Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Últimas notícias da Feira das Américas, a Abav 2012



ABAV oferecerá transporte gratuito para os participantes da Feira de Turismo das Américas

A Associação Brasileira de Agências de Viagens – ABAV Nacional divulgou os horários do serviço de transporte gratuito para os participantes da Feira de Turismo das Américas, que será realizada entre os dias 24 e 26 de outubro no Riocentro (RJ). Baseado nas estatísticas, que demonstram o sucesso antecipado do evento, a organização da feira ampliou os itinerários e a rotatividade dos ônibus em relação ao ano passado.

Serão cinco rotas divididas por cores e locais de partidas: Verde – Barra; Azul – São Conrado; Amarela – Leblon/Ipanema; Roxa – Copacabana; Vermelha – Centro. Os horários das linhas variam de acordo com a demanda de cada região da cidade e todas passarão por hotéis para embarcar os participantes rumo aos pavilhões do Riocentro. Os ônibus retornarão aos hotéis a partir das 16h e o último sairá do evento às 19h.

Aeroportos

Um dia antes do início da ABAV – Feira de Turismo das Américas, em 23 de outubro, entre 7h e 19h, a entidade disponibilizará ônibus de hora em hora dos aeroportos Santos Dumont e Galeão para os hotéis. Às 20h30 e às 23h terão ônibus extras fazendo esses mesmos itinerários.

Nos dias 24 e 26 de outubro também sairão ônibus de ambos os aeroportos para o Riocentro às 9h, 10h, 12h e 13h. A entidade também colocou à disposição dos participantes linhas com itinerário Riocentro-Aeroportos (Santos Dumont e Galeão), durante os três dias de feira, facilitando o traslado daqueles que farão bate-volta. Os ônibus sairão do evento às 19h.

ABAV – A Feira de Turismo das Américas

A maior e mais importante feira de turismo do continente, que acontecerá neste ano entre os dias 24 e 26 de outubro, no Riocentro, Rio de Janeiro (RJ), a ABAV – A Feira de Turismo das Américas constitui excelente oportunidade para negociações e relacionamento com profissionais do trade turístico. O evento, palco que expõe a maior diversidade de produtos, serviços e destinos voltados à indústria de viagens e turismo, prioriza em sua estratégia de crescimento facilitar o entrosamento entre buyers e suppliers, além de muito networking. Com a presença de expositores de cerca de 50 países, a feira apresenta uma série de novidades e, também, é ponto para encontros de entidades públicas e privadas e importantes acordos internacionais.

Novidades no 40º Congresso Brasileiro de Agências de Viagens
Pela primeira vez integrado à área de exposição, Congresso ABAV está focado no dia a dia dos agentes de viagens e oferece rica programação dentro da Vila do Saber

A Associação Brasileira de Agências de Viagens – ABAV Nacional divulgou o mote da 40ª edição do Congresso Brasileiro de Agências de Viagens 2012, que acontece entre 24 e 26 de outubro, no Riocentro (RJ). Este ano, pela primeira vez, não foi definido um tema central para o Congresso, que reúne uma diversificada programação focada em três vetores, distintos e complementares, que marcam o dia a dia do setor. Ou seja: Transformação, inovação e superação. Todos os seminários e as palestras serão realizados no pavilhão 2, a partir das 14h, nos dois primeiros dias, e às 11h30, no último dia do evento.

“Inspirado nessas três vetores, o Congresso ABAV 2012 foca desafios cotidianos enfrentados no setor, onde as agências de viagens protagonizam uma história vitoriosa frente a um cenário que está em constante transformação, superando as adversidades com inovações – o que, na prática, fortalece, renova e amplia a nossa importância setorial” afirma Antonio Azevedo, presidente da ABAV Nacional.

Diversos assuntos já foram selecionados para compor a grade de programação do Congresso ABAV 2012, tais como: megaeventos esportivos, marketing e comunicação em mídias sociais, gestão, eventos, tecnologia, companhias aéreas, viagens corporativas, vendas, receptivo, hotelaria, finanças, direitos do consumidor, desenvolvimento de produtos, entre outros.

“Tendo em vista que o turismo impacta vários outros setores, a vasta programação do Congresso ABAV reunirá também aspectos de mercado que interagem com a cadeia produtiva. Com isso, vamos incentivar os agentes de viagens a utilizar novas estratégicas para que eles se consolidem cada vez mais como o melhor canal de distribuição para o consumidor final”, conclui Azevedo.

ABAV – A Feira de Turismo das Américas

A maior e mais importante feira de turismo do continente, que acontecerá neste ano entre os dias 24 e 26 de outubro, no Riocentro, Rio de Janeiro (RJ), a ABAV – A Feira de Turismo das Américas constitui excelente oportunidade para negociações e relacionamento com profissionais do trade turístico. O evento, palco que expõe a maior diversidade de produtos, serviços e destinos voltados à indústria de viagens e turismo, prioriza em sua estratégia de crescimento facilitar o entrosamento entre buyers e suppliers, além de muito networking. Com a presença de expositores de cerca de 50 países, neste ano apresenta uma série de novidades e, também, é ponto para encontros de entidades públicas e privadas e importantes aco rdos internacionais.
 

Clique aqui para ver os horários e itinerários de transporte nos aeroportos.

Clique aqui para ver os horários e itinerários de transporte dos hotéis para o evento.


Marily Miranda
AMIgo! Comunicação Integrada
+55 (11) 3873-5488 – ramal 24
+55 (11) 9997-9690

Justiça do 2º Grau realiza Sessão Itinerante em Oiapoque

Os moradores do município de Oiapoque, localizado a cerca de 580 quilômetros da capital Macapá, puderam, nesta segunda-feira (17 de setembro), acompanhar de perto os trabalhos do Pleno da Secção e da Câmara Única. A mais alta Corte do Tribunal de Justiça do Amapá esteve na região fronteiriça para realização da 6ª Sessão Itinerante do 2º Grau. Na abertura dos trabalhos, o Desembargador-presidente, Mário Gurtyev, disse que a Itinerância é uma ferramenta de aproximação do Poder Judiciário de 2º Grau à comunidade, além de dar conhecimento à população sobre o trabalho da Justiça. “A finalidade é justamente poder mostrar às comunidades interioranas como é que são julgados seus recursos. Pois, muitas das vezes, o cidadão não tem a menor noção de como isso acontece.
Hoje, a Justiça de 1º Grau já está mais perto da comunidade, então, queremos também aproximar o 2º Grau desse cidadão. No plenário, estiveram prestigiando a Sessão o juiz auxiliar da Presidência, Décio Rufino; a juíza Stella Simone, diretora do Fórum da Comarca de Macapá; os juízes da Comarca de Oiapoque Luiz Grott e Pryscilla Peixoto; o juiz federal Naiber Pontes; o diretor-geral do TJAP, Veridiano Colares; a assessora da Presidência, Regina Costa; os promotores de Justiça de Oiapoque Laércio Nunes e Jander Vilhena; o chefe da Polícia Federal em Oiapoque, Samuel Elanio; o Oficial de Ligação da PF na Guiana Francesa, Jorielson Nascimento; o coordenador do Centro de Cooperação Policial Franco-Brasileiro, Lorran Pichon, e representantes de Associações de Moradores.
Após os cumprimentos aos moradores e autoridades da região de Oiapoque, e pelo fato de os processos em julgamento serem destinados à Secção e Câmara Única, o Presidente da Instituição repassou a Presidência da Sessão Itinerante ao Desembargador Luiz Carlos, Vice-Presidente do TJAP. O Desembargador destacou que é importante o cidadão saber que, em média, são julgados nas sessões do 2º Grau cerca de 300 processos por mês. Em Oiapoque, entre os casos julgados estavam apelações cíveis e criminais. Dez processos foram julgados e um teve pedido de vistas.

REGULAMENTAÇÃO DA JUSTIÇA ITINERANTE 

A Justiça Itinerante de segundo grau está regulamentada pela Resolução 023/2005, que prevê a realização de “sessões jurisdicionais do Tribunal de Justiça – Pleno, Seção Única e Câmara Única – fora da capital, em comarcas do interior. Esta foi a 6ª Sessão Itinerante para julgamento de processos em grau de recursos. A primeira foi em Vitória do Jari, a segunda em Oiapoque, depois Santana, em seguida Calçoene, logo após Laranjal do Jari. Para este ano, ainda será realizada Sessão Itinerante do 2º Grau em novembro, em Porto Grande, ocasião em que também serão julgados recursos de Ferreira Gomes, Serra do Navio e Pedra Branca do Amapari. Texto: Bernadeth Farias Assessora de Comunicação Social

Coluna Argumentos (Diário do Amapá), quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Biografia

O senador José Sarney (PMDB-AP) organiza imagens de sua campanha eleitoral de 2006, a última que disputou por aqui. As fotografias farão parte de um acervo especial que ele prepara para as suas memórias. Se depender dele, aquela terá sido sua última disputa eleitoral, mas existem muitas lideranças locais que o querem candidato em 2014.

O cara


O astronauta brasileiro Marcos Pontes confirmou que vai retornar a Macapá nesta semana. Ele passou o fim de semana por aqui para palestrar no encerramento do 3º Encontro de Administradores. A palestra rendeu tanto que superou a uma hora e meia programada. Marcos Pontes é performático, prendeu os espectadores. Emocionante.

Deputado


Keka Cantuária (PDT) foi a Laranjal do Jari de carro e fotografou várias espécies de árvores nativas no chão, depois de serem derrubadas para a abertura da BR-156, que está sendo alargada. “São espécies centenárias, muitas castanheiras também que deveriam ser reaproveitadas de alguma forma”, diz o parlamentar.


Estudos
Os futuros comandantes do Exército Brasileiro cumpriram uma etapa das viagens de estudo em Macapá. Além de informações sobre estratégia e ocupação da Amazônia brasileira, ele recebem informações sobre nossas demandas. Na foto, o comandante do 34º BIS, TC Pinheiro, profere palestra.

Em discussão


A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), abriu ontem e conclui nesta quarta-feira o seminário “Os Desafios da Política Externa Brasileira em um Mundo em Transição”. O evento acontece no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados.

Comparação


Um sujeito usou os canhões da Fortaleza de São José para ilustrar discussão sobre a fronteira do Brasil com a Guiana Francesa. É que a ponte binacional sobre o rio Oiapoque ficou pronta e apenas do lado francês existe estrutura de aduana, alfândega e policiamento. “É tão imponente que ninguém quis invadir. Os canhões da Fortaleza também nunca atiraram”, diz.

Vai sair


Ainda repercute a questão das pesquisas de opinião sobre a sucessão municipal em Macapá, pelo Ibope. A coluna apurou junto à TV Amapá, filiada à Rede Globo que detém a exclusividade da divulgação das consultas ao eleitor. Diferentemente de outras praças, onde o eleitorado é muito maior, aqui estão previstas apenas três parciais do Ibope. A segunda sai neste mês.

De graça


Os participantes da tradicional Feira das Américas, a Abav 2012, contarão com um serviço adicional totalmente gratuito no Rio de Janeiro: o traslado. Isso mesmo, desde a chegada ao aeroporto até os deslocamentos dos hotéis para o Rio Centro, que é o local da exposição, contarão com cinco rotas de ônibus para os participantes. Amapá enviará numerosa delegação pra lá.


Clécio: “Há dois anos venho me preparando para governar”

CLÉCIO – A candidatura vem sendo construída há dois anos, apoiada pelo sucesso do senador Randolfe
O vereador de Macapá Clécio Luiz (PSol) foi entrevistado na última sexta-feira (14) pelo programa radiofônico Luiz Melo Entrevista, pela Diário FM, na série especial que está sabatinando os candidatos a prefeito de Macapá. Ele falou da carreira, da militância nos movimentos estudantis e depois da política partidária. Filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT), legenda que o levou a ser eleito para a Câmara Municipal em 1994 e reeleito em 1998. Depois mudou de partido, ajudou a fundar o PSol e concorreu a governador do Estado, em 2006. Admite que a eleição do amigo e aliado Randolfe Rodrigues, para o Senado Federal em 2010 o motivou a sonhar disputar a Prefeitura de Macapá. Diz que o estreante do Senado é seu maior apoiador e cabo eleitoral. Um resumo especial o Diário publica a seguir.


CLEBER BARBOSA
DA REDAÇÃO

Diário do Amapá - Sua vida pública começou aos 23 anos de idade mesmo?
Clécio Luiz - Assumindo cargos de gestão sim, mas a militância posso dizer que foi antes de entrar na Universidade, no movimento cultural. A minha entrada na política não se deu exatamente no movimento da política e sim na política cultural, que era a minha área de interesse, pois participava de um movimento chamado Rearticulando a Arte, que era uma homenagem ao movimento Articulando a Arte que era da década de 1980 e que reivindicava uma política cultural democrática, que anda hoje não temos. Quando eu entrei na universidade em 1991 acabei me associando a movimentos partidários e depois sim a política, o movimento partidário e depois aos mandatos.

Diário - E a opção em se candidatar, surgiu de estalo ou já era seu projeto político?
Clécio - Na verdade tem uma consequência construída com muito trabalho. Sou do primeiro vestibular da Unifap, cursei Geografia e encontrei o Randolfe (Rodrigues) que fazia História, encontrei o Claudiomar, que fazia Educação Artística e outros companheiros e companheiras, cada um nos seus cursos, e eram apenas nove, quando acabamos ingressando no movimento estudantil, cada um ao seu modo, constituindo os centros acadêmicos, que depois se transformaram no DCE da Universidade. Depois fui para a militância partidária, filiei-me ao PT e só quatorze anos depois fui ser candidato a alguma coisa. Fui candidato a vereador em 2004, quando fui eleito para o meu primeiro mandato.

Diário - E depois?
Clécio - Fui releito em 2008 para o segundo mandato e agora em 2010 após a eleição do senador Randolfe Rodrigues, do qual sou o primeiro suplente, nós começamos a construir um projeto, uma alternativa de poder popular para Macapá, com a pré-candidatura a prefeito, ou seja, ela não foi por acaso, não foi por estalo, foi construída.

Diário - Foi então a eleição de Randolfe para o Senado que mais entusiasmou o senhor a se lançar candidato a prefeito de Macapá?
Clécio - A eleição do senador Randolfe é um marco importante na vida dos amapaenses, tanto para a política como para a sociedade, como inspiração para os jovens. Eu realmente não nego, me inspiro nos mandatos do senador Randolfe, que foi deputado estadual e que exerce hoje o mandato de senador. A ascensão do Randolfe ao Senado abriu muitas perspectivas para muita gente, não só para mim, tanto é que nós montamos uma chapa maravilhosa de candidatos a vereador e vereadoras em Macapá.

Diário - E também disputar a Prefeitura de Macapá.
Clécio - Com essa perspectiva partimos fortemente para construir esse projeto, comecei a me preparar para essa eleição e para governar Macapá depois dessa eleição do Randolfe. Há dois anos eu venho me preparando, não só para a eleição, mas para governar, porque eu vejo muitos candidatos infelizmente se preparam para ganhar a eleição. Eles concorrem com muita estrutura, se preparam com dinheiro, com alianças, uma série de estratégias, mas não se preparam para governar.

Diário - O senhor acha que está na hora de se promover uma renovação na política?
Clécio - Sem dúvida nenhuma. A eleição do Randolfe também tem esse caráter.

Diário - E o que Randolfe Rodrigues representa para a campanha do senhor?
Clécio - Ele é o nosso maior apoiador, no sentido da simbologia que ele representa. Primeiro que ele mostrou que é possível fazer uma mudança na eleição mesmo enfrentando as máquinas. Depois, melhor ainda, mostrou que é possível fazer política de uma forma diferente, pois ele disse o que foi fazer no Senado Federal e atua em duas pontas muito importantes: uma no combate á corrupção e na outra ponta para melhorar a vida do povo.

Diário - E isso pode se transformar em votos a favor do senhor?
Clécio - Sem dúvida, e eu espero isso porque essa é uma forma limpa, clara e transparente de influenciar positivamente as pessoas. Eu vejo hoje os jovens hoje nas ruas falando do Randolfe, vejo os idosos dizendo que têm orgulho, que se sentiram com a esperança renovada no meio de tanta desesperança.

Diário - É o primeiro desafio do senhor a um mandato do Executivo. Isso amedronta o senhor?
Clécio - Não, até porque é o segundo, pois quando nós saímos do PT e fomos para o PSol , no final de 2005, tínhamos que lançar candidatos e tivemos dificuldades, pois tínhamos acabado de receber o registro do partido, foi um desafio imenso. Foi uma eleição muito difícil, o Randolfe teve uma votação para ser reeleito para ser deputado estadual, mas não conseguiu e não foi por falta de votos, mas sim por cociente eleitoral e eu tive que assumir a honrosa tarefa de ser candidato a governador em 2006. Em Macapá, Mazagão e Santana eu empatei tecnicamente com o terceiro colocado, Papaléo Paes. O primeiro foi o governador Waldez, que ganhou no primeiro turno; o segundo foi o Capi.

Diário - O senhor se considera um candidato de esquerda?
Clécio - Me considero, mas me considero mais que isso, um candidato do povo, um candidato popular.

Diário - Com as condições que a cidade se encontra, com as ruas esburacadas não aumenta o tamanho do desafio que o senhor quer enfrentar?
Clécio - Quando comecei a me preparar, há dois anos, o que me assustava era o que chamavam de falta de dinheiro, de que a prefeitura estava falida, que não tinha jeito. Muitos eram os arautos dessa péssima notícia. Com o passar do tempo, me dedicando a conhecer a máquina pública, digo que esse receio eu não tenho mais hoje, pois existem muitos meios de se conseguir recursos.

Diário - Não é só falta de dinheiro?
Clécio - Não é. Hoje a Prefeitura de Macapá tem um orçamento de R$ 502 milhões. Isso não resolve todos os problemas de Macapá, mas não justifica o caos da máquina pública, o caos social, o caos urbano que nós vivemos.

Diário - Em outras palavras a Prefeitura não tem sido competente na arrecadação de impostos?
Clécio - Nem na arrecadação, nem na distribuição. Não digo nem que ela arrecade pouco, ela arrecada mal, pois sufoca poucos e deixa de cobrar de muitos. A nossa pretensão é fazer já nos primeiros dias uma reforma tributária para ampliar a base de arrecadação, ou seja, cobrar menos de mais pessoas, diluir essa cobrança. Hoje os comerciantes, donos de mercearias, de mini-boxes, de qualquer empreendimento, prestadores de serviço, escritórios, profissionais liberais pagam muito ISS e poucos pagam porque a Prefeitura não consegue estender essa arrecadação para todo mundo. O IPTU é a mesma coisa, a base de arrecadação é diminuta e cobra muito de quem paga e muita gente não paga.

Diário - Obrigado pela entrevista.
Clécio - Eu que agradeço imensamente a essa oportunidade, a essa possibilidade de debater a cidade, pois foi para isso que eu me propus quando me lancei candidato, pois sabia dos desafios que eu iria enfrentar. Propus-me a debater o meu município, a minha cidade e essa foi uma oportunidade fantástica de todos os candidatos virem aqui falar o que fizeram e falar o que pensam. Mas quero encerrar pedindo o voto de todo cidadão, de toda cidadã macapaense, dos homens e mulheres livres de nossa capital, do nosso município, para a gente fazer a mudança de verdade, acabar com esse troca-troca que ninguém aguenta mais e fazer Macapá dar a volta por cima.

Perfil do Entrevistado

O amapaense Clécio Luiz é geógrafo, especialista em Desenvolvimento Sustentável e Gestão Ambiental; é professor e vereador por Macapá por dois mandatos; aos 23 anos foi diretor do Monumento Fortaleza de São José de Macapá; aos 26 anos tornou-se secretário estadual de Educação do Amapá; foi fundador e gestor do Banco do Povo e trabalhou pela organização dos empreendedores populares; foi eleito vereador em 1994 pelo PT e depois reeleito em 1998; em 2006 disputou o Governo do Estado e agora concorre a Prefeito de Macapá, pelo PSol.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Informativo da Abav 2012, a Feira das Américas

ABAV - A Feira de Turismo das Américas  |  24, 25 e 26 de outubro de 2012  |  Rio de Janeiro - Brasil
Prezado leitor,

Você está recebendo a Newsletter oficial da ABAV 2012 - A Feira de Turismo das Américas, que será realizada entre os dias 24 e 26 de outubro, no Riocentro, capital fluminense. Confira abaixo as novidades do evento.
ITB a maior feira de turismo do mundo firma parceria com ABAV
A ABAV - A Feira de Turismo das Américas fechou acordo de cooperação com a maior feira de turismo do mundo, a ITB Berlim. A parceria foi firmada durante a 46ª edição da feira alemã, que contou com a participação de expositores de 187 países. O intercâmbio com a ABAV contribui fortemente com a exposição global do evento realizado pela Associação Brasileira de Agências de Viagens e que já registra recorde de participação internacional (50 países confirmados) para 2012, em sua 40ª edição.

Cruzeiro marítimo em expansão na ABAV
O Brasil já ocupa a 5ª posição no mercado de cruzeiros no mundo. Para se ter ideia, a temporada de marítimos 2011/2012 bateu recorde no número de passageiros transportados. No total, 805 mil turistas viajaram durante oito meses pela costa brasileira em 17 navios, o que movimentou mais de R$1,4 bilhão no território nacional. Esse mercado em expansão já tem presença garantida durante a ABAV - A Feira de Turismo das Américas.

Ronald Ázaro, secretário de Estado de Turismo do Rio de Janeiro
Os diferentes segmentos do setor turístico estão reunidos no evento ABAV, o que possibilita uma grande troca de experiências. As novidades do mercado, as rodadas de negócios e as palestras estão lado a lado, facilitando o trabalho daqueles que reconhecem no turismo um importante componente da economia mundial, gerador de empregos e desenvolvimento. A Feira de Turismo das Américas proporciona para o Rio de Janeiro que inúmeros negócios sejam concretizados, fazendo com que o turismo se fortaleça cada vez mais em nosso país.
T4W apresentará novas oportunidades para operadoras e agências
InterCity quer estreitar relações e fomentar novos negócios na ABAV
A tecnologia aliada ao turismo ganha crescente espaço no acirrado mercado de agenciamento de viagens e, do mesmo modo, permite identificar novas e boas oportunidades de negócios para a rede de operações e agenciamento turístico. Essa é a visão da T4W, empresa de TI que confirma a sua presença na ABAV - A Feira de Turismo das Américas pelo segundo ano consecutivo.




A InterCity Hotéis Inteligentes, capaz de unir o grande investimento em seus empreendimentos com ferramentas inteligentes de gestão, recebendo mais de 40 mil hóspedes por mês, também espera realizar ótimos negócios na ABAV 2012. Participar da Feira das Américas, uma das principais do segmento no continente, é fundamental para estreitar as relações da InterCity com os agentes de viagens e fomentar novos novos negócios?, aposta Fanny Cutrale, diretora Comercial da empresa.

Realização: ABAV - Associação Brasileira de Agências de Viagens Promoção: PROMO - Inteligência Turística Visit Mexico
Informações Gerais:
feiradasamericas@abav.com.br
+55 11 3231-3077
Contato Comercial:
feira.abav@promo.tur.br
+55 11 3905-6300
Redação:
Agência AMIgo! Comunicação Integrada
www.agenciaamigo.com.br
+55 11 3873-5488


PUBLICIDADE