Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


sábado, 16 de junho de 2012

Terra: Cirurgia inédita salva bebê de dez dias no Amapá


A mãe Raimunda Silvana de Oliveira e Mateus, que foi submetido a cirurgia quando tinha dez dias de vida. Foto: Abinoan Santiago/vc repórter
A mãe Raimunda Silvana de Oliveira e Mateus, que foi submetido a cirurgia quando tinha dez dias de vida
Foto: Abinoan Santiago/vc repórter
Um recém-nascido de Macapá, no Amapá, ganhou vida nova após ser submetido a uma complicada e inédita cirurgia no coração. Com dez dias de vida e apenas 1,5 kg, Mateus de Oliveira Dias tinha uma obstrução na artéria aorta que o impediria de viver. Ele é o quarto filho de Raimunda Silvana de Oliveira, de 25 anos, a apresentar problemas cardíacos. Os três primeiros (e únicos) morreram poucos dias após nascerem.
Assim que chegou da maternidade Mãe Luzia à casa onde mora, em Marabaixo, na periferia da capital do Amapá, Raimunda percebeu que algo de errado acontecia com o bebê. Ele estava mole, não queria se alimentar e não respondia a estímulos, conforme explicou o cirurgião Marcos Roberto Santos.
Foi Santos quem operou o coração de Mateus no último dia 1º. A cirurgia era a única alternativa no caso do garoto, que já havia passado por outros dois médicos - um pediatra e um cardiologista - até ser diagnosticado com coarctação da artéria aorta. "Trata-se de um caso muito raro, independente da idade da pessoa. O bebê já estava na UTI, com disfunção em vários órgãos e com certeza morreria", explica o médico.
"Explicamos para a mãe: 'o caso é bem grave e não há garantia de sobrevida', e ela aceitou. Já tinha perdido outros três filhos que nasciam, iam para casa e morriam em poucos dias", lembra o médico. Em quatro horas, ele e sua equipe realizaram o procedimento cirúrgico mais marcante de suas carreiras e até então inédito em criança tão jovem no Amapá.
O Resgate do Soldado Ryan
Santos afirma que a equipe empenhada na cirurgia, realizada no hospital particular São Camilo, se doou com uma intensidade cinematográfica. "Parecia aquele filme O Resgate do Soldado Ryan. Tínhamos uma missão para cumprir, que era salvar aquela criança. Pensei assim: 'eu morro, mas o bebê não morre', felizmente foi um sucesso".
As maiores dificuldades encontradas, segundo o médico, foram o tamanho da criança e a gravidade da doença em si, já que Mateus estava com a saúde bastante comprometida. A cirurgia consiste em 'pinçar' a artéria, retirar a parte obstruída e religar as partes sadias.
Após ter trazido à luz quatro crianças, finalmente Raimunda Silvana de Oliveira vai poder comemorar a maternidade ao lado de um dos filhos.
O internauta Abinoan Santiago, de Macapá (AP), participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE