laranjal do Jari, ambos em fase de conclusão das obras.
No final do encontro também ficou decidido que a Executiva da Comissão Nacional de Residência Médica fará todo o empenho para que, em fevereiro, seja lançado o edital abrindo inscrições para novas turmas de médicos residentes no Amapá.
Núcleo de Jornalismo Institucional/Secom

Estado do Amapá vai integrar malha de recebimento de embalagens

O Amapá ganhará uma unidade de recebimento de embalagens vazias de defensivos agrícolas para atender aos agricultores do Estado. O posto, que ficará localizado na área industrial do Distrito do Coração, em Macapá, terá capacidade para receber 20 toneladas anuais do material. A previsão é de que ele seja inaugurado em março do próximo ano.
As embalagens recebidas no local serão encaminhadas para uma central de recebimento e, posteriormente, enviadas para a destinação final (reciclagem ou incineração). Atualmente, 94% das embalagens plásticas primárias são devolvidas pelos agricultores brasileiros nas mais de 400 unidades de recebimento do Sistema Campo Limpo (logística reversa das embalagens vazias de agrotóxicos), presentes em 25 estados e no Distrito Federal. Com a construção desse posto, o sistema, que de janeiro a outubro de 2012 destinou 2.981 toneladas desse material, terá unidades em todos os estados brasileiros.
Atividades para educação e conscientização dos produtores rurais do Estado sobre a destinação correta das embalagens vazias de defensivos agrícolas serão realizadas pela Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária do Amapá (Diagro), com o apoio do inpEV, instituto que representa a indústria fabricante de agrotóxicos para a destinação das embalagens vazias de seus produtos.
Ainda em 2012, serão realizados no Estado recebimentos itinerantes, ação que consiste no recebimento pontual de embalagens vazias em locais próximos às propriedades rurais como forma de promover a devolução desses resíduos pós-consumo ao Sistema Campo Limpo.
A iniciativa para a instalação do posto é da Diagro e da Associação de Revendedores de Insumos e Defensivos Agrícolas no Estado do Amapá (Aridap). A construção também contará com a parceria do inpEV e o apoio do Governo do Estado.

Governador Camilo Capiberibe lança linha de crédito para fomentar a cultura amapaense

"A partir de segunda-feira, com o lançamento da linha para os empreendedores culturais, as coisas na cultura vão ser diferentes. Não serão melhores nem piores, mas diferentes". A fala do presidente da Agência de Fomento do Amapá (Afap), Sávio Peres, no lançamento da nova linha de financiamento da instituição, exclusiva para os agentes culturais do Estado, fecha um recado do governo que os artistas esperavam há muitos anos: o Amapá agora tem uma política clara e objetiva para a cultura amapaense.
Enquanto o presidente da Afap se expressava, o clima nos camarins fervia de entusiasmo e expectativa em relação ao novo tempo que o governo do Estado anunciava para os artistas. Acostumados a viver com o pires nas mãos, os artistas sentiam já o doce vento da independência ou mesmo o alívio de poderem, enfim, bancar suas produções a partir de seu próprio esforço e conseguir, ao invés de patrocínio, crédito para levar sua arte até o público, movimentando a cadeia produtiva da cultura, que começa com o artista e termina com o público, gerando emprego e renda pelo caminho.
Na noite em que as cadeiras do Teatro das Bacabeiras tinham mais artistas do que propriamente expectadores, expressões como crédito produtivo orientado, economia solidária e economia criativa circulavam da plateia à coxia e também nos discursos do presidente do Conselho Estadual de Cultura, Otto Ramos, do secretário de Cultura, Zé Miguel, e do governador do Estado, Camilo Capiberibe, que falou em fomentar a cadeia produtiva da cultura, promessa de campanha que ele cumpria ao lançar a nova linha de crédito, o Troféu Afap Empreendedores culturais e o edital de criação literatura Simãozinho Sonhador, que, sentado na primeira fila de cadeiras, era um só sorriso entre as orelhas.
Simãozinho Sonhador é um empreendedor daqueles dos bons , tanto quanto o Pantaleão, um artista original da terra, que inspirou a criação de linha de fomento aos projetos dos artistas amapaenses.
O lançamento aconteceu na noite de sexta-feira, 11, e, na segunda-feira, 14, os primeiros artistas já estavam na Agência atrás de informação para financiamento.
Manoel do Vale/Afap

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE