Página do jornalista amapaense Cleber Barbosa, voltada a difundir notícias, pensamentos, reflexões e atualidades sobre turismo, comportamento, economia, cultura, política e empreendedorismo.


quinta-feira, 19 de abril de 2012

Coluna Argumentos, quinta-feira, 19 de abril de 2012.

Diagnóstico 

Vamos a três registros sobre o “raio-x” da saúde pública sob a ótica do presidente da Associação dos Médicos, Fernando Nascimento, durante depoimento à CPI da Saúde, na AL. “Não me lembro de já ter visto tanta reclamação no setor”, resumiu ele. Disse que desde a década de 60 não se vê obras importantes para novos leitos hospitalares.

Desculpas 

A série de franquezas do médico aos membros da CPI da Saúde registrou essa contundente declaração, em tom de desabafo. “Entra governo, sai governo a gente ouve as mesmas desculpas para a coisa não funcionar: - Não deu para fazer a tempo! Ou: - A licitação teve um problema e precisou ser cancelada! Ele está certíssimo.

X da questão 

Depois de muito revelar em sua oitiva, o médico Fernando Nascimento ouviu a seguinte pergunta do deputado Edinho Duarte (PP), que integra a CPI: - O senhor concorda com a afirmação feita ainda na última campanha eleitoral quando se dizia que na saúde “dinheiro tem, falta é gestão”? E o médico respondeu: - Acho que sim, é isso!

Made in Gurupá 

Queria ser uma mosca norte-americana para ver em Nova Iorque o deputado federal Bala Rocha (PDT-AP) praticando o seu inglês recém-repaginado num curso intensivo. Potencial e articulação ele tem e vai se dar bem na conferência da ONU. 

Realidade 

A mais contundente declaração de uma testemunha até agora à CPI da Saúde foi mesmo do médico Fernando Nascimento. Ele disse que enquanto não se encarar a coisa de forma profissional, com modelo de gestão empresarial, nunca vai dar certo. Ele denunciou que existem inte-resses político-partidários se sobrepondo ao juramento dos médicos.

Sobrecarga 

O presidente do Conselho Estadual de Saúde, Roberto Lima, disse que não bastassem os problemas em Macapá ele aponta Oiapoque e Laranjal do Jari como caos iminente. Na fronteira a unidade hospitalar está em obras há mais de quatro anos. No Jari, o fechamento da unidade de Almerim, leva gente de Prainha, Monte Alegre e Alenquer para o lado de cá.

Alerta 

 O presidente da CPI da Saúde, Dalto Martins (PMDB), que também é médico, fez um alerta durante reunião da Comissão. Segundo ele, pelo menos cinco mil pacientes ampaenses estão sob ameaça de ficar cegos por falta de estrutura na Secretaria Estadual da Saúde para a realização de cirurgias de catarata. “Sumiram equipamentos”, disse.

Quem se habilita?

Ainda sobre a CPI da Saúde, o deputado Edinho Duarte (PP) disse que melhorar a qualidade dos serviços da rede estadual de saúde é um verdadeiro tabu. Concordo com ele. Muita gente hesita em assumir a pasta, sabia? Certa vez o ex-deputado Lucas Barreto (PTB) disse que topava. Demoraram a nomeá-lo e ele afastou-se de Waldez Góes (PDT).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua conosco!

PUBLICIDADE